Foto: NGI ICMBio/Santa Cruz

UCs integram programa de habitats costeiros

Fonte: NGI Santa Cruz/ICMBio

UCs recebem estudo de leito oceânico

Arquivo NGI Santa Cruz

Denúncias devem ser feitas por email


Área de Proteção Ambiental Costa das Algas e Refúgio de Vida Silvestre de Santa Cruz

A Área de Proteção Ambiental (APA) Costa das Algas e o Refúgio de Vida Silvestre (RVS) de Santa Cruz são Unidades de Conservação (UCs) federais inseridas no Bioma Mata Atlântica e ambas compreendem mais de 90 % de área marinha, além de ecossistemas de manguezal e restinga.

A APA Costa das Algas é uma unidade de conservação da categoria de unidades de Uso Sustentável, ou seja, tem como objetivo básico compatibilizar a conservação da natureza com o uso sustentável de parcela dos seus recursos naturais; o Refúgio de Vida Silvestre (RVS) de Santa Cruz é uma unidade de conservação da categoria de unidades de Proteção Integral, cujo objetivo básico é preservar a natureza, sendo admitido apenas o uso indireto dos seus recursos naturais, com exceção dos casos previstos na Lei n° 9985/2000 (Lei que instituiu o SNUC – Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza).

A costa central do Espírito Santo apresenta um mosaico de ecossistemas único no Brasil, formado por recifes e costões rochosos de couraças lateríticas, além de importantes sistemas pluviais e estuarinos. Extensos manguezais são encontrados não somente nos estuários, mas também ao longo de praias e costões de lateritas. No centro desta peculiar área encontra-se a região de Santa Cruz, no município de Aracruz/ES, que apresenta grande biodiversidade de algas, considerada a maior do Brasil, e se constitui num importante habitat de crescimento de espécies de peixes comerciais e ameaçados no sudeste brasileiro, além da diversidade cultural e das atividades de pesca de pequena escala.


Leia mais

Denúncias

Faça sua denúncia

Leia mais

BIBLIOTECA

Publicações, atas, etc.

Leia mais

PERGUNTAS FREQUÊNTES

Tire sua dúvida

Leia mais

Como Chegar

Clique no atalho ao lado