PROJETO NACIONAL DE MONITORAMENTO DO PINGUIM-DE-MAGALHÃES (SPHENISCUS MAGELLANICUS)

O Brasil é o país que detém a maior biodiversidade em todo o mundo.

Zelar pela conservação da rica avifauna nacional é responsabilidade de cada cidadão brasileiro, porém as iniciativas e medidas a serem adotadas devem ser tomadas de maneira organizada e conjunta, em prol de um objetivo comum. Assim, é importante a união de esforços dos governos, da sociedade civil e das instituições de ensino e pesquisa, visando à conservação da nossa biodiversidade. Ao se considerar ainda a distribuição geográfica transfronteiriça de algumas espécies, acordos e cooperação internacional também devem ser considerados e almejados.

O pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) é uma espécie de ave marinha classificada como Quase Ameaçada (IUCN, 2010). Se reproduz em colônias numerosas distribuídas pela Argentina, Ilhas Falkland (Malvinas) e Chile, realizando anualmente movimentos migratórios sazonais para o Brasil.Com o propósito de evitar o agravamento da situação de ameaça do pinguim-de-Magalhães, iniciou-se em 2010 a elaboração conjunta de um Projeto Nacional de Monitoramento da espécie, buscando sua construção e implementação coletiva. Este processo envolveu atores da sociedade e do governo brasileiros.

O intuito deste Projeto é ampliar o conhecimento sobre o pinguim-de-Magalhães no Brasil e otimizar os esforços de pesquisa, reabilitação e monitoramento, possibilitando a contribuição e integração de iniciativas em prol da conservação. Tratando-se de uma espécie migratória, estas iniciativas devem ser consideradas em conjunto com outros países da América do Sul, que detém as colônias reprodutivas.

Este Projeto Nacional de Monitoramento consiste em uma importante união de esforços e ao compilar as informações disponíveis sobre a biologia da espécie, identifica os principais fatores de ameaça e propõe uma série de medidas para implementação em duas áreas temáticas principais (pesquisa e reabilitação/soltura), identificando atores potenciais e seguindo uma escala de prazos e prioridades, cujo principal objetivo é contribuir para a conservação da espécie em longo prazo.

Após a implementação, as ações deste Projeto deverão ser monitoradas anualmente pelos participantes e o Projeto deverá ser revisado a cada cinco anos (primeira revisão programada para 2015). Esta metodologia foi proposta como forma de monitorar e avaliar o sucesso das ações propostas e executadas, além de atualizar as necessidades de conservação. Entretanto, salientamos que revisões emergenciais poderão ser efetuadas, a qualquer tempo, caso alguma mudança inesperada ameace a espécie.

Agradecemos a todos os participantes do workshop que foi realizado de 26 a 29 de outubro de 2010 e a todos os colaboradores que trabalharam na formulação deste Projeto, em todas as suas fases, demonstrando comprometimento com a conservação da biodiversidade brasileira.

Neste site é possível ter acesso ao texto na íntegra desta iniciativa, assim como acessar os arquivos e resultados das ações sendo implementadas.

Arquivos para download:

Cartilha do projeto

Manual de campo 

Boletim Pinguins no Brasil Nº 1

Boletim Pinguins no Brasil Nº 2

Boletim Pinguins no Brasil Nº 3

Pesquisadores cadastrados no banco de dados do Projeto Nacional de Monitoramento do Pinguim-de-Magalhães

Projetos ativos cadastrados no banco de dados do Projeto Nacional de Monitoramento do Pinguim-de-Magalhães


Patricia Pereira Serafini
Médica Veterinária, M.Sc. Biologia
Analista Ambiental CEMAVE / ICMBio / MMA
Centro Nacional de Pesquisa e Conservação das Aves Silvestres - CEMAVE
Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio
Ministério do Meio Ambiente - MMA


Base Multifuncional do CEMAVE em Florianópolis/SC
Estação Ecológica Carijós - ICMBio
Rodovia Maurício Sirotski Sobrinho s/n, SC 402 – km02, trevo Jurerê
CEP: 88.053-700, Florianópolis/SC
Telefone (fax): (48)3282-2163 ou 3369-4231 ou 3369-0340