destaque veadeiros

Parque Nacional da chapada dos veadeiros

Criado em 1961, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está localizado no nordeste do Estado de Goiás, entre os municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante e Colinas do Sul. Protegendo uma área de 65.514 ha de cerrado de altitude, possui formações vegetais únicas, centenas de nascentes e cursos d’água, rochas com mais de um bilhão de anos, além de paisagens de rara beleza, com feições que se alteram ao longo do ano. O Parque também preserva áreas de antigos garimpos, como parte da história local e foi declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO, em 2001.

Além da conservação, o Parque tem como objetivos a pesquisa científica, a educação ambiental e a visitação pública. A caminhada e os banhos de cachoeira são as principais atividades no Parque, nas imensas paisagens da Chapada, numa viagem pelo Cerrado brasileiro nas antigas rotas usadas por garimpeiros, hoje utilizadas pelos visitantes.

btn institucional

btn topo

Quando Ir

O Parque pode ser visitado durante o ano todo. Normalmente, o período de seca vai de maio a outubro e as chuvas se estendem de novembro a abril.

btn topo

Como chegar

A entrada do Parque está localizada no distrito de São Jorge, a 36 km do município de Alto Paraíso de Goiás.

De Brasília-DF, são cerca 260 km até a entrada do Parque. O acesso é feito pela BR-020, em direção à Formosa-GO. No trevo, pegar a BR-010, sentido Alto Paraíso. Após cruzar a divisa do Distrito Federal com Goiás, a BR-010 passa a se chamar GO-118. Chegando a Alto Paraíso, vire no trevo à esquerda em direção a São Jorge e siga pela GO-239 por mais 22 km de rodovia asfaltada e 14 km em estrada de terra.

O caminho de São Jorge até a portaria do Parque tem menos de 1 km de extensão, sendo possível ir caminhando, de bicicleta ou de carro. Nos períodos com maior fluxo de visitantes (meses de férias escolares e feriados prolongados), o estacionamento fica lotado e a estrada de acesso ao Parque pode se tornar intrafegável, portanto, recomendamos que deixe o seu carro em São Jorge.

Distâncias da portaria do Parque aos centros mais próximos:

Brasília: 260 km

Goiânia: 460 km


Clique aqui para ver no mapa como chegar ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros a partir de Brasília/DF 

btn topo

Ingressos

Atualmente, não há cobrança de ingresso de acesso ao Parque.

btn topo

Atrativos

Os visitantes podem percorrer quatro trilhas para chegar aos atrativos do Parque Nacional: Travessia das Sete Quedas, Trilha dos Saltos, Trilha dos Cânions e Trilha da Seriema. Veja abaixo as informações sobre cada uma delas (extensão, duração estimada, nível de dificuldade e descrição):

 

ATENÇÃO: Antes de prosseguir, clique aqui e leia as Diretrizes para a Travessia das Sete Quedas.

 

***Clique aqui para efetuar sua reserva 

 

Extensão aproximada: 23,5 km 

Duração estimada: A Travessia pode ser percorrida em 2 ou 3 dias, se o visitante optar por permanecer um dia a mais acampado.

Nível de dificuldade: difícil

Sinalização: setas laranjas

No início do percurso, o visitante deve seguir as setas vermelhas por 3 km e seguir a bifurcação à direita para a Travessia das Sete Quedas. A partir dali, as setas são na cor laranja. Chegando ao Cânion 1, há uma placa indicando o início da Travessia. A paisagem possui diversas fisionomias, como campos rupestres, veredas, além do cerrado strictu sensu até a primeira passagem do Rio Preto, onde deverá cruzar a diagonal formada pelos dois postes laranja, um em cada lado da margem. Até ali, o visitante percorreu 10 km. Após atravessar o rio, o visitante irá percorrer mais 7km por uma trilha histórica da época do garimpo, conhecida como fiandeiras, passando por campos sujos e limpos e adentrando pelo cerrado rupestre até chegar ao camping das Sete Quedas, próximo ao Rio Preto, com água de boa qualidade e capacidade para 15 barracas. Está prevista a instalação de banheiro seco em breve. Até que isso aconteça, a capacidade de suporte da Travessia será reduzida.

A partir do camping, a trilha continua margeando o rio Preto pelas pedras por cerca de 500 metros e o visitante deverá ficar atento às setas laranja que apontarão para o poste também laranja do outro lado do rio, indicando o melhor ponto da segunda passagem do Rio Preto. Depois, a trilha continua por pouco mais de 6 km pelo cerrado rupestre, passando pela torre da Mata Funda e finalizando na rodovia GO-239. 

ATENÇÃO: a travessia termina fora do Parque Nacional, na beira da estrada, a cerca de 12 km de São Jorge e 24 km de Alto Paraíso. Portanto, o visitante deverá contratar por conta própria o serviço de traslado.

CLIQUE AQUI PARA VER A LISTA DE OPERADORAS DE ECOTURISMO DA CHAPADA DOS VEADEIROS

O PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DOS VEADEIROS/ICMBio NÃO SE RESPONSABILIZA PELA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELAS OPERADORAS.

Guia de Bolso com mapa

Termo de Conhecimento de Riscos e Normas 

Banner de divulgação

Extensão aproximada: 11 km ida e volta

Duração estimada: 4h - 6h, conforme o tempo que o visitante permanecer nos atrativos

Nível de dificuldade: médio/difícil

Sinalização: setas amarelas

O percurso é feito na maior  parte do tempo em terreno acidentado e bastante pedregoso. Na ida, inclui a passagem pelo Garimpo, considerado  o maior garimpo de cristal de quartzo da região quando estava em atividade (1912 a 1961). Nesta área do Parque são avistadas lindas veredas e tem-se uma bela noção do verdadeiro esplendor da Chapada dos Veadeiros. Depois de aproximadamente 4 km de caminhada, chega-se ao Mirante do Salto de 120m do Rio Preto, ponto alto do percurso, de onde se vê a queda d’água do Rio Preto, de perder o fôlego. A 800 metros dali está o Salto de 80m, onde é possível tomar banho no rio, em área limitada devido ao nível da água. 

Depois de uma subida bastante íngreme de cerca de 800 metros, que requer cuidados para pessoas com problemas respiratórios, hipertensão arterial e asmáticos, e mais 1,5 km de caminhada chega-se às Corredeiras do Rio Preto, onde também é possível  tomar banho de rio, nas hidromassagens formadas em suas pequenas quedas. A caminhada final até a portaria tem mais 3 km, portanto, é preciso ficar atento com o horário de fechamento do Parque, às 18h.

Extensão aproximada: 12 km ida e volta

Duração estimada: 4h – 6h, conforme o tempo que o visitante permanecer nos atrativos

Nível de dificuldade: médio/difícil

Sinalização: setas vermelhas

O percurso é feito em trilha pedregosa, plana sem muitos aclives, passando por lugares com sombra, bicas com água e paisagens belíssimas. Após cerca de 5km de caminhada, chega-se a uma bifurcação. Seguindo à esquerda mais 1 km, o caminho leva à Cachoeira da Carioca. À direita, por cerca de 800m, está o Cânion II.

Na Cachoeira da Carioca o Rio Preto se divide em duas quedas. A descida até o poço é íngreme e requer atenção redobrada. Lembre-se: não se arrisque sem necessidade e se não estiver seguro. Voltando pelo mesmo caminho em meia hora de caminhada o visitante chegará ao Cânion II, por onde se atravessa blocos de pedra até chegar a um enorme poço para banho. Na época das chuvas, somente um pequeno trecho do poço é utilizado, devido à forte correnteza do Rio Preto. 

A caminhada final até a portaria tem cerca de 3,5 km de extensão.

Extensão aproximada: 800m ida e volta

Duração estimada: 1h30

Nível de dificuldade: fácil

Sinalização: setas azuis 

O percurso ocorre em terreno plano e bem marcado até chegar no córrego rodoviarinha, onde é possível tomar banho na época das chuvas. Esta trilha é recomendada para pessoas com dificuldade de locomoção, como idosos, grávidas e crianças.

btn topo

O Que Fazer

  • Caminhadas
  • Observação de fauna
  • Banhos de cachoeira
btn topo

Orientações

REGISTRO DE ENTRADA

Na entrada do Parque, o registro dos visitantes é feito mediante o preenchimento do Termo de Conhecimento de Riscos e Normas.

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

O Parque é aberto à visitação de terça a domingo. Em casos de feriados nas segundas-feiras, o Parque permanecerá aberto neste dia, fechando no primeiro dia útil subsequente.

Em janeiro e julho, meses de férias escolares, o Parque fica aberto todos os dias.

Entrada: 8h às 12h

Saída: até 18h00 

CAPACIDADE DE VISITAÇÃO

Visando enriquecer a experiência da visitação e manejar os impactos sobre o ecossistema do Parque, a visitação é limitada por trilha:

- Travessia das Sete Quedas: 15 pessoas acampadas/noite

- Trilha dos Saltos: 250 visitantes/dia

- Trilha dos Cânions: 200 visitante/dia

- Trilha da Seriema: devido à baixíssima procura pelos visitantes, não foi estabelecida capacidade de suporte desta trilha.

Obs.: Não será admitida a entrada de visitantes naquele atrativo que atingir o limite diário de pessoas, portanto, chegue mais cedo nos dias de grande fluxo, como férias e feriados prolongados. 

RECOMENDAÇÕES

  • Prepare-se para a caminhada:
  • Saiba se você tem o preparo físico adequado para percorrer as trilhas do PNCV. Caminhar no cerrado, mesmo com tempo nublado, é uma atividade muito desgastante.
  • Tome um café da manhã bem reforçado. Mesmo que você não esteja acostumado a comer logo pela manhã, faça um esforço, pois as caminhadas exigirão muito de você, por isso é bom estar preparado.
  • Leve bastante água e um bom lanche, mas evite vasilhames de vidro ou enlatados. Prefira alimentos leves como frutas, castanhas, sanduíches (sem maionese), banana e uva desidratada.
  • Utilize roupas adequadas, boné e tênis ou outro calçado fechado. Chinelos e sandálias abertas não combinam com trilhas e, se arrebentarem, tornarão sua experiência desagradável.
  • Leve protetor solar e repelente.
  • Leve seus remédios de usos específicos, como antialérgicos, e de uso controlado, como pressão, asma e outros.
  • Na época das chuvas, traga um anoraque (ou capa de chuva) e roupa reserva para trocar após o passeio. Dica: embale roupas e equipamentos eletrônicos em um saco estanque para mantê-los secos.
  • Siga as normas e as orientações dos funcionários do Parque, condutores de visitantes e bombeiros, especialmente  nas áreas de banho, pois elas visam  a proteção dos ambientes e dos próprios visitantes.
  • Observe, mas não recolha flores e pedras dos locais que você está visitando, nem moleste os animais.
  • Todo lixo que você produzir deverá ser  trazido de volta à cidade, inclusive o lixo orgânico.
  • Atividades em ambientes naturais envolvem riscos e o Parque Nacional não conta com serviço de resgate, portanto, aja com moderação. Evite atitudes que possam causar acidente, como subir em pedras ou árvores e saltar no rio de lugares altos. Lembre-se: VOCÊ É O PRINCIPAL RESPONSÁVEL POR SUA SEGURANÇA!

Atenção: Em épocas de chuva existe o risco de ocorrência de trombas d´água, fenômeno decorrente do acúmulo de água na cabeceira do rio, provocando uma enchente repentina arrastando o que estiver em seu curso. 

 

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros RECOMENDA a contratação de um condutor local de visitantes autorizado para enriquecer sua experiência e seu aprendizado sobre a biodiversidade, geografia e cultura regionais, além de contribuir para sua segurança.

CLIQUE PARA VER A LISTA DE CONDUTORES DE VISITANTES E OPERADORAS DE ECOTURISMO LOCAIS

RESTRIÇÕES

Não são permitidos:

  • O acesso de crianças menores de 5 anos, tendo em vista a dificuldade de deslocamento.
  • A entrada nas áreas de visitação com bebidas alcoólicas ou qualquer outra droga, legal ou não, que limite os reflexos e a capacidade de coordenação motora do indivíduo. Fumar, além de ser proibido no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, não combina com o ambiente e atrapalha a experiência dos outros visitantes. Respeite-os.
  • O uso de bronzeador, xampu e sabonete nos banhos de rio.
  • A entrada de animais domésticos.
  • O ingresso e a permanência na unidade de visitantes portando armas, materiais ou instrumentos destinados a corte, caça, pesca ou quaisquer outras atividades prejudiciais à fauna e à flora.
  • A utilização de aparelhos ou instrumentos sonoros dentro do Parque, excetuando-se os casos necessários à fiscalização, busca e salvamento. .
btn topo