dest itatiaia
logo parques

Parque Nacional do Itatiaia

 

Imagem: Rudi Böhm

 

O parque possui vários atrativos tanto na parte alta quanto na parte baixa da unidade. Na alta encontram-se atrativos naturais como o Pico das Agulhas Negras, Maciço das Prateleiras, Vale do Aiuruóca e a Pedra do Altar. Já na baixa, encontram-se o Lago Azul, Cachoeira Poranga, Piscina Natural do Maromba, Cachoeira Itaporani, Cachoeira Véu de Noiva e os Três Picos.

btn institucional

btn topo

Quando Ir

O Parque pode ser visitado a ano todo, mas o melhor período para conhecer a parte alta é durante o inverno. Enquanto que a parte baixa pode ser desfrutada durante todo ano, mesmo no verão, porém é época de grande incidência de chuva.

Horários

O horário de funcionamento é diferente para a parte baixa e parte alta do parque:

Na parte baixa o horário para ingresso inicia-se às 08h00, com permanência até às 17h00.

E na parte alta, o horário para ingresso é das 07h00 às 14h30. A permanência estende-se até às 18h00, impreterivelmente.

btn topo

Como Chegar

 

O Parque Nacional do Itatiaia está localizado na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, próximo ao estado de São Paulo, na Serra da Mantiqueira.

Na região Sul Fluminense, também conhecida como Região das Agulhas Negras, o Parque Nacional do Itatiaia (PNI) abrange municípios de Itatiaia e Resende. Já no sul de Minas Gerais, abrange parte dos municípios de Itamonte e Bocaina de Minas.

Situa-se geograficamente entre os paralelos 22º19' e 22º45' latitude sul e os medianos 44º15' e 44º50' de longitude W.

Disponível também o mapa de acesso ao Parque no Google.

Como Chegar Clique Para Ampliar

Sede do Parque (parte baixa)

Saindo do Rio de Janeiro ou São Paulo, o visitante deve seguir pela Rodovia Presidente Dutra (BR 116) até a cidade de Itatiaia, na altura do km 318. A viagem dura aproximadamente 2h 30min vindo do Rio de Janeiro e 3 horas saindo de São Paulo.

Planalto (parte alta)

Saindo do Rio de Janeiro ou São Paulo, o visitante deve seguir pela Rodovia Presidente Dutra (BR 116) até o povoado de Engenheiro Passos, 12 Km depois de Itatiaia. E seguir pela BR 354, na estrada Rio-Caxambú (Circuito da Águas) por 23 Km, até o local conhecido como Garganta do Registro, a 1.669 metros de altitude. A partir daí começa a subida de 14 km até o Posto Marcão (antigo Posto 3) e mais 3 km até o Abrigo Rebouças.

 

Abaixo há uma tabela com as principais distâncias entre as duas entradas oficiais do Parque, Posto 1 e Posto Marcão. A primeira parte da lista é composta das principais metrópoles, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Em seguida os municípios e distritos nas quais se hospedam visitantes do Parque, ou por serem localidades referenciais para o acesso ao Parque.

Tabela Distância PNI

                                                    Fonte: Google Maps (http://maps.google.com/maps?ct=reset)

 

Os principais pontos de chegada de ônibus ao Posto 1 são o Terminal Rodoviário de Resende, também conhecido como Rodoviária Graal, localizado a aproximadamente 24 km, na Rodovia Presidente Dutra e o Terminal Rodoviário Jorge Miguel Jayme, do Município de Itatiaia, localizado a, aproximadamente 5 km. 
 
Para chegar à Parte Alta do Parque, a Viação Cidade do Aço faz o trajeto Resende (rodoviária) – Caxambu, onde o visitante deve descer na Garganta do Registro, e seguir caminhando até o Posto Marcão.
 
Os aeroportos principais mais próximos ao Parque são: o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão - Antônio Carlos Jobim (Rio de Janeiro, RJ), localizado a aproximadamente 178 km do Posto 1; e o Aeroporto Santos-Dumont (Rio de Janeiro, RJ), localizado a aproximadamente 184 km do Posto 1.
 
Um pouco mais distante encontram-se: o Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos - Governador André Franco Montoro (Guarulhos, SP), localizado a aproximadamente 238 km do Posto 1; e o Aeroporto de Congonhas (Sâo Paulo, SP), localizado a aproximadamente 281 km do Posto 1.

 

btn topo

Ingressos

O valor de ingresso individual é R$ 25,00. O visitante brasileiro tem desconto de 50%, ou seja, paga R$ 12,50.

Há desconto para os moradores do entorno do Parque, abrangendo os munícipios de Itatiaia e Resende do estado do Rio de Janeiro e os Municípios de Bocaina de Minas e Itamonte do estado de Minas Gerias. O desconto é de 90%. Para mais informações clique aqui para ler a Ordem de Serviço.

O desconto entorno não será válido nas datas abaixo:

 

  • 01 a 05 de março de 2014 – Carnaval
  • 18 a 23 de abril de 2014 – Semana Santa
  • 01 a 04 de maio de 2014 – Dia do Trabalhador
  • 19 a 22 de junho de 2014 – Corpus Christi
  • 20 a 23 de novembro de 2014 – Dia da Consciência Negra
  • 24 a 28 de dezembro de 2014 – Natal
  • 31 de dezembro/14 a 04 de janeiro/2015

 

Caso o visitante pretenda visitar o Parque Nacional do Itatiaia por mais de um dia, terá direito a um desconto 50% (final de semana e feriado) a 90% (dia de semana) sobre os valores do ingresso integral individual.

Por exemplo (para o visitante brasileiro):

  • Final de semana – (sábado e domingo) = R$ 12,50 + R$ 6,25 = R$ 18,75 de valor individual
  • Final de semana + 1 dia de semana – ( sábado, domingo, segunda) = R$ 12,50 + R$ 6,25 + R$ 1,25 = R$ 20 de valor individual
  • Final de semana e feriado – (sábado, domingo, segunda-feriado) = R$ 12,50 + R$ 6,25 + R$ 6,25 = R$ 25,00 de valor individual
  • Dias de semana (dois dias consecutivos) – R$ 12,50 + R$ 1,25 = R$ 13,75

 Taxas de hospedagem para abrigos e camping:

  • Abrigo Rebouças e Abrigo Água Branca - R$ 10 por dia e por pessoa
  • Camping Rebouças - R$ 6 por dia e por pessoa

OBS.: Tanto os abrigos quanto o camping não são contemplados pelo desconto entorno!

 

Importante:

  • Menores até 12 anos de idade e maiores a partir de 60 anos são isentos de taxas.
  • O Parque não aceita cheques nem cartões.
  • Os valores de taxas de estacionamento não serão cobrados temporariamente.
  • Conforme a Portaria ICMBio nº 211 de 10/07/2013, os ingressos foram reajustados no dia 20/09/13. Para maiores informações, clique aqui.
btn topo

Atrativos

Lago Azul

Foto: Carla Maronezi

 

O Lago Azul é a atração natural mais próxima do Centro de Visitantes, ficando a mais ou menos 500 metros deste. A trilha é bem acessível para toda a família, exceto sua escadaria com aproximadamente 120 degraus, que requer cuidado por parte dos mais idosos. O percurso leva à piscina natural do rio Campo Belo, local bem recomendado para o banho. Próximo encontram-se quiosques, que podem ser utilizados mediante pagamento extra efetuado no portão principal do parque. Existe uma segunda opção de trilha, mais longa e sem degraus, o que permite uma caminhada mais leve e segura para os mais idosos e pessoas com dificuldade de locomoção. 

 

Foto: Carla Maronezi

 

O Quiosque do Lago Azul está disponível das 08hs às 17hs para uso dos visitantes como espaço para lanches e refeições familiares.

A churrasqueira pode ser usada por no máximo 10 pessoas, com direito a um carro por churrasqueira. Os demais carros deverão estacionar no estacionamento do Centro de Visitantes.

Centro de Visitantes

Foto: Walter Behr

 

O Parque recebe um número expressivo de visitantes e o Centro de Visitantes é o epicentro de todas as informações sobre ele.

A MAQUETE faz uma representação tridimensional de todo o Parque

A exposição DESCOBRINDO O PARQUE apresenta um acervo botânico, zoológico e petrológico, exposto em dioramas representados o Vale do Paraíba, a Face Norte, a Face Sul e os Campos de Altitude.

A sala de EXPOSIÇÕES ITINERANTES acolhe trabalhos relacionados a arte, cultura e meio ambiente.

A SALA INTERATIVA é um espaço destinado às atividades educativas.

A EXPOSIÇÃO DE MONTANHISMO resgata a história do montanhismo no Parque antes mesmo de sua criação.

O AUDITÓRIO TOM JOBIM é o ponto de encontro para as atividades culturais e eventos institucionais. Uma videoteca está à disposição dos visitantes.

A CALÇADA DA FAUNA reproduz as pegadas de diversos animais da Mata Atlântica.

Complexo Maromba

 

Foto: Daniel Toffoli

Véu de Noiva

                                                                                                                          

O Complexo Maromba fica a 4km de subida do Centro de Visitantes. Compreende a Piscina Natural do Maromba, a Cachoeira Itaporani e a Cachoeira Véu de Noiva. Estacionando após a ponte o visitante tem acesso a estas três atrações.

 

Foto: Wigold Bertoldo

Piscina Natural do Maromba

A Piscina Natural do Maromba fica a 1.100 metros de altitude. É onde o rio se acalma para formar uma grande piscina natural, cujo acesso se dá descendo uma escadaria de aproximadamente 50 metros após a ponte. De grandes dimensões, a piscina é muito utilizada por banhistas experientes.

 

ICMBio

Cachoeira Itaporani

 

A Cachoeira Itaporani, fica a mais ou menos 7000 metros a partir da ponte. Localiza-se no final de uma trilha que adentra a mata. Descendo pela escada de madeira plástica, o visitante pode vislumbrar a bela cachoeira e o lago que ela forma.

No meio do caminho para a Cachoeira Itaporani temos acesso a outra trilha que, seguindo 260 metros, leva à Cachoeira Véu de Noiva. No final de uma rústica picada, com a ponte de madeira plástica e escadas de pedra, chega-se a uma parte do rio Maromba, que cai repentinamente de uma altura de 40 metros, formando a belíssima cachoeira. Na época do verão suas águas se avolumam fazendo jus ao nome: Cachoeira Véu de Noiva.

Três Picos

Foto: Carla Maronezi

Três Picos

 

Os Três Picos é um outro atrativo que pode ser acessado por meio de uma trilha íngreme de 6 km por dentro da Mata Atlântica. O desafio requer quase o dia todo de caminhada. O lugar oferece uma boa visão do vale do Rio Paraíba, do parque e dos contrafortes da Serra da Mantiqueira e da Serra do Mar. Para acesso a esse atrativo é necessário o preenchimento de um Termo de Responsabilidade na portaria do Parque, no Centro de Visitantes ou no Complexo Maromba.

Pedra da Fundação

ICMBio

 

PEDRA DE FUNDAÇÃO: Marco do primeiro Parque Nacional do Brasil, o presidente Getúlio Vargas, sendo o ministro da agricultura o Dr Odilon Braga, criou o Parque Nacional de Itatiaia pelo decreto 1713 de 14 de junho de 1937.

Mirante do Último Adeus

ICMBio

Vista do Mirante do Último Adeus

 

Por último, ainda em direção à saída do parque você pode visitar o Mirante do Último Adeus. Local com uma vista panorâmica e privilegiada do parque, do Vale do rio Campo Belo e da Serra do Mar.

Para visitar a Parte Alta, o visitante deverá preencher o Termo de Responsabilidade. Adiante seu check-in imprimindo aqui.

 

Pico das Agulhas Negras



O maciço das Agulhas Negras é a principal elevação no planalto, seu pico atinge 2.791,55 m, o ponto mais alto do Parque e quinto mais alto do país segundo dados do IBGE de dezembro de 2004 (IBGE, 2011). O visitante tem a opção de caminhar apenas até a base ou seguir até o cume, sendo essas opções escolhidas já no Posto Marcão, onde existe hoje o controle dos visitantes.
O acesso é feito a partir do Abrigo Rebouças, caminhando por áreas de Campos de Altitude. Até a base das Agulhas Negras são 1.300 m que podem ser percorridos em aproximadamente 45 minutos. O tempo de ascensão varia de acordo com a via a ser utilizada, pois o maciço possui mais de 20 vias de escalada com diferentes graus de dificuldade.

Foto: Adriana Mattoso Agulhas-Negras01 Agulhas-Negras03

 

Os 2.791 metros de altitude, podem ser alcançados em duas etapas. a primeira, requer cerca de 45 minutos de caminhada moderada do visitante até a base - a partir do Abrigo Rebouças. Depois, mais ou menos duas horas de subida pesada até o topo. Exige experiência, pois certos trechos da subida só são possíveis com apoio de uma corda de segurança. Além dessa, o Pico tem outras vias de escalada.

Além da visitação normal, o local é utilizado também para treinamento de grupos especiais e militares. Nessas ocasiões o acesso ao maciço é limitado para os grupos em treinamento, sendo as informações divulgadas na BR-485, próximo à Garganta do Registro.

A partir do topo do maciço das Agulhas Negras é possível a visualização panorâmica da região – Vale do Paraíba, maciço das Prateleiras e planalto mineiro. Possui escalada de diferentes níveis de dificuldade, atendendo a diferentes públicos. E o acesso até a base é fácil, sem muitos desníveis do terreno. A parceria com instituições como a AMAN podem trazer benefícios às áreas de visitação pública como a limpeza de fossas, manutenção de estradas, doação de materiais para reforma de estruturas, e também para assistência em casos de incêndio. A limpeza de fossa é feito uma vez ao ano pela AMAN.


Maciço das Prateleiras

Prateleiras010 Prateleiras08 Prateleiras01 Prateleiras02 Prateleiras09

 

Formado por imponentes blocos de rocha e seu cume está a 2.539 m de altitude. Encontra-se em região com vegetação de Campos de Altitude e possui muitas vistas panorâmicas, destacando-se o Vale do Paraíba. Nos arredores do maciço também podem ser encontrados a Pedra da Maçã, Pedra da Tartaruga, Pedra Assentada, atrativos amplamente divulgados e visitados.
A trilha para as Prateleiras tem seu início próximo ao final da estrada BR 485, isto é, local até onde chegou a construção na época. Deste ponto inicia-se a Travessia Ruy Braga e a trilha para as Prateleiras é um ramal. Da mesma forma que as Agulhas Negras, o visitante tem a opção de caminhar apenas até a base ou seguir até o cume.

Oportunidades: Presença de variedade de atrativos, desde pontos com belas vistas panorâmicas do parque e presença de formações peculiares até a atividade de escalada.

Cachoeira do Aiuruoca

Foto: Adriana Mattoso

 

Voltado para Minas Gerais, o Vale do Aiuruoca, conta com a geladíssima Cachoeira do Aiuruóca e a formação rochosa Ovos da Galinha. Para chegar o visitante terá que fazer uma caminhada moderada, a partir do Abrigo Rebouças. No caminho, podem-se ver as formações Asa do Hermes e Pedra do Altar.

Pedra do Altar

Foto: Marcelo Motta

 

A Pedra do Altar, com 2.665 metros de altitude, é uma formação rochosa acessível por caminhada através de trilha. No local existem diversas vias de escalada em sua face oeste.

Abrigo_Reboucas

Foto: Wigold Bertoldo

 

Com sua construção já concluída na primeira metade dos anos 50 do século passado, na gestão de Wanderbilt Duarte de Barros, o Abrigo Rebouças passou a ser o abrigo público mais alto do Brasil (altitude de 2350 metros), sendo um típico abrigo de montanha. Batizado como Rebouças desde a sua inauguração, homenageia o engenheiro civil, botânico e geólogo André Pinto Rebouças (1838-1898), pioneiro em vários temas, destacando-se como um combativo abolicionista e, à sua época,  um dos maiores incentivadores para a criação de parques nacionais. Próximo do abrigo, o represamento do Rio Campo Belo é parte de uma pequena hidrelétrica que por algum tempo forneceu energia ao mesmo, mas sem conseguir atingir a carga suficiente, vindo a ser desativada. Entre os anos de 1997 e 1998, mediante um cabeamento subterrâneo, o abrigo voltou a ter energia elétrica. Também naqueles anos foi instalado um sistema à gás para aquecimento de água, atualmente desativado.

Durante muitos anos, antes da construção do atual Posto Marcão, o abrigo serviu como posto de serviço dos funcionários do Parque, que ali permaneciam, normalmente, em escala de 15 dias, dividindo as instalações com os montanhistas, excursionistas, turistas e demais visitantes.

A mais recente obra de recuperação do abrigo ocorreu no final do ano de 2006, ocasião em que o Parque contou com o apoio da Academia Militar das Agulhas (AMAN), do Grupo Excursionista Agulhas Negras (GEAN) e da Associação de Guias de Montanha das Agulhas Negras (AGUIMAN) para realizá-la. Nesta reforma houve a retirada do fogão a lenha e da chaminé.

Atualmente, parte das instalações do abrigo ficam permanentemente reservada ao uso pelo Parque. 

Clique aqui para consultar as regras.

Para reservas, acesse o formulário clicando aqui.

OBS.: A taxa de hospedagem para o abrigo é de R$ 10 (por dia e por pessoa). Esta taxa não é contemplada pelo desconto entorno.

Camping

Foto: Edson Ferreira Santiago

 

Ao lado do Abrigo Rebouças temos um espaço para  camping, com  15 (quinze) vagas para barracas de até 3 pessoas. Apenas 10 (dez) vagas poderão ser reservadas, as outras 5 (cinco) ficarão disponíveis  para os  visitantes que chegarem sem reserva no Posto Marcão. Essas vagas serão ocupadas por ordem de chegada.

Clique aqui consulte as regras de uso e ocupação no camping.

OBS.: A taxa de hospedagem para o camping é de R$ 6 (por dia e por pessoa). Esta taxa não é contemplada pelo desconto entorno.

 

Para reservas, acesse o formulário clicando aqui.

Para acessar as regras para travessias, clique aqui.

 

Ruy Braga

Foto: Marcelo Motta

 

Travessia Ruy Braga (Rebouças – Sede)
a) Execução nos dois sentidos Rebouças -Sede e Sede –Rebouças;
b) A capacidade máxima é de 20 (vinte) pessoas/dia;
c) O pernoite é permitido na área do abrigo Massena ou abrigo Água Branca, devendo ser especificado no agendamento;
d) A travessia pode ser feita em até 2 (dois) dias; ou em um dia, sem pernoite;
e) O responsável pelo grupo deverá informar a chegada ou partida ao vigilante de serviço nos postos indicados abaixo. Caso a chegada seja no planalto deve ser informada no posto de controle (posto Marcão);
No caso da chegada na parte baixa, informada no posto Maromba; e caso ocorra após às 17:00 h deverá ser informada ao vigilante de serviço no posto 2, localizado próximo da sede do parque.
f) Em qualquer que seja o sentido (subindo ou descendo) o início deverá ocorrer até às 10:00h.

 

Ruy Braga com Água Branca

Foto: Walter Behr

Abrigo Água Branca

 

O novo Abrigo do Parque já está disponível para os visitantes que desejam caminhar pela Travessia Ruy Braga, no alto da montanha é um convite para contemplar o nascer e o pôr do sol.

Clique aqui e consulte as regras de uso e ocupação no Abrigo Água Branca.

OBS.: A taxa de hospedagem para o abrigo é de R$ 10 (por dia e por pessoa). Esta taxa não é contemplada pelo desconto entorno.

Serra Negra

Travessia da Serra Negra (Rebouças – Santa Clara)
a) Execução no sentido Rebouças – Mauá, com chegada na área de Santa Clara;
b) O itinerário se inicia no posto Marcão, passa pelo Rebouças e segue o mesmo caminho que leva à cachoeira do Aiuruoca, onde inflete na direção geral da calha do rio Aiuruoca, indo encontrar o antigo itinerário no local onde duas construções de madeira são conhecidas como Cabanas do Aiuruoca. Dali segue o caminho antigo;
c) A capacidade máxima é de 40 (quarenta) pessoas/dia;
d) O local permitido para pernoite é na área particular conhecida como Matão;
e) A travessia poderá ser feita em até dois dias; ou em um dia, sem pernoite;
f) Ao final da travessia o responsável do grupo deverá depositar o cartão de controle na urna existente no posto do Parque em Visconde de Mauá e entrar em contato com o parque por telefone nos números (24) 3352-1292/3352-2288/3352-6894 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , avisando de sua saída.
g) O Parque não se responsabiliza pelo agendamento da estadia na área de pernoite no Matão. O interessado deverá fazer contato direto para acerto do pernoite, após ter obtido do setor de uso público a autorização para realizar a travessia;
h) O início deverá ocorrer até às 10:00h.

 Rancho Caído

3) Travessia Rebouças – Mauá (via Rancho Caído)

a) Execução no sentido Rebouças – Mauá, com chegada no vale das Cruzes;
b) O itinerário se inicia no posto Marcão, passa pelo Abrigo Rebouças e segue o mesmo caminho que leva à Cachoeira do Aiuruoca, onde segue na direção aos Ovos da Galinha, prosseguindo em direção ao Vale dos Dinossauros (nascente do Rio Preto) seguindo para o Rancho Caído (coordenadas: latitude 22º 22’ 11,66” Sul – longitude 44º 38’ 04,41” W), descendo pelo Mata Cavalo, entrando na mata e chegando no Vale das Cruzes;
c) A capacidade máxima é de 20 (vinte) pessoas/dia;
d) O local permitido para pernoite é apenas na área do Rancho Caído (coordenadas: latitude 22º 22’ 11,66” Sul – longitude 44º 38’ 04,41” W). Os usuários deverão atentar com bastante rigor os preceitos ambientais relativos a levar todo seu lixo de volta e aos dejetos humanos;
e) A travessia poderá ser feita em até dois dias; ou em um dia, sem pernoite;
f) Ao final da travessia o responsável do grupo deverá deverá depositar o cartão de controle na urna existente no posto do Parque em Visconde de Mauá e entrar em contato com o parque por telefone nos números (24) 3352-1292/3352-2288/3352-6894 ou pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , avisando de sua saída.
g) O início deverá ocorrer até às 10:00h.

Para acesso a esse atrativo é necessário o preenchimento de um Termo de Responsabilidade na portaria do Parque, no Centro de Visitantes ou no Complexo Maromba. Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:10.0pt; font-family:"Times New Roman","serif";}
btn topo

O Que Fazer

  • Banhos de cachoeira: na Parte Baixa, os locais para banho são o Lago Azul e as cachoeiras do Complexo do Maromba: Piscina do Maromba, Véu de Noiva e Itaporani. Já na Parte Alta, boas opções para banho são a Cachoeira das Flores e a Cachoeira do Aiuruoca;
  • Birdwatching (Observação de Aves): o Itatiaia é considerado um dos melhores locais do mundo para a observação de aves, o que pode ser feito tanto na Parte Baixa quanto na Parte Alta
  • Butterflywatching (Observação de Borboletas): as borboletas e mariposa podem ser observadas em todo o parque, sendo o horário da manhã o mais adequado;
  • Caminhadas: tanto na parte Baixa quanto na Parte Alta, ao longo das estradas e nas trilhas abertas à visitação;
  • Ciclismo em áreas permitidas: nas estradas, tanto na Parte Alta quanto na Parte Baixa
  • Escalada: especialmente nas formações rochosas na Parte Alta (Camelo, Couto, Prateleiras, Agulhas, Altar, etc) e na Parte Baixa, no Último Adeus;
  • Montanhismo: especialmente na Parte Alta, com diversas trilhas, travessias e escaladas; na Parte Baixa, a Trilha dos Três Picos oferece uma caminhada no meio da mata com um dia de duração
  • Observação de fauna: em todo o parque, ao longo das trilhas e estradas abertas ao público;
  • Pernoite autorizada nos abrigos e campings: Abrigo Rebouças, Abrigo Água Branca, camping próximo ao Rebouças e camping selvagem no Abrigo Massena e no Rancho Caído; 
  • Piquenique nas áreas permitidas: quiosques do Lago Azul, gramados do Centro de Visitantes na Parte Baixa. Na Parte Alta no Abrigo Rebouças e em diversos atrativos, como Altar, Base das Agulhas e Base das Prateleiras;
  • Travessias: Ruy Braga (Rebouças-Parte Baixa), Rebouças-Serra Negra-Morro Cavado-Mauá; Rebouças-Rancho Caído-Mauá (via Escorrega ou Vale das Cruzes) 

 

Travessias Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin-top:0cm; mso-para-margin-right:0cm; mso-para-margin-bottom:10.0pt; mso-para-margin-left:0cm; line-height:115%; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif"; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-bidi-font-family:"Times New Roman"; mso-bidi-theme-font:minor-bidi; mso-fareast-language:EN-US;}
btn topo

Orientações

Antes de programar sua ida ao parque nacional verifique se o roteiro (trilha ou travessia) que pretende fazer é permitido.

Atenção: Em épocas de chuva oriente-se com a administração do parque sobre a possibilidade de ocorrência de trombas d ´água, pois elas inviabilizam o acesso às cachoeiras. A tromba d´água é um fenômeno decorrente do acúmulo de água na cabeceira do rio, provocando uma enchente repentina arrastando o que estiver em seu curso.

Ao acessar qualquer uma das entradas do parque, lembre-se:

  • É proibido a entrada de animais domésticos;
  • Utilize apenas as trilhas autorizadas (certifique-se no portão de entrada);
  • Não temos lanchonetes e nem restaurantes;
  • Não é permitido o consumo de bebidas alcólicas;
  • Não existem áreas de acampamento autorizadas na parte baixa; e
  • Não é permitido fazer fogueira em áreas naturais. 

Para o visitante que vai à Parte Alta, o Parque possui, como opção, um Programa de Condutores de Visitantes, cadastrados, que podem auxiliar na experiência de visita. Assim mesmo, é necessário que o visitante assine um Termo de Responsabilidade que lhe é apresentado no Portão de entrada. Porém, não é obrigatório a contratação dos condutores, mas sim uma opção.

Veja mais:

Condutor de Caminhada – Caminhadas de um dia sem pernoite, na parte baixa e na parte alta do Parque Nacional, Incluindo base das Prateleiras, Asa de Hermes e o cume da pedra do Couto.
Condutor de Caminhada Avançada – Travessias com pernoite.
Condutor de Escalada – Ascensão do pico das Agulhas Negras pelas vias Pontão Ricardo Gonçalves, Normal e Bira, ascensão ao cume das Prateleiras pelas vias Norte e Sul.
Condutor de Escalada Avançada – Ascensão ao cumes e todas as vias de escalada do parque.
 
CondutorCategoriaNumeroEmail
Admilson da Silva Corrêa Caminhada e Caminhada Avançada (24) 99947-0373 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Alberto da Silva Guimarães Caminhada e Caminhada Avançada (24) 3360-8222 / 99999-3782 / 98159-1068 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Andrea da Silva Ribeiro Caminhada (35) 3363-1764 / 8436-2335 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Breno Lehmann de Morais Caminhada, Caminhada Avançada, Escalada e Escalada Avançada (24) 3352-4369 / 99242-7350 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Célia Regina da Mota Vieira Caminhada e Caminhada Avançada (24) 3352-5085 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Daniel Guimarães Fraga Caminhada (24) 3354-1708 / 98128-4471 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Daniele Muniz Batista Caminhada (24) 3351-1823 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Debora Andrade Leme Caminhada (24) 99932-8036 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Eduardo Cotrim Caminhada, Caminhada Avançada e Escalada (24) 3352-5085 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Elias José da Silva Caminhada (24) 3352-1223 / 99998-0872  
Evandro Azevedo Caminhada, Caminhada Avançada e Escalada (24) 98122-7873 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Fabio Gandra Caminhada, Caminhada Avançada, Escalada e Escalada Avançada (24) 98826-1036 / (21) 98248-5060 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Felipe Dias Oliveira Caminhada (35) 9196-771 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Felipe Guimaraes Caminhada, Caminhada Avançada e Escalada (35) 9119-9153 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Gabriel Fichter Zaccari Caminhada, Caminhada Avançada e Escalada (24) 3352-1050 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Graziela da Costa Vieira Caminhada (24) 98132-7547 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Ingrid Coelho Martins Caminhada e Caminhada Avançada (24) 98148-6992 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Lakshmi Devi Cáceres Caminhada (24) 99943-0659 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Marco Aurélio Fernandes da Silva Caminhada, Caminhada Avançada, Escalada e Escalada Avançada (24) 99843-7164 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Marcos Samuel Oliveira Almeida Caminhada (24) 3321-1943 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Maria de Fátima Chaves Caminhada e Caminhada Avançada (24) 98117-3279 / 3355-4982 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Moacir de C. Rodrigues Caminhada (24) 3351-1553 / 98811-2126 / 99818-8657 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Ralph Salgueiro Silva Caminhada e Caminhada Avançada (24) 99952-5962 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Ricardo Vieira Grijó Caminhada, Caminhada Avançada e Escalada (24) 98182-3033 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Rodrigo Macedo Caminhada, Caminhada Avançada e Escalada (24) 99902-9025 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Sérgio Pizaneschi Caminhada, Caminhada Avançada e Escalada (24) 99993-3061 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Tiago Barbosa da Silva Caminhada, Caminhada Avançada e Escalada (24) 99915-8277 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Vinicius Maltauro Caminhada, Caminhada Avançada, Escalada e Escalada Avançada (35) 9165-0298 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Vitor J. C. e Ferreira Caminhada (24) 99276-5651 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Portaria Condutores

ANEXO I - Minuta Termo de Autorização de Uso

ANEXO II - Ficha de Identificação

ANEXO III - Declaração de Compromisso

ANEXO IV - Termo de Conhecimento de Riscos e Normas

 

Processo de Credenciamento de Condutores de Visitantes 2014

 

Clique aqui para visualizar o edital.

Clique aqui para baixar as fontes de consulta de credenciamento dos condutores do ano de 2014.

Cartaz Divulgação Credenciamento Condutor

 

As trilhas e travessias no parque estão disponíveis conforme as novas diretrizes adotadas pelo parque, inclusive para a Travessia Serra Negra. Veja logo abaixo as diretrizes para trilhas e travessias.

Em breve informações...

  1. Para quem vai à parte alta, mesmo de mochila leve, as trilhas levam horas. Estabeleça um horário limite para estar de volta até 16h30. Volte no horário limite mesmo que não tenha chegado ao final da trilha. E tenha sempre uma lanterna e pilhas reservas na mochila.
  2. De mochila pesada (cargueira) as subidas podem levar mais horas. Fique atento aos caminhantes mais cansados ou lentos e nunca os deixe sozinhos.
  3. Monte a mochila de forma inteligente. Evite peso desnecessário e tente, na medida do possível, levar tudo dentro da mochila, embalando os itens em sacos plásticos para protegê-los de uma eventual chuva durante a caminhada.
  4. Existem trilhas largas e bem definidas. Já outras trilha tem trechos pouco definidos e requer bastante atenção do caminhante. À noite ou com neblina pode ser bem difícil encontrar o caminho.
  5. As temperaturas na parte alta do parque freqüentemente se aproximam de 0ºC. Leve agasalho suficiente e nunca esqueça toca, e uma boa capa de chuva, mesmo com previsão de bom tempo.
  6. Use os locais de acampamento existentes. Não abra novas clareiras nem faça fogueiras.
  7. Existem trechos muito exigentes. De mochila cargueira pode-se levar um dia inteiro. Existem subidas fortes, trechos íngremes na rocha e alguns trechos técnicos, onde pode ser necessário usar cordas, etc. Com muitas lajes de pedra, existem trilhas de difícil orientação. É recomendável ter um guia experiente ou a companhia de alguém que conheça bem o trajeto.
  8. Redobre a atenção e os cuidados em caso de chuva. Trechos íngremes podem ficar muito perigosos e o ato de caminhar no solo molhado aumenta bastante o desgaste da trilha. Por essas razões, em caso de previsão de mau tempo, consulte o vigilante de plantão na entrada do parque.
  9. Sob hipótese alguma faça fezes ou urina próximo dos pontos de coleta de água. Enterre as fezes junto com o papel higiênico. Uma boa sugestão é utilizar uma pequena pá de jardineiro. Jamais enterre ou abandone lenços umedecidos, que contêm material sintético cuja decomposição leva muitos anos.
  10. Se for lavar panelas, raspe primeiro os restos de alimento e junte com seu lixo. Depois pegue água e lave os utensílios afastado do curso d'água. Mantenha o curso d'água limpo, sem resíduos.
  11. Não abra ou use atalhos. Os atalhos confundem os caminhantes e criam fortes erosões.
  12. Muitas pessoas vão para as montanhas buscando paz e silêncio. Respeite essa opção. Não faça barulho, principalmente à noite nos locais de acampamento.
  13. Leve todo o seu lixo de volta, inclusive papéis de bala e pontas de cigarro. Tudo bem embalado para não cair no caminho. Se puder, leve até um pouco mais de lixo (do caminho, dos outros...).
  14. Caso encontre alguém desrespeitando a montanha ou os demais visitantes, aproxime-se educadamente e converse, tentando assim conseguir mais um aliado na preservação do meio ambiente e do bom convívio.
  15. Caso encontre algum animal silvestre, respeite-o não oferecendo alimentos ou deixando que ele o veja se alimentando. Evite o contato para não transmitir nossas doenças e evitar as deles, que são muito diferentes.
btn topo