destaque lencois

btn consulta epoca


Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é o destino perfeito para aqueles que buscam aventura segura e contemplação da natureza!
Caminhar sobre as areias brancas do maior campo de dunas do Brasil, se refrescar em lagoas de água cristalina e observar o pôr-do-sol são experiências únicas que você levará para o resto da vida. Tudo isso com a emoção de um passeio fora de estrada em veículos 4x4 especialmente adaptados para vencer o terreno arenoso e alagado da restinga dos Lençóis Maranhenses. Aqueles que preferem caminhadas longas e interação com comunidades tradicionais, podem ainda se aventurar a atravessar o campo de dunas e ter a experiência de pernoitar nos oásis do “deserto brasileiro”.

O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, localizado no litoral oriental do estado do Maranhão, é o principal destino indutor do turismo no estado. Está inserido no Cerrado mas apresenta forte influência da Caatinga e da Amazônia, sendo encontradas espécies comuns destes 3 biomas. Em seus 155 mil hectares, abriga ecossistemas diversos e frágeis, como a restinga, o manguezal, e um campo de dunas que ocupa 2/3 da área total da unidade, sendo o principal atrativo do Parque Nacional devido as lagoas interdunares que se formam no período chuvoso da região.O PNLM está inserido em 3 municípios maranhenses, que dispõem de estrutura para recepção e condução de visitantes, Barreirinhas, Santo Amaro e Primeira Cruz. 

btn institucional

 

btn topo

Quando Ir

O litoral oriental do Maranhão possui duas estações características ao longo do ano. A chuvosa, de fevereiro a maio, e a seca, de junho a janeiro. Após a estação chuvosa o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses apresenta seu mais belo cenário, pois as lagoas interdunares estão cheias.

Conforme o período seco avança as lagoas secam pouco a pouco, chegando em novembro com o nível bem baixo. Mas é bom deixar claro, isso tudo depende do regime de chuva do ano, portanto, é sempre bom buscar informações com a administração do Parque Nacional ou com o receptivo local.

O melhor período para visitar o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses vai de maio a setembro, mas a unidade está aberta a visitação o ano inteiro, de segunda a segunda, das 08:00 às 18:00.

Nível das lagoas

vist lagoas alto

Após o período chuvoso no litoral oriental do Maranhão, que chega a ter 4 meses de chuvas intensas, as lagoas e rios do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses estão com o nível de água máximo, proporcionando ao visitante a oportunidade de conhecer a imagem símbolo dos Lençóis Maranhenses: lagoas multicoloridas cercadas por dunas de areia branca.

Neste período recomendamos aos visitantes que entrem no PNLM em veículo próprio que tomem cuidado nas trilhas fora de estrada pois estão alagadas. Obrigatoriamente o veículo deve possui snorkell.


Atividades recomendadas:

Recreação na água, nadar;
Contemplação de lagoas e dunas;
Caminhadas.

Período: De Maio a Agosto

 

 

 

vist lagoas medio

Conforme a estação seca vai se firmando, as lagoas passam a secar devido a ação do sol e do vento. Neste período as lagoas não estão tão cheias mas possibilitam ainda a oportunidade de recreação na água, só que limitada. A paisagem do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses começa a mudar, as lagoas diminuem de tamanho e profundidade e aumenta a presença de algas e vegetação aquática.
No início do período chuvoso as lagoas ficam com nível médio enquanto enchem, entretanto nesta época chove forte quase que diariamente.
 
Atividades recomendadas:

Recreação na água limitada;
Contemplação de lagoas e dunas;
Caminhadas.

Período: Setembro a Outubro / Fevereiro a Abril

 

 

 

 

vist lagoas baixo

No auge do 'verão', como é chamado o período de estiagem na região que vai de Junho a Janeiro, as lagoas e rios temporários estão secos ou com o nível baixo de água. As lagoas dão lugar às pastagens e várzeas, que se formam em cima do solo úmido que era o leito da lagoa. Neste período a recreação na água é possível apenas nas lagoas perenes, como a lagoa do Peixe e a lagoa da Esperança.

Atividades recomendadas:
 
Recreação na água nas lagoas perenes;
Contemplação de dunas;
Caminhadas.

 

Período: Novembro a Janeiro

btn topo

Como Chegar

As principais cidades que dão acesso ao Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses são Barreirinhas e Santo Amaro do Maranhão, mas há acesso também por Humberto de Campos e Primeira Cruz.

Barreirinhas – O principal acesso é pela rodovia MA-402, com asfalto em boas condições de tráfego. A cidade possui estrutura para hospedagem e alimentação e várias agências de turismo proporcionam passeios para o Parque Nacional e outros atrativos, como o passeio de lancha para a foz do Rio Preguiças e o boia-cross no rio Formiga.

Para aqueles que buscam mais aventura, outra rota de acesso é via Paulino Neves/MA, entretanto, essa via de acesso percorre trilhas, campos de dunas e praias, sendo acessível apenas em veículos 4x4 equipados com snorkel. Esse trecho faz parte da Rota das Emoções, roteiro turístico que tem início no Ceará, cruza o litoral Piauiense e termina no Maranhão. Nessa rota é possível visitar 3 unidades de conservação federais: Parque Nacional de Jericoacoara, Área de Proteção Ambiental do Delta do Parnaíba e o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.


O acesso ao Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses a partir de Barreirinhas começa com a travessia do rio Preguiças de balsa. Daí em diante apenas veículos com tração 4x4 equipados com snorkell seguem viagem.


Santo Amaro – Para chegar em Santo Amaro é necessário percorrer a rodovia MA-402 até o povoado Sangue e de lá percorrer 36 km de trilhas de areia, acessíveis apenas a veículos com tração 4x4 equipados com snorkell. A cidade possui pousadas e restaurantes e fica a menos de 2 km do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, que pode ser acessado a pé ou em veículos tracionados.

btn topo

Ingressos

Não há cobrança de ingresso.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (98) 3349-1267, ou e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

btn topo

Atrativos

Em Barreirinhas:

Circuito da lagoa Azul - Trata-se do atrativo mais visitado da Unidade de Conservação. Após 12 Km de trilhas na restinga, o passeio segue pelo campo de dunas em uma trilha de aproximadamente 02 km. Ao longo do trajeto o visitante poderá visitar a lagoa da Preguiça, lagoa da Esmeralda, lagoa Azul e a lagoa do Peixe, a única perene e que se mantém com água ao longo de todo o ano. Este atrativo é o único onde há permissão para acesso em veículo tracionado até os limites da lagoa da Preguiça, mas apenas para visitantes com dificuldade de locomoção e mediante comunicação e obtenção de autorização junto à administração do Parque Nacional.


Circuito da lagoa Bonita - Localizada a 15km de Barreirinhas, o atrativo apresenta grau médio de dificuldade de acesso, pois é necessário subir uma duna íngreme de cerca de 30 metros de altura. Há uma corda para auxiliar a subida. Mas o esforço é recompensado com a bela vista que se tem tanto do campo de dunas como da vegetação de restinga do Parque Nacional. Após a subida o visitante percorre algumas centenas de metros até a lagoa Bonita. Neste atrativo é possível visitar também a lagoa do Clone, batizada com este nome pois foi onde foram gravadas cenas da novela 'O Clone' da Rede Globo.


Lagoa da esperança - Trata-se da interrupção do curso do Rio Negro provocado pelo encontro com o campo de dunas. Desta forma esta lagoa é perene e não se situa dentro do campo de dunas, mas sim na borda do mesmo. Desta forma é possível também percorrer o campo de dunas. Por ser perene esta lagoa é ideal para ser visitada durante os meses de estiagem, quando as lagoas dos outros atrativos estão secas. A lagoa da esperança faz o limite geográfico dos municípios de Barreirinhas e Santo Amaro.


Atins - O povoado de atins fica localizado em frente a foz do rio Preguiças, fora do Parque Nacional, mas bem próximo, possibilitando facilmente a realização de caminhadas pela praia, restinga, dunas e campos. O povoado possui estrutura simples, sendo procurado por visitantes que buscam tranquilidade e um contato mais íntimo com a natureza e a comunidade local. No atins é possível praticar esportes como kite-surf, wind-surf, caiaque, stand up padlle, passeios de bicicleta, surf entre outros.


Canto dos Lençóis - Localizado dentro do Parque Nacional, o canto dos lençóis, antigamente chamado de Canto do Atins, é um pequeno povoado formado por pescadores tradicionais. Apresenta uma bela vista do campo de dunas e é próximo a praia. O povoado não tem energia mas há restaurantes comunitários que servem comida típica e oferecem hospedagem simples. É um ótimo ponto de apoio para iniciar o trekking e cruzar o campo de dunas até o município de Santo Amaro.


Foz do Rio Negro e lagoa Verde - O roteiro da foz do rio Negro é realizado pela praia do Parque Nacional, saindo do Atins. O encontro do rio Negro com o mar é o principal atrativo, onde o visitante pode se banhar nas pequenas cachoeiras a beira mar. Este atrativo fica disponivel apenas quando o rio Negro tem água, portanto, informe-se antecipadamente com a administração ou com o receptivo local. No circuito é possível visitar também a lagoa Verde, próxima a praia, a lagoa fica a 30 min de caminhada pelo campo de dunas, e permanece com água em boa parte do ano.

 

Em Santo Amaro:

 • Lagoa da Gaivota - Distante 2 km da sede de Santo Amaro é o principal atrativo no município e é considerada a mais bela paisagem do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Esta lagoa está localizada em uma área de nidificação de gaivotas, possibilitando a observação das aves. O acesso pode ser realizado por meio de caminhadas ou em veículo 4x4. No caminho ao atrativo é possível observar o lago de Santo Amaro.


Lagoa da Betânia - Assim como a lagoa da Esperança, trata-se de um curso de rio interrompido pelo campo de dunas. O atrativo é no povoado da betânia que oferece alguns serviços básicos. A variação das cores da água e a paisagem com o campo de dunas ao fundo, torna a visitação neste atrativo uma experiencia única.


Lagoa das Emendadas - Acessível apenas por meio de caminhada, são várias lagoas interdunares (no interior do campo de dunas) que se ligam e chegam a somar quilometros em extensão. Por ser um atrativo no interior do campo de dunas, permite ao visitante ter uma dimensão do tamanho dos lençóis maranhenses.


Praia da Travosa - Localizada próxima do povoado Travosa, uma comunidade pesqueira, a praia da Travosa apresenta grande extensão possui o campo de dunas ao fundo. Em abril ocorre um campeonato de surf na praia da Travosa.

 

Zona Primitiva:

Queimada dos Britos e Baixa grande - Localizadas no interior do campo de dunas do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, essas duas manchas de vegetação de restinga são verdadeiros oasis e um perfeito abrigo para pernoite para aqueles que buscam realizar o trekking de travessia do PNLM. De acordo com o zoneamento do Parque Nacional, estas regiões são a Zona Primitiva, onde a visitação só pode ocorer em níveis de mínimo impacto. Desta forma é proibido a realização de passeios turísticos ou visitar a localidade em veículos motorizados de qualquer natureza. A despeito disso, cerca de 30 famílias residem no local, sendo permitido a elas, e somente elas, o trafego em veículos motorizados por questões de salva guarda a vida e transporte de pessoas, alimentos e materiais.

É sem dúvida o melhor atrativo da unidade! As caminhadas, que chegam a durar 5 dias, são realizadas pela praia e pelas dunas, com banhos nas lagoas para refrescar. As pernoites são realizadas nas comunidades, sendo uma ótima experiência de interação com a população tradicional.

Os oasis apresentam a maior diversidade em vegetação e aves do Parque Nacional e apresentam lagoas balneáveis durante boa parte do ano, tanto no interior dos oasis como no campo de dunas.

A despeito de não ser obrigatório a contratação de Condutor de Visitantes, é altamente recomendado a contratação do serviço, principalmente pra visitantes sem experiência em cartografia e orientação em ambientes naturais. É muito fácil se perder no campo de dunas, em boa parte do caminho não há cobertura de celular e muitos lugares chegam a ficar dias sem a passagem de pessoas. Você é responsável pela sua segurança, não se aventure a realizar a travessia no Parque Nacional se não tiver certeza de ter todas as condições de segurança.

btn topo

O Que Fazer

  • Caminhadas
  • Observação de fauna
  • Piquenique nas áreas abertas a visitação
  • Banhos nos lagos
  • Esportes náuticos
  • Passeois de bicicleta
  • Direção fora de estrada
btn topo

Orientações

A portaria ICMBio nº 63 de 10 de agosto de 2010 e o Plano de Manejo do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses disciplinam as principais normas de visitação. Essas normas são necessárias para garantir a segurança do visitante e dos ambientes protegidos, portanto, siga sempre as orientações dos condutores de visitantes e a sinalização. Abaixo listamos as principais informações para quem pretende visitar o Parque Nacional:


• Os serviços de transporte e condução de visitantes devem ser realizados por veículos, condutores de veículos e condutores de visitantes credenciados. Para evitar problemas, observe se o veículo está adesivado com a logomarca do Parque Nacional e número de credenciamento e se os condutores portam os crachás de identificação.
• Quem pretende visitar o Parque Nacional em veículo 4x4 próprio precisa solicitar autorização para a administração do ICMBio em Barreirinhas.
• É proibido a venda, porte e consumo de bebidas alcoólicas e drogas ilícitas no Parque Nacional.
• É proibido o trânsito de veículo motorizado sobre o campo de dunas livre.
• É proibido fazer fogueiras, ascender churrasqueiras ou fogareiro.
• É proibido entrar no parque Nacional em quadriciclos, motos, bugres, bem como realizar enduros e/ou rallys.


Infrações a essas normas sujeitam o visitante e os prestadores de serviço a multas, de acordo com o decreto 6.514/08 e a lei de crimes ambientais (9.605/98). Ajude o ICMBio a proteger esse patrimônio nacional e promover o desenvolvimento sustentável da região, seja um visitante consciente!

Conduta Consciente

Siga sempre as orientações do Ministério do Meio Ambiente descritas no programa "Conduta Consciente em Ambientes Naturais" de 1999.

Entre em contato prévio com a administração da área que você vai visitar para tomar conhecimento dos regulamentos e restrições existentes.Informe-se sobre as condições climáticas do local e consulte a previsão do tempo antes de qualquer atividade em ambientes naturais.Viaje em grupos pequenos de até 10 pessoas. Grupos menores se harmonizam melhor com a natureza e causam menos impacto.Evite viajar para as áreas mais populares durante feriados prolongados e férias.Certifique-se que você possui uma forma de acondicionar seu lixo (sacos plásticos), para trazê-lo de volta. Aprenda a diminuir a quantidade de lixo, deixando em casa as embalagens desnecessárias.Escolha as atividades que você vai realizar na sua visita conforme o seu condicionamento físico e seu nível de experiência.
O salvamento em ambientes naturais é caro e complexo, podendo levar dias e causar grandes danos ao ambiente. Portanto, em primeiro lugar, não se arrisque sem necessidade.Calcule o tempo total que passará viajando e deixe um roteiro da viagem com alguém de confiança, com instruções para acionar o resgate, caso necessário.Avise à administração da área a qual você está visitando sobre: sua experiência, o tamanho do grupo, o equipamento que vocês estão levando, o roteiro e a data esperada de retorno. Estas informações facilitarão o seu resgate em caso de acidente. Aprenda as técnicas básicas de segurança, como navegação (saiba como usar um mapa e uma bússola) e primeiros socorros. Para tanto, procure os clubes excursionistas, escolas de escalada e cursos de idoneidade comprovada.Tenha certeza de que você dispõe do equipamento apropriado para cada situação. Acidentes e agressões à natureza em grande parte são causados por improvisações, negligência e uso inadequado de equipamentos.Leve sempre: lanterna, agasalho, capa de chuva, um estojo de primeiros socorros, alimento e água; mesmo em atividades com apenas um dia ou poucas horas de duração.Caso você não tenha experiência de atividades recreativas em ambientes naturais, entre em contato com centros excursionistas, empresas de ecoturismo ou condutores de visitantes. Visitantes inexperientes podem causar grandes impactos sem perceber e correr riscos desnecessários.Cuide dos locais por onde passar, das trilhas e dos locais de acampamentoMantenha-se nas trilhas pré-determinadas - não use atalhos. Os atalhos favorecem a erosão e a destruição das raízes e plantas inteiras. Mantenha-se na trilha, mesmo se ela estiver molhada, lamacenta ou escorregadia. A dificuldade das trilhas faz parte do desafio de vivenciar a natureza. Se você contorna a parte danificada de uma trilha, o estrago se tornará maior no futuro.Ao montar seu acampamento, evite áreas frágeis que levarão um longo tempo para se recuperar após o impacto. Acampe somente em locais pré-estabelecidos, quando existirem. Acampe a pelo menos 60 metros de qualquer fonte de água. Não cave valetas ao redor das barracas, escolha melhor o local e use um plástico sob a barraca.Bons locais de acampamento são encontrados, não construídos. Não corte nem arranque a vegetação, nem remova pedras ao acampar.Remova todas as evidências de sua passagem. Ao percorrer uma trilha ou ao sair de uma área de acampamento certifique-se de que esses locais permaneceram como se ninguém houvesse passado por ali.Proteja o patrimônio natural e cultural dos locais visitados. Respeite as normas existentes e denuncie as agressões observadas.
Embalagens vazias pesam pouco e ocupam espaço mínimo na mochila. Se você pode levar uma embalagem cheia, pode trazê-la vazia na volta. Não queime nem enterre o lixo. As embalagens podem não queimar completamente, e animais podem cavar até o lixo e espalhá-lo. Traga todo o seu lixo de volta com você.Utilize as instalações sanitárias que existirem. Caso não haja instalações sanitárias (banheiros ou latrinas) na área, enterre as fezes em um buraco com 15cm de profundidade e a pelo menos 60m de qualquer fonte de água, trilhas ou locais de acampamento, e em local onde não seja necessário remover a vegetação. Traga o papel higiênico utilizado de volta.Não use sabão nem lave utensílios em fontes de água.
Não construa qualquer tipo de estrutura, como bancos, mesas, pontes etc. Não quebre ou corte galhos de árvores, mesmo que estejam mortas ou tombadas, pois podem estar servindo de abrigo para aves ou outros animais.Resista à tentação de levar lembranças para sua casa. Deixe pedras, artefatos, flores, conchas etc onde você os encontrou, para que outros também possam apreciá-los.Tire apenas fotografias, deixe apenas suas pegadas, mate apenas o tempo e leve apenas suas memórias.
Fogueiras enfraquecem o solo, enfeiam os locais de acampamento e representam uma das grandes causas de incêndios florestais. Para cozinhar, utilize um fogareiro próprio para acampamento. Os fogareiros modernos são leves e fáceis de usar. Cozinhar com um fogareiro é muito mais rápido e prático que acender uma fogueira.Para iluminar o acampamento, utilize um lampião ou uma lanterna, em vez de uma fogueira.Para se aquecer, tenha a roupa adequada ao clima do local que está visitando. Se você precisar de uma fogueira para se aquecer, provavelmente planejou mal sua viagem.Se você realmente precisar acender uma fogueira, consulte previamente a administração da área que estiver visitando sobre os regulamentos existentes, e utilize locais estabelecidos.Tenha absoluta certeza de que sua fogueira está completamente apagada antes de abandonar a área.
Observe os animais à distância. A proximidade pode ser interpretada como uma ameaça e provocar um ataque, mesmo de pequenos animais. Além disso, animais silvestres podem transmitir doenças graves.Não alimente os animais. Os animais podem acabar se acostumando com comida humana e passar a invadir os acampamentos em busca de alimento, danificando barracas, mochilas e outros equipamentos.Não retire flores e plantas silvestres. Aprecie sua beleza no local, sem agredir a natureza e dando a mesma oportunidade a outros visitantes.
Ande e acampe em silêncio, preservando a tranqüilidade e a sensação de harmonia que a natureza oferece. Deixe rádios e instrumentos sonoros em casa.Trate os moradores da área com cortesia e respeito. Mantenha as porteiras do modo que encontrou e não entre em casas e galpões sem pedir permissão. Seja educado e comporte-se como se estivesse visitando casa alheia. Aproveite para aprender algo sobre os hábitos e a cultura do meio rural.Prefira contratar os serviços locais de hospedagem, transporte, alimentação e outros. Desse modo, você estará colaborando para que os recursos financeiros permaneçam na comunidade.Deixe os animais domésticos em casa, pois, além de afujentarem a fauna silvestre, podem causar problemas sérios com a introdução de doenças e outras ameaças ao ambiente natural. Caso traga o seu animal com você, mantenha-o controlado todo o tempo. As fezes dos animais devem ser tratadas da mesma maneira que as humanas. Elas também estão sob sua responsabilidade. Muitas áreas não permitem a entrada de animais domésticos, portanto verifique com antecedência.Evite usar cores fortes que podem ser vistas a quilômetros e quebram a harmonia dos ambientes naturais. Use roupas e equipamentos de cores neutras, para evitar a poluição visual em locais muito freqüentados. Para chamar a atenção de uma equipe de socorro em caso de emergência, tenha em sua mochila um plástico ou tecido de cor forte.Colabore com a educação de outros visitantes, transmitindo os princípios de mínimo impacto sempre que houver oportunidade.
Associar-se a um grupo excursionista. Os grupos excursionistas são entidades sem fins lucrativos que promovem atividades como caminhadas, montanhismo, canoagem, exploração de cavernas etc. Nestes grupos você encontrará companhia, treinamento e orientação para a prática dessas atividades com segurança e sem agredir o meio ambiente. Apresentar-se como voluntário. No mundo todo, o trabalho voluntário é uma tradição em parques e outras unidades de conservação. Adote esta idéia! Seja voluntário! Verifique na administração das áreas que você visita se existe algum programa de trabalho voluntário. Denuncie agressões contra o meio ambiente aos órgãos responsáveis pela fiscalização dos parques e outras unidades de conservação.

 

Segurança

Antes de iniciar seu passeio no interior do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, atente-se a algumas questões fundamentais para garantir seu conforto, segurança e potencializar sua experiência de visitação:

Lembre-se sempre de levar água mineral ou outros hidratantes para o passeio, todos os veículos credenciados são obrigados a fornecer caixa térmica com gelo. Mantenha-se hidratado durante todo o passeio! O passeio tem duração média de 04 horas, portanto, leve também um pequeno lanche leve, preferencialmente frutas frescas e sanduiches. A região dos Lençóis Maranhenses fica a 02º da linha do equador e por isso apresenta alta incidência de raios solares durante todo o ano. Use filtro solar ou proteja-se do sol com roupas leves de cores claras e chapeu ou boné. E lembre-se: não é permitido a utilização de bronzeadores, clareadores de pelo, óleos corporais e produtos de higiene nas lagoas e rios do Parque Nacional, colabore com a manutenção da qualidade da água das lagoas! Não há banheiros públicos nem venda de alimentos e bebidas no interior do Parque Nacional. Para sua própria segurança e dos ambientes protegidos, siga sempre as orientações do Condutor de Visitantes e da sinalização do Parque Nacional.

btn topo