destaque parnaserradosorgaos2

Parque Nacional da Serra dos Órgãos

É um dos melhores locais do país para a prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada, rapel e outros; além de ter fantásticas cachoeiras. O Parque tem a maior rede de trilhas do Brasil. São mais de 200 Km de trilhas em todos os níveis de dificuldade: desde a trilha suspensa, acessível até a cadeirantes, até a pesada Travessia Petrópolis-Teresópolis, com 30 Km de subidas e descidas pela parte alta das montanhas.

Entre as escaladas destacam-se o Dedo de Deus, considerado o marco inicial da escalada no país, e a Agulha do Diabo, escolhida uma das 15 melhores escaladas em rocha do mundo.

Foi criado em 1939 para proteger a excepcional paisagem e a biodiversidade deste trecho da Serra do Mar na Região Serrana do Rio de Janeiro. São 20.024 hectares protegidos nos municípios de Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim.

O Parque abriga mais de 2.800 espécies de plantas catalogadas pela ciência, 462 espécies de aves, 105 de mamíferos, 103 de anfíbios e 83 de répteis, incluindo 130 animais ameaçados de extinção e muitas espécies endêmicas (que só ocorrem neste local).

Conheça nesse vídeo um pouco mais sobre os diversos atrativos do PARNASO e sobre as orientações para tornar sua visita mais segura e agradável!

btn institucional

btn topo

Quando Ir

Todos os dias das 8:00h às 17:00h (todas as sedes)
É permitida a entrada no parque entre 6:00h e 8:00h e entre 17:00h e 22:00h mediante compra antecipada de ingressos.

btn topo

Como Chegar

Sede Teresópolis:

A entrada principal do Parque Nacional da Serra dos Órgãos fica na área urbana de Teresópolis, na Avenida Rotariana s/nº (que interliga a BR 116 Rio-Bahia, na altura do km 89,5 à cidade), com acesso bem sinalizado. A entrada do parque fica ao lado da ponte sobre o Rio Paquequer, na entrada da cidade, próximo ao Mirante do Soberbo e ao Portal da Cidade.

Na BR 116, sentido Rio-Teresópolis, na altura de Magé, existe a praça do pedágio administrado pela CRT, com cobrança bidirecional. Há cobrança de pedágio também no sentido Teresópolis-Magé-Teresópolis.

Sede Petrópolis:

A portaria da Sede Petrópolis fica no Bairro do Bonfim, em Corrêas, Petrópolis. O acesso terrestre principal é feito pela BR 040, que liga o Rio de Janeiro (RJ) a Juiz de Fora (MG). Do centro de Petrópolis até a portaria, o acesso é através da Estrada União-Indústria, que margeia o Rio Quitandinha. Deve-se tomar o acesso do Distrito de Corrêas.

Para quem vem de Teresópolis o acesso é através da Rodovia BR-393 (Teresópolis-Itaipava). Chegando-se a Itaipava toma-se a direção do Centro de Petrópolis até o Distrito de Corrêas.

A partir de Corrêas deve-se seguir as indicações do Bairro Bonfim. O acesso é feito por estrada de terra e trechos ruins de asfalto e paralelepípedo. A portaria do parque é a última construção na área mais alta do bairro.

De ônibus a melhor opção a partir do Centro de Petrópolis é tomar um ônibus para o Terminal de Corrêas. De lá existem duas linhas que atendem ao Bonfim - a linha 611 (Bonfim) que tem ponto final a cerca de 1 Km da portaria e a linha 616 (Pinheiral) que chega mais perto, até a Escola Rural do Bonfim.

Sede Guapimirim:

A Sede Guapimirim está localizada no início da subida da serra - Km 98,5 da BR 116, a 74km do Rio de Janeiro. A entrada está localizada à direita da rodovia (sentido Teresópolis) e é bem sinalizada.

O acessoa a partir do Rio de Janeiro se dá pelas rodovias BR-040 (Rio-Petrópolis ou Rio-Juiz de Fora) e BR-116. Na BR 116, sentido Rio-Teresópolis, na altura de Magé, existe a praça do pedágio administrado pela CRT, com cobrança bidirecional (o valor é de R$ 5,40).

btn topo

Ingressos

Atenção: Reajuste de ingressos do Parque Nacional da Serra dos Órgãos‏ a partir do dia 01 de Outubro de 2014

 

Ingresso ***

Utilização de trilhas de montanha, primeiro dia

Montanha, dias adicionais (sábados, domingos e feriados)

Montanha, dias adicionais (2º a 6º feira)

Estrangeiros

R$ 27,00

R$ 43,00

R$ 21,50

R$ 4,30

Brasileiros (50 % de desconto em relação aos estrangeiros)

R$ 14,00 *

R$ 22,00 **

R$ 11,00

R$ 2,20

* Moradores dos municípios de Guapimirim, Magé, Petrópolis e Teresópolis tem desconto no ingresso na unidade pagando o valor de R$ 3,00.

** Membros de clubes excursionistas tem desconto de 50% sobre essa taxa (R$ 11,00).

*** Maiores de 60 anos e menores de 12 anos são isentos do pagamento de ingresso.

Estacionamento de veículos (por dia de permanência no Parque) - R$ 5,00

Estacionamento de motos (por dia de permanência no Parque) - R$ 3,00

Camping (cobrado por pessoa, por pernoite) - R$ 6,00

  • Os moradores dos municípios do entorno tem direito a desconto somente na taxa de ingresso para a parte baixa. Além disso, é imprescindível que o visitante apresente comprovante de residência em nome próprio, ou demonstre de maneira clara que reside em um dos municípios;
  • Membros de clubes de excursionismo têm direito ao desconto de 50 % somente para o primeiro dia de utilização das áreas de montanha;
  • Têm direito a isenção da taxa de ingresso os menores de 12 anos e maiores de 60 anos.  Os demais serviços, bem como os ingressos de acompanhantes devem ser pagos normalmente;
  • O pagamento do ingresso não isenta o visitante do pagamento das demais taxas. O pagamento da taxa de uso do camping também não isenta o visitante do pagamento da taxa de visitação;
  • As trilhas de montanha serão cobradas por dia. Exemplo: quem for subir e descer a Pedra do Sino em um mesmo dia deverá pagar o ingresso no parque e a taxa de uso da trilha por um dia. Entretanto, se houver um pernoite, o visitante deverá pagar o ingresso mais dois dias de trilha;
  • Estacionamento disponível somente nas Sedes Teresópolis e Guapimirim;
  • O visitante que comprove ser titular ou parente em até primeiro grau de beneficiário do programa Bolsa Família será equiparado ao morador do entorno;
  • O visitante estrangeiro que possua documento de identidade brasileiro ou comprove possuir residência no Brasil será equiparado ao visitante brasileiro.

Antes de visitar o PARNASO é importante conhecer as Regras de Uso Público do PARNASO, bem como algumas normas de conduta consciente em áreas protegidas.

A venda de ingressos antecipados é feita através do site www.parnaso.tur.br. Nesse endereço também é possível fazer as reservas para as trilhas de montanha, campings e abrigos de montanha. Existindo alguma dúvida, crítica, sugestão ou comentário sobre o sistema, envie uma mensagem para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

btn topo

Atrativos

Centro de visitantes

centro de visitantes teresópolis 2 centro de visitantes teresópolis

Maquete e Sala Interativa

Entre as atrações estão a maquete com animação e áudio explicando as características do Parque e destacando os principais pontos, reproduções de animais e computadores com apresentação multimídia e jogos temáticos.

Na sala interativa é possível ouvir os cantos de aves e vocalizações de mamíferos ou aprimorar a capacidade de ver os animais na floresta.

O Centro de Visitantes conta, ainda, com cafeteria e loja de lembranças, com camisetas bordadas, livros, suprimentos para passeios no Parque e outras lembranças.

Piscina e Área de Lazer

Piscina Natural Area de Pique Nique

Piscina de Águas Naturais e Área de Pique Nique

A Piscina de águas naturais é uma das mais tradicionais atrações do PARNASO. Muito procurada no verão, ela compõe um belo cenário para piqueniques e atividades recreativas no frio inverno da serra.

A área de lazer para os visitantes na parte baixa da Sede Teresópolis é toda sinalizada e possui estacionamento. A 100 metros da portaria o rio Paquequer proporciona um gostoso banho de cachoeira, um pouco acima está a piscina de pedra.

A trilha do Caxinguelê, cortada pelo Rio Paquequer, é um passeio leve e agradável, onde o visitante entra em contato com a natureza. Quem passa o dia no Parque não pode deixar de conhecer os bosques Santa Helena e da Colina, projetados pelo arquiteto e paisagista Ângelo Murgel, com refúgios, muita sombra, mesas e bancos de pedra para piquenique e banheiros.

Trilhas

estrada da barragem

Estrada da Barragem

  • Nível de dificuldade: leve
  • Extensão: 3.000m
  • Duração: 2 horas (ida e volta)

Estrada calçada em paralelepípedo com trânsito liberado para automóveis. É a via que dá acesso a todas as trilhas da Sede Teresópolis.

Ideal para caminhadas de lazer, tem extensão de 3 Km e placas indicativas de distância em intervalos de 500m. A estrada conta com vários mirantes, recantos para descanso, duchas e cascatas.

A estrada termina na Praça da Barragem, ponto de captação de água para a cidade de Teresópolis.


trilha suspensa 2 trilha suspensa

Trilha Suspensa 

  • Nível de dificuldade: leve
  • Extensão: 1300m
  • Duração: 1 hora

Uma das grandes atrações do PARNASO, a trilha suspensa começa na Praça da Barragem. A trilha possui piso de madeira e corrimão, permitindo acesso até a cadeirantes.

Construída sobre um aqueduto do início do século XX, esta trilha corta um trecho de Mata Atlântica em nível elevado em relação ao terreno, permitindo ao visitante uma observação mais próxima da copa das árvores.

A trilha é circular, retornando para a Estrada da Barragem por escadarias. No trecho final a trilha atinge grandes alturas em relação ao solo (até 8 metros) e permite belas visões da floresta e dos paredões do PARNASO.

Uma escada dá acesso a poços do rio Paquequer, ótima opção de banho em dias quentes.

* Iniciando pela Praça da Barragem é possível caminhar até a escada que desce à esquerda voltando para a Estrada da Barragem (mirante do Beija Flor).
Outro trecho que está liberado é na entrada próxima a ponte sobre o Rio Paquequer até uma escada que desce para a cachoeira Ceci-Peri.
Informamos que os trechos interditados estão sinalizados com placa informativa e tela para que o visitante não ultrapasse.

Atenciosamente.


trilha da primavera

Trilha Primavera

  • Nível de dificuldade: leve
  • Extensão: cerca de 500m
  • Duração: 15 minutos

A trilha tem 15 minutos de caminhada leve, para todas as idades. O visitante experimenta a sensação de estar em uma mata preservada, sendo possível observar inúmeras espécies. Entre elas destaca-se o palmito-juçara (Euterpe edulis), espécie ameaçada de extinção pelo corte indiscriminado.


trilha mozart catao

Trilha Mozart Catão

  • Nível de dificuldade: leve a moderado
  • Extensão: 800m
  • Duração: 1:30 (ida e volta)

Esta trilha cruza pequenos cursos d'água e floresta de encosta até chegar ao Mirante Alexandre Oliveira (foto acima), com vista para a cidade de Teresópolis e o Parque Estadual dos Três Picos, ao fundo. Os nomes da trilha e do mirante homenageiam dois alpinistas da cidade, mortos ao tentar escalar a face sul do Aconcágua, em 1998.


trilha cartao postal

Trilha Cartão Postal

  • Nível de dificuldade: moderado
  • Extensão: 1.200m
  • Duração: 2 horas (ida e volta)

Esta bela trilha, com acesso pela Estrada da Barragem próximo à pousada, cruza área de floresta com belas vistas da montanha e dá acesso a um mirante voltado para a cadeia de montanhas da Serra dos Órgãos, proporcionando ao visitante um novo ângulo de observação do Dedo de Deus do meio da floresta. No caminho é possível observar algumas grandes árvores, como o jequitibá.


trilha da pedra do sino

Trilha da Pedra do Sino

  • Nível de dificuldade: moderado a pesado
  • Extensão: cerca de 11 Km

A Pedra do Sino é o ponto culminante da Serra dos Órgãos com 2.275m e lá do alto a vista alcança toda a Baía de Guanabara, a cidade do Rio de Janeiro e parte do Vale do Paraíba, no lado continental. O acesso feito por trilha é um clássico do montanhismo. São cerca de 11 km (cinco a seis horas) de caminhada desde a sede do Parque, em Teresópolis, a 1.100 metros de altitude, até o ponto culminante da serra. O primeiro trecho é mais leve, por dentro da mata, com calçamento da época do Império. As duas cachoeiras no caminho são boas opções de parada. A trilha é acidentada e seu acesso é limitado a 100 pessoas por dia. A trilha é também o trecho final da tradicional travessia Petrópolis-Teresópolis.

 {tab=Caminhos da Serra do Mar

 

Centro de Visitantes e Museu

museu von martius

Centro de Visitantes e Museu von Martius

O Centro de Visitantes von Martius da Sede Guapimirim está instalado em casarão do século XIX, restaurado para a preservação de suas características originais. O casarão pertenceu à antiga Fazenda Barreira do Soberbo, sendo seu proprietário durante o Império o médico Henrique José Dias, que se dedicou ao plantio das quineiras (Cinchona calissaia).


O histórico casarão abriga esposição permanente com fotos e informações sobre o parque, uma maquete de todaa área do PARNASO, além de interessante coleção de exemplares das obras do botânico Von Martius, material especializado sobre meio ambiente, videoteca e um auditório para realização de cursos, palestras e seminários, equipado com TV e vídeo e com capacidade para 40 pessoas.

Capela de Nsa. Sra. da Conceição do Soberbo

capela

Datada de 1713, esta histórica construção está situada em uma pequena ilha fluvial entre dois braços do rio Soberbo.

Construída em estilo barroco, o prédio é tombada pelo INEPAC e é um importante remanescente histórico do período de ocupação colonial do recôncavo da Guanabara.

A capela é aberta quinzenalmente para a realização de missas e visitas (segundas, quartas e sábados do mês).

Poços

poço da capela

Poço da Capela

Junto à histórica capela de Nsa. Sra. da Conceição do Soberbo é possível desfrutar de um bom banho neste poço com cachoeira.

 


poço do sossego

Poço do Sossego

Mais um recanto aprazível com um belo poço e cachoeira. O poço é sombreado por árvores repletas de bromélias e orquídeas. O acesso mais resguardado justifica o nome deste poço que recebe sol poucas horas por dia


poço ponte velha

Poço da Ponte Velha

Junto às ruínas dos pilares de uma antiga ponte da estrada real encontra-se um agradável poço de águas quase sempre calmas e fácil acesso.

É possível parar veículos a cerca de 20m do rio. Próximo ao poço existem sanitários eum quiosque que serve lanches e bebidas.


Poço Verde1

Poço Verde

Principal atrativo natural da Sede Guapimirim, o Poço Verde é um conjunto de cachoeiras, corredeiras, poços artificiais e naturais do Rio Soberbo. Ótimo local para banho, localizado a 20 minutos de caminhada do Centro de Visitantes.

 


poco da preguica

Poço da Preguiça

Outra boa opção para banho, a 15 minutos de caminhada do Centro de Visitantes.

Ruínas Arqueológicas

ruínas

Em parceria com o Museu Nacional do Rio de Janeiro e a Prefeitura Municipal de Guapimirim, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos está desenvolvendo na sua Sede Guapimirim , o Projeto "As Ruínas da Sede Guapimirim do Parque Nacional da Serra dos Órgãos: Memória Cultural e Histórica do Rio de Janeiro" , onde se acredita tenha existido um sistema de produção econômica (plantio, colheita e processamento) da Quina calysaia, usada para combater a malária.

A Fazenda Barreira do Soberbo, onde hoje funciona o Centro de Visitantes da Sede, pertenceu a Henrique Dias, e recebeu apoio financeiro do Império, em 1844, para o cultivo da quina, de onde é extraído o quinino, utilizado para combater a malária.

Em 1876, o Imperador D. Pedro II veio pessoalmente avaliar a produção, que abastecia o Exército Brasileiro, durante a Guerra do Paraguai. Em 1880, registravam-se 12.000 pés de quina e 10.000 mudas em viveiros. Já foi descoberto um muro que parece ter pertencido à estrutura de contenção ou de secagem da quina ou ainda ao reservatório de água. Estudos indicam que a tecnologia de construção deve ser da mesma época das construções da Floresta da Tijuca. Uma das canaletas de pedra pesquisadas teria como funções coletar e canalizar águas da parte mais alta da propriedade até a área onde a quina era moída para extração do seu princípio

Poços e Cachoeiras

Poço Paraíso

Poço Paraíso

  • Nível de dificuldade: leve
  • Extensão: cerca de 600m

Belo local parabanho a apenas15 minutos de caminhada da portaria do Bonfim.


Cachoeira Véu de Noiva

Cachoeira Véu da Noiva

  • Nível de dificuldade: moderado

Localizada depois da Gruta Presidente, tem 32 metros de altura, ideal para prática de esportes radicais. Uma das preferidas de Dom Pedro, a queda d'água tem 35 metros de altura. Para chegar lá, há uma trilha leve, com pedras.


Cachoeira das Andorinhas (Foto: Jurandir Lima)

Cachoeira das Andorinhas

  • Nível de dificuldade: moderado a pesado

A dez minutos da Véu da Noiva, a queda de 15 metros de altura e o poço abaixo convidam para um banho relaxante.

Escalada da Pedra Comprida

Pedra Comprida

Escalada da Pedra Comprida

São 22 vias de escalada em vários níveis. É considerada um "muro de escalada" natural do Vale do Bonfim.

Gruta do Presidente

Gruta do Presidente

Gruta do Presidente

  • Nível de dificuldade: moderado

Opção de caminhada, considerada semi-pesada, local de prática de escalada e rapel. Ao lado da gruta existe um pequeno e agradável poço para banho.

Pedra do Açu

Pedra do Açu

Pedra do Açu

  • Nível de dificuldade: pesado
  • Extensão: cerca de 7 Km

Ponto mais alto do Setor Petrópolis (2.245m), é atingido após caminhada considerada pesada (aproximadamente 5 horas). Nos Castelos do Açúexiste um abrigo de montanha, bem como local para camping e coleta de água.

 

 

btn topo

O Que Fazer

A Travessia é uma atração a parte: considerada por muitos como a caminhada mais bonita do Brasil, tem cerca de 30 km e liga as Sedes Petrópolis e Teresópolis. Percorrida normalmente em três dias, com pernoites nos dois Abrigos de Montanha do PARNASO ou nas áreas de camping adjacentes, ela passa por paisagens belíssimas. - Mais informações veja a seguir:

Sobre a Travessia

A travessia Petrópolis-Teresópolis é um clássico nacional de caminhada e montanhismo, sendo por muitos considerada a travessia mais bonita do Brasil.

Com cerca de 30 km de extensão, a travessia da Serra dos Órgãos exige preparo físico e equipamento adequado. É necessária a presença de guia experiente, principalmente no trecho entre os Castelos do Açú e a Pedra do Sino.

Antes do início da caminhada é necessário pagar os ingressos e taxas na portaria e assinar o Termo de Conhecimento de Riscos e Normas. O termo deve ser preenchido ou entregue nas portarias do Parque. O preenchimento do Termo é importante para o registro da entrada e saída dos visitantes e para que o visitante tenha conhecimento sobre normas e procedimentos de conduta. Por isso, é importante que o visitante informe sua saída nas portarias aos vigilantes de plantão.

ATENÇÃO: O envio de Termo por fax não configura reserva.

Antes de iniciar atividades de montanhismo, leia as Regras de Uso Público do PARNASO e a Cartilha do Caminhante Consciente da Serra dos Órgãos.

ROTEIRO DA TRAVESSIA


O roteiro recomendado tem início na Portaria do parque em Petrópolis, localizada no bairro do Bonfim, e duração de 3 dias. O sentido Petrópolis-Teresópolis se justifica tanto pela menor dificuldade na passagem de determinados trechos críticos, quanto pela beleza da paisagem, podendo-se admirar de frente a majestosa cadeia de montanhas da Serra dos Órgãos.


 

 

  • Primeiro dia: Bonfim-Castelos do Açú
  • Duração estimada: 6 horas

 

Subida AçuA caminhada até o Açú é considerada pesada devido à grande variação altitudinal. Parte-se da portaria do parque (cerca de 1.100m de altitude), chegando-se a 2.245m na Pedra do Açú. A caminhada é relativamente curta (pouco mais de 7 Km de extensão) mas demora cerca de 6 horas para o montanhista médio.

A travessia começa na Sede Petrópolis do PARNASO, no bairro do Bonfim. Após cerca de 40 minutos na trilha chega-se à entrada para a Gruta do Presidente e a Cachoeira Véu da Noiva. Mais 50 minutos de caminhada e chega-se à Pedra do Queijo, um bom local para descanso com vista panorâmica para o Vale do Bonfim e os picos da Alcobaça, do Alicate e outras montanhas de Petrópolis. Após mais 40 minutos de subida chega-se ao Ajax, local com fonte de água. O acampamento é proibido no local.

Após a passagem pelo Ajax inicia-se o trecho de subida mais íngreme de Petrópolis. Conhecido como Isabeloca, em homenagem a uma suposta passagem pelo local da princesa Isabel em lombo de mulas, este trecho encontra-se bastante erodido. A situação é agravada pelos diversos atalhos que a equipe do parque e voluntários vêm tentando fechar para evitar o agravamento da situação.

Ao fim da Isabeloca chega-se ao Chapadão, trecho mais plano de onde já se avista a Pedra do Açu, também conhecida como pico do Cruzeiro, ponto mais alto de Petrópolis, e os Castelos do Açu, interessante formação rochosa cheia de reentrâncias onde é possível se abrigar da chuva e do vento.

Próximo aos Castelos do Açuexiste um dos dois Abrigos de Montanha ao longo da Travessia (o outro sendo na Pedra do Sino) e a área de camping adjacente. Este é o local do primeiro pernoite.

Em noites abertas é possível observar as luzes da cidade do Rio de Janeiro e a Baixada Fluminense.


 

 

  • Segundo dia: Castelos do Acú-Pedra do Sino
  • Duração aproximada: 7 horas

 

AbrigoApós o espetáculo do nascer do sol atrás da Serra dos Órgãos, inicia-se o segundo dia de caminhada. Neste trecho é indispensável a presença de guia experiente. É frequente a ocorrência de montanhistas perdidos, principalmente em dias com muita neblina. A caminhada é quase toda nos campos de altitude, formação vegetal de pequeno porte que, no Estado do Rio de Janeiro, só ocorre na Serra dos Órgãos, em Itatiaia e no Parque Estadual do Desengano.

Seguindo na direção leste chega-se ao Morro do Marco após cerca de 30 minutos. O local é facilmente identificado pela pirâmide de pequenas pedras que dá nome ao morro.

No Morro do marco é possível pegar uma variante da trilha e conhecer os Portais de Hércules, uma espécie de mirante na beira das vertentes mais inclinadas da Serra dos Órgãos, com bela visão do vale da Morte.

Descendo o Morro do Marco, em cerca de 30 minutos chega-se ao Vale da Luva, local coberto pela interessante mata nebular, com grande abundância de plantas epífitas, entre as quais destacam-se orquídeas endêmicas da Serra dos Órgãos. O Vale é cortado por um pequeno riacho onde é possível se refrescar e encher os cantis. O local é uma alternativa de acampamento para aqueles que pretendam fazer a travessia com apenas um pernoite ou para roteiros mais longos do que três dias.

Em seguida inicia-se a subida do Morro da Luva. O cume é atingido em cerca de 30 minutos. Após a descida em superfície rochosa, onde a trilha não é bem marcada e o risco de se perder em dias de neblina é alto, chega-se à Cachoeirinha (mais 30 minutos), local com água abundante e ponto recomendado para descanso.

Meio travessiaA subida do Elevador, logo após a Cachoeirinha, é uma escada de ferro que exige equilíbrio para passar com mochilas cargueiras (foto ao lado). Na seqüência chega-se, após cerca de 40 minutos, ao Morro do Dinossauro, um dos pontos mais altos do parque, de onde já é possível avistar a Pedra do Sino, o Vale das Antas e a Pedra do Garrafão. A descida até o Vale das Antas leva cerca de 40 minutos. No vale estão outras nascentes do Rio Soberbo e o local tem água o ano inteiro. O camping é proibido no local em função da fragilidade do ambiente e das nascentes do rio Soberbo.

Após mais uma subida íngreme chega-se ao Dorso da Baleia, em frente à vertente da Pedra do Sino. Do local é possível avistar a maior parede de escalada (bigwall) do Brasil, onde estão as vias Franco-Brasileira e Terra de Gigantes. Após a descida de uma grota, inicia-se a subida do paredão que leva à Pedra do Sino. A subida é íngreme e a passagem conhecida como Cavalinho é o ponto mais perigoso da travessia (foto abaixo), sendo obrigatório o uso de cordas.

Após o Cavalinho, o montanhista segue por uma estreita trilha que contorna a Pedra do Sino até encontrar a trilha de subida para o cume, ponto culminante da Serra dos Órgãos (2.263m). Dependendo da hora de chegada neste ponto, pode-se optar pela subida ao cume ou descida para montar o acampamento ou se instalar no abrigo da Pedra do Sino (Abrigo 4). Éproibido acampar no cume da Pedra do Sino.

A subida até a Pedra do Sino à noite é altamente recomendável, principalmente em noites de tempo bom. A vista da cidade do Rio de Janeiro à noite é impressionante e vale o passeio.


 

 

  • Terceiro dia: Pedra do Sino-Teresópolis
  • Duração estimada: 4 horas

 

Sino

O percurso do terceiro dia inclui apenas a descida da Pedra do Sino até a Sede Teresópolis do PARNASO. São 11 Km de descida relativamente suave com belas vistas do município de Teresópolis e do Parque Estadual dos Três Picos. Recomenda-se uma nova subida ao cume da Pedra do Sino para admirar o nascer do sol.

Abaixo da cota 2000m, a estrutura da vegetação começa a mudar. O campo de altitude é substituído por uma mata nebular, com grande quantidade de bromélias e orquídeas. A trilha sombreada pela mata passa pelas ruínas do antigo Abrigo 3, local de descanso com mirante. Os vestígios do antigo Abrigo 2 são difíceis de reconhecer em meio à vegetação.

Uma alternativa para aqueles que desejam mais aventura é fazer outras trilhas com acesso a partir do Abrigo 4, como a trilha do Garrafão, antes de descer.

Na descida passa-se por duas cachoeiras, com destaque para a Véu da Noiva de Teresópolis com cerca de 16 metros de queda.

Recomendação Importante

Todas as trilhas e atrativos do PARNASO podem ser visitados sem o acompanhamento de guias ou condutores de visitantes. No entanto, alguns atrativos exigem conhecimentos ou habilidades específicas que podem ser supridas pelo condutor de visitantes.

A contratação de um guia ou condutor pode enriquecer a sua visita ao parque, pois estes profissionais conhecem não só os atrativos, como tambémcuriosidades sobre o PARNASO e região.

Para a trilha da travessia Petrópolis-Teresópolis, devido as suas particularidades, o PARNASO recomenda a contratação de um guia ou condutor. Caso o grupo não esteja acompanhado por um profissional, um dos membros do grupo deverá se responsabilizar por conhecer o caminho e as regras de uso público do parque. Além disso, outras atividades comoescaladas requerem o acompanhamento porpessoal capacitado.

Com o objetivo de garantir a oferta de serviços de condução de qualidade e com segurança e visando também estimular o desenvolvimento de atividades sustentáveis relacionadas ao turismo no entorno do parque o PARNASO vem promovendo, em conjunto com instituições parceiras, cursos de capacitação para condutores de visitantes.

Consulte a lista de condutores de visitantes autorizados pelo PARNASOe contrate um profissional para enriquecer sua visita. Todos os condutores listados estão habilitados a conduzir visitantes no PARNASO, conforme a Portaria ICMBio n° 116/2010, possuindo conhecimentos sobre os atrativos e normas do PARNASO, bem como tendo realizado cursos de primeiros socorros.

ATENÇÃO: O PARNASO não é responsável pela qualidade dos serviços prestados pelos condutores listados.

 

O PARNASO também é uma das principais áreas para escaladano país, contando com vias de diversos estilos e dificuldades, desde as mais simples até as mais difíceis e complexas do Brasil. No total, são mais de 130 vias nas diversas áreas de todo o PARNASO. - Mais informações veja a seguir:

 

A Serra dos Órgãos reúne algumas das melhores e mais difíceis vias de escalada do país, nas suas diversas montanhas. Dentre estas montanhas, algumas merecem destaque: O Dedo de Deus, com 1692 m de altitude, foi conquistado em 1912 por moradores da cidade e desde então é considerado o marco inicial da escalada no Brasil. Já na década de 30 o CEB (Centro Excursionista Brasileiro), primeiro clube excursionista do Brasil, desbravou diversos picos na Serra dos órgãos e escolheu o Dedo de Deus como seu emblema.

O PARNASO proporciona oportunidades para escaladas em todos os níveis, desde iniciantes até algumas das escaladas mais técnicas do Brasil, como as vias no bigwall da Pedra do Sino.

Do total de mais de 130 vias de escalada, a grande maioria (mais de 100) pode ser escalada de forma gratuita, isto é, o acesso não é feito por uma das três portarias do PARNASO. Para escalar os picos do PARNASO em que o acesso se dá por uma das três portarias (ou para aqueles em que o acesso se dá pela BR-116) é necessário comunicar ao Parque, assinando Termo de Conhecimento de Riscos e Normas entregue nas portarias. Para escaladas com acesso pela BR-116 (Dedo de Deus e Escalavrado, por exemplo) o Termo deve ser preenchido e enviado por fax para (21) 2152-1103 (dias úteis) ou entregue diretamente nas portarias do PARNASO. Além disso, é importante que você dê baixa no Termo após a saída do Parque.

A atividade de escalada em rocha está intimamente relacionada à conservação dos recursos naturais, dessa forma o PARNASO apóia a prática da escalada esportiva de forma ambientalmente responsável. Antes de iniciar atividades de montanhismo é importante ler as Regras de Uso Público do PARNASO (que possui normas específicas para escalada) e a Cartilha do Caminhante Consciente da Serra dos Órgãos. Verifique também se a área onde pretende escalar tem acesso permitido no Zoneamento do PARNASO.

A escalada é um esporte de risco, manuais e guias não substituem instrução e supervisão profissional. As informações contidas neste site servem apenas para indicar os locais freqüentados e suas principais vias de escalada, não assegurando inclusive a integridade física das proteções fixas das vias indicadas. Lembre-se sempre: sua segurança é sua responsabilidade, respeite os seus limites e seja prudente.

O PARNASO não possui equipe especializada em busca e salvamento, em caso de emergências ligue para o Corpo de Bombeiros (telefone 193) e avise também a equipe do PARNASO (telefone 21 2152-1120).

Os principais setores de escalada do PARNASO são:

Complexo Dedo de Deus

Berço do montanhismo brasileiro, o Complexo Complexo Dedo de Deus Bruno Nepomuceno Dedo de Deuspossui algumas dasescaladas mais clássicas do Brasil, como a via Teixeira no Dedo de Deus (considerada por muitos o marco inicial da escalada no Brasil), e a primeira via em artificial do Brasil (via Bendy, no Dedo de Nossa Senhora). A via Teixeira (3º grau) foi conquistada em 1912 por um grupo de cinco moradores de Teresópolis, após um grupo de escaladores alemães declarar que o Dedo de Deus seria impossível de ser escalado. A ascensão ao cume de 1.692 metros, em uma parede com importantes dificuldades técnicas, foi celebrada como um feito heroico e teve um considerável impacto no país. Ainda hoje alguns dos grampos originais da conquista estão na montanha.

O setor conta com diversas vias relativamente fáceis, sendo um bom local para escaladores que estão começando nas paredes, até diversas vias bem mais difíceis, de até sétimo grau. As trilhas de acesso às vias de escalada começam todas ao longo da Rodovia BR-116 (Rio – Teresópolis), na subida da serra, e em geral são relativamente curtas, mas íngremes. Embora todas as trilhas tenham acesso gratuito, é obrigatório o preenchimento e o envio do Termo de Conhecimento de Riscos e Normas antes da escalada, bem como é obrigatório dar baixa no Termo após a saída da trilha.

 

 

Setor Pedra do Sino

Situado bem no interior do PARNASO, o setor Pedra do Sino possui algumas agulha do diabo

das montanhas mais importantes do Brasil, como a Agulha do Diabo e a Pedra do Sino. 

A Agulha do Diabo foi eleita em 2009 uma das 15 escaladas em rocha mais

espetaculares do mundo. A caminhada até a base é longa e pesada e a via

(de 3º grau) bastante cansativa, o que exige uma logística mais complexa, mas além

da beleza da via, a vista do estreito cume é única em toda a Serra

dos Órgãos. Já a face sudoeste da Pedra do Sino, maior paredão de escalada do Brasil, possui algumas da vias de bigwall mais difíceis do país, entre elas as clássicas Franco-Brasileira e a Terra de Gigantes,

com 550 metros de extensão, considerada a via mais complexa do país.

O acesso para as vias se dá pela Trilha da Pedra do Sino, a partir da Sede Teresópolis do PARNASO. Em todos os casos é necessário o Preenchimento do Termo de Conhecimento de

 

Riscos e Normas. Além disso, para escalar as vias de Bigwall da Pedra do Sino, também é necessária uma autorização prévia da direção do PARNASO.

 

 

Setores Samambaia e Bonfim

Os Setores Bonfim e Samambaia oferecem boas opções de pedra-comprida-150x225escalada para os amantes da escalada esportiva e tradicional na cidade de Petrópolis. Bem próximo à portaria da sede Bonfim do PARNASO você encontra algumas das mais difíceis vias esportivas da cidade, com graduação de 5º até 10º grau. Já o Setor samambaia, apesar de não ser muito frequentado atualmente, conta com vias históricas que incentivaram outras conquistas importantes na cidade imperial.

 

 

 

 

Setor Soberbo

O Setor Soberbo é mais seletivo e conta com poucas vias, pois Pedra do Garrafão

o acesso  é remoto e as vias são bastante exigentes. Nesse setor foi aberta, em 1975, a primeira via em bigwall do país, a Face Sul do Garrafão. A escalada de qualquer uma das vias do setor exige uma logística complexa, e também exige uma autorização prévia da direção do PARNASO, inclusive para a trilha de acesso. O acesso para as vias se dá pela trilha ao longo do Rio Soberbo, com início na BR-116.

 

                                                                                                                                                                                                                                                                                                       

 Pedra do Garrafão

Guia de vias de escalada

Para estimular a escalada no PARNASO, a equipe do Parque produziu uma Lista de vias de Escalada do PARNASOcompilando dados disponíveis em sites, livros e outras publicações e buscando informações com escaladores da região, além de disponibilizar croquis digitalizados de obras já publicadas.

O resultado disso foi a produção de uma listagem setorizada (de acordo com a localização das paredes e dos pontos de acesso para as vias), contendo informações importantes para os montanhistas. Das mais de 130 vias de escalada registradas no PARNASO, a listagem apresenta croquis para mais de 70 destas.

Entretanto, ressaltamos que as informações disponibilizadas não subtituem a instrução especializada, o conhecimento técnico da escalada e o conhecimento sobre os locais em que você pretende escalar. Lembre-se que você é responsável por sua segurança! Caso não se sinta seguro, recomendamos a contratação de um dos nossos Condutores de Visitantes com formação em escalada em rocha.

 

 

Além dos atrativos situados dentro do PARNASO, os municípios do entorno têm muitas atrações e roteiros que podem complementar sua visita à Serra dos Órgãos, veja a seguir:

Além dos locais e roteiros mais conhecidos pelos visitantes, o Parnaso e os municípios do entorno tem muitas atrações, tanto para os que tem poucos dias na região, quanto para os visitantes que terão bastante tempo para descobrir os segredos da serra. Abaixo selecionamos alguns roteiros que permitem descobrir essas atrações.

Sede Teresópolis

A – Roteiro Parnaso + Teresópolis

roteiro teresopolisSegmento: Familiar
Local: Parnaso e entorno
Dificuldade: Fácil
Público alvo: Toda a família
Duração prevista: 1 dia

Descrição:

O roteiro começa por uma visita ao Centro de Visitantes da SedeTeresópolis, e à piscina natural do parque (foto). Continua então com uma caminhada até a Barragem no Rio Beija-Flor, onde você pode fazer um piquenique. Faça então uma caminhada na trilha suspensa, podendo apreciar belas vistas da Mata Atlântica protegida pelo PARNASO. Saindo do parque, siga até o Mirante da Vista Soberba, e faça também uma visita à CBF e ao Lago Comary. Após visitar a Fonte Judith, termine o dia fazendo compras na Feirinha do Alto.


B – Roteiro Mirantes nas Montanhas

Segmento: Aventura

Local: Parnaso
Dificuldade: de média para alta (caminhada semi-pesada)
Público alvo: Montanhistas, observadores de pássaros
Duração prevista: 1 dia

Descrição:

Conheça as belas vistas que se descortinam dos mirantes situados na trilha para a Pedra do Sino (Mirante Simone, Abrigo 3, Cota 2000)


C – Roteiro Circuito do Sino

roteiro circuitoSegmento: Aventura

Local: Parnaso
Dificuldade: Alta (caminhada pesada)
Público alvo: Montanhistas experientes e escaladores
Duração prevista: 3 dias

Descrição:

O primeiro dia começa com a subida para a Pedra do Sino. O visitante pode também visitar o Mirante Simone e a Pedra da Cruz.. No fim do dia, assistir ao pôr do sol no cume da Pedra do Sino é imperdível. O segundo dia começa com uma ida ao Papudo, e caso o visitante seja escalador, a subida a Agulha Bonatti é uma boa pedida. Nesse dia, tente também ir ao São Pedro e à Pedra da Baleia. Já no terceiro dia, vá ao Morro da Pipoca, e volte então à Teresópolis, revigorado pelos dias passados em meio à natureza.


Sede Petrópolis

A – Roteiro Parnaso + Petrópolis

Segmento: Familiar
Local: Parnaso e entorno
Dificuldade: Fácil
Público alvo: Toda a família
Duração prevista: 1 dia

Descrição:

Comece esse roteiro com uma caminhada da portaria do PARNASO no Bonfim até a cachoeira Véu de Noiva. Lá, você pode tomar um revigorante banho de rio, assim como em outros poços ao longo do caminho. Volte então até a portaria, e, já fora do parque, vá até o distrito de Itaipava para almoçar e fazer compras. Termine o dia passeando pelo centro histórico de Petrópolis.


B – Roteiro Alicate

Segmento: Aventura

Local: Parnaso
Dificuldade: Média (caminhada leve, com alguns trechos mais difíceis e escorregadios)
Público alvo: Montanhistas e caminhantes
Duração prevista: 5 a 7 horas

Descrição:

Na caminhada, em direção ao Pico do Alicate, você irá percorrer uma bonita trilha com trechos de mata nativa, passando por belas cachoeiras e nascentes. Chegando próximo ao Pico, você terá uma linda vista das montanhas do Vale do Bonfim.


C – Roteiro Alcobaça

Segmento: Aventura

Local: Parnaso
Dificuldade: de média para alta (caminhada semi-pesada, com trechos íngremes e expostos)
Público alvo: Montanhistas e caminhantes
Duração prevista: 4 a 6 horas

Descrição:

Nesta caminhada você passará por trechos de mata e trechos de campos de altitude, chegando ao Pico do Alcobaça, com uma bela vista de toda a cidade de Petrópolis. É necessário preencher termo de conhecimento de risco e enviar para o Parque por fax ou entregar em uma das portarias.


Sede Guapimirim

A – Roteiro Parnaso + Guapimirim

Segmento: Familiar
Local: Parnaso e entorno
Dificuldade: Moderada
Público alvo: Toda a família
Duração prevista: 1 dia

Descrição:

Comece esse roteiro com uma visita ao Casarão da Barreira, construção histórica que abriga o Centro de Visitantes. Percorra então a Trilha do Poço Verde, tomando um refrescante banho de cachoeira no final. Vá então à Capela de Nossa Senhora da Conceição do Soberbo, construída no Século XVIII, em estilo barroco. Após isso, saindo do Parque, visite o Orquidário Aranda.


Magé

A – Roteiro Santo Aleixo

Segmento: Familiar
Local: Entorno
Dificuldade: Fácil
Público alvo: Toda a família
Duração prevista: 1 dia

Descrição:

Saindo do distrito de Santo Aleixo, vá até a trilha que leva à Árvore Oca. Além de percorrer um bonito trecho de mata, você poderá tomar um refrescante banho de cachoeira, e fazer um piquenique em meio à natureza.


btn topo

Orientações

Todos os atrativos do PARNASO podem ser visitados sem o acompanhamento de um Guia ou de um Condutor de Visitantes. Entretanto, para algumas atividades como escaladas e caminhadas nas áreas de montanha, como a Travessia, recomendamos a presença de uma pessoa que conheça o atrativo ou a contratação de um Condutor de Visitante. Existem cerca de 30 condutores de visitantes cadastrados no PARNASO que podem enriquecer sua visita - Clique aqui para baixar a lista - Importante: O Parnaso não é responsável pela qualidade dos serviços prestados pelos condutores listados.

Para acessar a área de montanha é necessário o preenchimento do Termo de Conhecimento de Riscos.

Menores de idade descompanhados dos pais, devem apresentar autorização dos pais ou responsaveis. Baixe aqui o modelo de autorização.

Não é permitida a entrada e a permanência de animais domésticos no PARNASO.

Conheça nesse vídeo as principais atrações e recomendações para sua visita ao PARNASO!

 

btn topo