Formiga - Dinoponera lucida

 

alt

Foto: Marco Antônio de Freitas

É uma das seis espécies do gênero Dinoponera, que é endêmico da América do Sul. Todas as suas espécies são pretas e de grande tamanho, atingindo até 4 cm de comprimento.
As formigas desse gênero possuem as seguintes características: inexistência de casta morfologicamente distinta, especializada na reprodução; a formação de novas colônias parece ser exclusivamente através da fissão de colônias maduras populosas; os machos são alados, bem menores e mais frágeis, e possuem um curto raio de vôo, que acontece horizontalmente, perto do chão; essas formigas são predadoras generalistas, capturando presas vivas e coletando cadáveres e material vegetal.
Elas ocupam o topo das cadeias alimentares da mesofauna.
Seu gigantismo e sua ferroada extremamente dolorosa fazem com que indivíduos, sejam evitados pela maioria dos vertebrados terrestres predadores de formigas (CAMPIOLO; DELABIE, 2008).

alt

MACHADO et al., 2005

GRUPO Invertebrados Terrestres - Insetos
ESPÉCIE Dinoponera lucida Emery, 1901
NOME VULGAR Formiga
FATORES DE AMEAÇA Perda/degradação de habitat, fatores intrínsecos.
BIOMA Mata Atlântica
PLANO DE AÇÃO
CENTROS DE PESQUISA
UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - Parna de Monte Pascoal², Reserva Pau Brasil¹ (BA);

- Rebio de Sooretama², Flona de Goytacazes², Estação Biológica de Santa Lucia¹, PE de Fonte Grande¹, Rebio Estadual de Duas Bocas¹ (ES).

REFERÊNCIAS - ¹CAMPIOLO, S.; DELABIE, J. Dinoponera lucida Emery, 1901. In: MACHADO, A. B. M; DRUMMOND, G. M.; PAGLIA, A. P. (eds). Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Volume I. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2008. p. 388 - 389.

- MACHADO, A. B. M; MARTINS, C. S.; DRUMMOND, G. M. (eds). Lista da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção: Incluindo as Espécie Quase Ameaçadas e Deficientes em Dados. Belo Horizonte: Fundação Biodiversitas, 2005. 160 pp.

- ²NASCIMENTO, J.L.; CAMPOS, I.B. (orgs.). Atlas da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção em Unidades de Conservação Federais. Brasília, DF: ICMBio, 2011. 276 pp.

alt alt