Preguiça-de-coleira - Bradypus torquatus

 

alt

Foto: Marco A. de Freitas

É uma espécie endêmica da Mata Atlântica brasileira. Caracteriza-se por uma pelagem espessa de cor castanho-claro, uniforme por todo o corpo, sem distinção entre o dorso e o abdome, e uma coleira de pêlos longos e pretos ao redor do pescoço, mais longa e nítida na região mediana do dorso.
Esta é a maior e mais pesada das preguiças do gênero, podendo atingir 10 kg de massa corpórea, sendo que as fêmeas são mais pesadas do que os machos.
Nos indivíduos adultos (acima de 4 anos), a coleira preta é maior e mais negra nos machos do que nas fêmeas. Possui hábito arborícola restrito, baixo metabolismo e dieta estritamente folívora, composta por espécies de árvores e cipós – pouco mais de 30 espécies foram até agora identificadas, sendo que cada indivíduo consome cerca de 15 a 20 espécies/ano.
Os indivíduos vivem solitariamente em áreas de vida que raramente excedem a 10 hectares. As fêmeas produzem apenas 1 filhote por ano, que atinge a independência por volta dos 8 a 10 meses de vida, quando abandona a área da mãe para outro local.
É nessa fase que os indivíduos são mais atacados por felinos e outros predadores, pois são pequenos e inexperientes, descendo ao chão com freqüência durante as movimentações pela mata (CHIARELLO, 2008).

alt

MACHADO et al., 2005

GRUPO Mamíferos
ESPÉCIE Bradypus torquatus Illiger, 1811
NOME VULGAR Preguiça de coleira; Preguiça; Bicho-preguiça
FATORES DE AMEAÇA Perda/fragmentação de habitats, incêndios e caça.
BIOMA Mata Atlântica
PLANO DE AÇÃO PAN Mamíferos Mata Atlântica Central (portaria n134, 23/12/2010)
CENTROS DE PESQUISA CPB
UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - Rebio de Una², EE de Wenceslau Guimarães¹, RPPN Ecoparque de Una¹ (BA);

- Flona de Goytacazes², Rebio de Comboios², Rebio de Augusto Ruschi², Flona Rio Preto², Estação Biológica de Santa Lúcia¹, PM Natural de São Lourenço¹, Rebio Estadual de Duas Bocas¹ (ES);

- Parna da Serra dos Órgãos², Rebio União², Rebio de Poço das Antas², APA da Bacia do rio São João/Mico-Leão-Dourado² (RJ).
REFERÊNCIAS - ¹CHIARELLO, A. G. Bradypus torquatus Illiger, 1811. In: MACHADO, A. B. M; DRUMMOND, G. M.; PAGLIA, A. P. (eds). Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Volume II. 1.ed. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2008. p. 704 - 706.

- MACHADO, A. B. M; MARTINS, C. S.; DRUMMOND, G. M. (eds). Lista da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção: Incluindo as Espécie Quase Ameaçadas e Deficientes em Dados. Belo Horizonte: Fundação Biodiversitas, 2005. 160 pp.

- ²NASCIMENTO, J.L.; CAMPOS, I.B. (orgs.). Atlas da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção em Unidades de Conservação Federais. Brasília, DF: ICMBio, 2011. 276 pp.
alt alt