Tartarugas de couro nascem na Bahia

Brasília (26/02/2013) - Os pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação das Tartarugas Marinhas (Tamar), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), registraram pela primeira vez o nascimento de tartarugas de couro ou gigantes (Dermochelys coriacea), na área monitorada pela base de Sauípe, na Bahia, na praia de Massarandupió, município de Entre Rios, aproximadamente 30 quilômetros ao norte da Praia do Forte.

O ninho gerou 49 filhotes que nasceram e seguiram para o mar sem a interferência humana. Quando os pesquisadores chegaram ao local, a maioria já tinha seguido, alguns ainda estavam no ninho e outros sem vida. Os filhotes retidos, mais fragilizados, foram levados pelos pesquisadores para os devidos cuidados da equipe de veterinários da base da Praia do Forte. Os recém-nascidos precisarão de ajuda para sobreviver e serão fundamentais para que se possam estudar sua biologia e comportamento e ainda dar a oportunidade para que as pessoas possam conhecer essa espécie considerada rara pelos pesquisadores.

Segundo o coordenador nacional do ICMBio/Tamar, o oceanógrafo Guy Marcovaldi, já houve no norte da Bahia um ninho dessa espécie, mas não foi possível acompanhar o nascimento dos filhotes. As tartarugas de couro costumam desovar fora da área comum a sua espécie. Elas são as mais misteriosas, afirma o coordenador, pois vivem em águas oceânicas.

Por causa de seu enorme tamanho e peso, até 2,5 metros e 700 kg, são difíceis de embarcar para marcação e biometria. “Poder estudá-las e acompanhar o crescimento dos filhotes será de fundamental importância para o avanço do conhecimento sobre as tartarugas marinhas e sobre as melhores práticas para sua conservação”, disse Guy.

A tartaruga de couro é a espécie mais ameaçada de extinção no Brasil. Suas desovas se concentram principalmente em praias do norte do Espírito Santo. No Delta do Parnaíba, no Piauí, também têm sido registradas desovas, que podem ocorrer de forma esparsa ao longo da costa, como já ocorrido isoladamente no Rio de Janeiro, Paraná, sul da Bahia (Prado), sul do Espírito Santo e norte da Bahia.

Na temporada passada (2011-12) de reprodução das tartarugas marinhas, o Tamar no Espírito Santo levou ao mar em segurança 7.744 filhotes de tartarugas de couro.

Saiba mais:

A maior tartaruga marinha de todas

Comunicação ICMBio
(61) 3341-9280