Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Fauna Brasileira > O Que é Avaliação do Risco de Extinção
Início do conteúdo da página

O Que é Avaliação do Risco de Extinção

A estratégia adotada pelo Instituto Chico Mendes para coordenar a atualização das Listas Nacionais Oficiais das Espécies da fauna brasileira ameaçada de extinção é a avaliação do estado de conservação de todas as espécies de vertebrados que ocorrem em território nacional e de alguns grupos de Invertebrados (aqueles considerados indicadores da qualidade ambiental, como moluscos, crustáceos, corais, abelhas e borboletas). Este trabalho resultou em um diagnóstico do risco de extinção das espécies, identificando e localizando as principais ameaçadas, as áreas importantes para a manutenção das espécies e a compatibilidade com atividades antrópicas. As avaliações também servem para o planejamento dos Planos de Ação Nacionais das espécies ameaçadas de extinção.

grf fauna

 A avaliação do estado de conservação das espécies foi realizada por grupos taxonômicos, utilizando a metodologia criada pela União Internacional para Conservação da Natureza - UICN, na qual cada espécie foi classificada em diferentes categorias de acordo com sua situação na natureza e risco de extinção em um futuro próximo, de acordo com informações sobre sua distribuição geográfica, tamanho populacional, características biológicas, ameaças a que está exposta e ações de conservação existentes.

processo

O processo constou de uma compilação inicial sobre as informações relevantes existentes na literatura e elaboração de mapa de distribuição geográfica para cada espécie, seguida por uma consulta dos especialistas, seja de forma direta, através de envio de mensagens e convite para contribuição ou de forma indireta, disponibilizando aqui no site do ICMBio, a relação das espécies que estavam sob avaliação e formulários para envio de contribuições. Com essas informações consolidadas, foram organizadas oficinas de trabalhos com a presença de um grupo representativo de especialistas, momento em que cada espécie teve a categoria de risco de extinção definida, com justificativa. 

A categoria de cada espécie foi determinada na oficina pela maioria dos participantes, seguindo rigorosamente o método utilizado, e posteriormente validada seguindo o método de análise de consistência, realizado por especialistas no uso das categorias e critérios da UICN.

O trabalho foi conduzido pela Coordenação de Avaliação do Estado de Conservação da Biodiversidade, ligada à Coordenação Geral de Manejo para a Conservação, e pelos centros de Pesquisa e Conservação do Instituto Chico Mendes. O objetivo do Instituto Chico Mendes era realizar a avaliação de cerca de 10.000 espécies até 2014. O objetivo foi alcançado, e foram avaliadas mais de 12.500 espécies da fauna brasileira, incluindo todos os vertebrados.

 Para saber mais sobre a revista BioBrasil, clique aqui.

registrado em:
Fim do conteúdo da página