Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Peixes - Hippocampus reidi Ginsburg, 1933 - Cavalo-marinho
Início do conteúdo da página

Peixes - Hippocampus reidi Ginsburg, 1933 - Cavalo-marinho

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Peixes
Actinopterygii
Syngnathiformes
Syngnathidae
Hippocampus reidi Ginsburg, 1933
Cavalo-marinho
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
VU
A2cd
Justificativa
Hippocampus reidi ocorre no oceano Atlântico Ocidental, do Cape Hatteras (EUA) à Argentina, habitando tipicamente manguezais, baías, recifes costeiros e prados submersos. A contribuição das subpopulações estrangeiras para a manutenção da subpopulação brasileira não é conhecida. Os cavalos-marinhos são um recurso intensamente explorado em todo o País. Estudos efetuados com a frota de arrasto pesqueira mostram que números alarmantes de indivíduos secos são comercializados por ano. Outros estudos mostram que existe um comércio bastante intenso de cavalos-marinhos vivos para fins ornamentais, que é amplamente baseado em exemplares de H. reidi coletados no Nordeste. Os cavalos-marinhos não são contemplados por registros oficiais da estatística pesqueira. Entretanto, dados obtidos diretamente dos pescadores indicam um declínio populacional nas ultimas décadas, com uma diminuição ou desaparecimento bem documentado em áreas onde esses animais eram comumente encontrados. Tendo em vista que os cavalos-marinhos continuam sendo intensamente explorados e que existe uma redução da população, que pode chegar a até 90% em algumas localidades, infere-se uma redução de ao menos 30% da população em todo o País nos últimos 10 anos. Os ambientes tipicamente habitados pelos cavalos-marinhos são susceptíveis a ações antrópicas, cujo declínio da qualidade do habitat pode comprometer a manutenção da subpopulação do País. Somado a isso, características de sua biologia como baixa fecundidade, viviparidade e baixa mobilidade, potencializam os impactos negativos identificados para a espécie. Por esses motivos, H. reidi foi categorizada como Vulnerável (VU) sob o critério A2cd.
Pesquisadores Participantes do Processo*

Athila Bertoncini Andrade - UFF/Ecopesca, Carlos Eduardo Leite Ferreira – UFF, Caroline Vieira Feitosa – UFERSA, Cláudio Luís Sampaio – UFAl, Fabio Di Dario – UFRJ, Felippe Daros -UFPR/CEM, Henrique Anatole Cardoso Ramos – IBAMA, Jean-Christophe Joyeux – UFES, João Luiz Gasparini – UFES, Johnatas Adelir Alves – UESC, Jonas Rodrigues Leite – UFES, Leonardo Machado – UFES, Luiz A. Rocha - California Academy of Sciences, EUA, Mauricio Hostim Silva – UFES, Paulo Roberto Duarte Lopes – UEFS, Ramon Cardoso Noguchi - UFRJ, Roberta Aguiar dos Santos - CEPSUL/ICMBio, Robson Tamar da Costa Ramos – UFPB, Rodrigo Leão de Moura – UFRJ, Ronaldo Bastos Francini-Filho – UFPB, Sergio de Magalhães Rezende – UFPE, Sergio Ricardo Floeter – UFSC, Tommaso Giarrizzo – UFPA.

* São listados os nomes de todos os pesquisadores que participaram de qualquer etapa do processo de avaliação do estado de conservação da espécie (envio de informações e oficina de avaliação). A categoria foi determinada na oficina pela maioria dos participantes, seguindo rigorosamente o método utilizado, e posteriormente validada seguindo o método de análise de consistência.

Referências
Breder, C.M. & Rosen, D.E. 1966. Modes of reproduction in fishes. T.F.H. Publications, Neptune City, New Jersey. 941p.
Carvalho , P.C. 1964. Comentários sobre os peixes mencionados na obra “História dos animais e árvores do Maranhão” de Frei Cristóvão de Lisboa. Arquivos de Estudos Biológicos e Marinhos da Universidade Federal do Ceará, 4:1-39.
Castro, A. L. C., A. F. Diniz, I. Z. Martins, A. L. Vendel, T. P. R. Oliveira & I. L. Rosa. 2008. Assessing diet composition of seahorses in the wild using a non destructive method: Hippocampus reidi (Teleostei: Syngnathidae) as a study-case. Neotropical Ichthyology, 6(4): 637-644.
Corrêa, M. F. M., A. A. Moura-Cordeiro & I. M. Justi. 1986. Catálogo dos peixes marinhos da coleção da Divisão de Zoologia e Geologia da Prefeitura de Curitiba - I. Neritica 1 (1): 1-83.
Corrêa, M. F. M. 1987. Ictiofauna da Baía de Paranaguá e adjacências (Litoral do Estado do Paraná - Brasil). Levantamento e Produtividade. Curitiba: Univ. Federal do Paraná, Dissertação de Mestrado em Zoologia, 391 p.
Dias, T.L. ; Rosa, I.L. ; Baum, J.K. 2002. Threatened fishes of the world: Hippocampus erectus Perry, 1810 (Syngnathidae). Environ. Biol. Fishes, 65(3): 326.
Dias, T.L. & Rosa, I.L. 2003. Habitat preferences of a seahorse species, Hippocampus reidi (Teleostei: Syngnathidae) in Brazil. Aqua, Journal of Ichthyology and Aquatic Biology, v.6(4), pp. 165-173.
Freire, K.M.F. & Carvalho Filho, A. 2009. Richness of common names of Brazilian reef fishes. Panamjas, 4(2): 96-145.
Freitas, M.O., Spach, H.L. & Hostim-Silva, M. 2011. Variação espaço-temporal da assembleia de peixes demersais em uma área de pesca do camarão sete-barbas no sul do Brasil. Neotropical Biology and Conservation 6(1): 44-54.
Fritzsche 2002. Syngnathidae. In: Carpenter, K. E. (ed). The living marine resources of the Western Central Atlantic. Volume 2: Bony fishes part 1 (Acipenseridae to Grammatidae). FAO species identification guide for fishery purposes and American Society of Ichthyologist and Herpetologists Special Publication No. 5. FAO, Rome. pp. 601-1374.
Garcia-Junior, J. 2006. Inventário das espécies de peixes da costa do Estado do Rio Grande do Norte e aspectos zoogeográficos da ictiofauna recifal do Oceano Atlântico. Dissertação de Mestrado em Bioecologia Aquática. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN. 134 p.
Gibran, F.Z. & Moura, R.L. 2012. The structure of rocky reef fish assemblages across a nearshore to coastal islands gradient in Southeastern Brazil. Neotropical Ichthyology v.10(2), pp. 369-382.
Hackradt, C.W. & Félix-Hackradt, F.C. 2009. Assembléia de peixes associados a ambientes consolidados no litoral do Paraná, Brasil: Uma análise qualitativa com notas sobre sua bioecologia. Papéis Avulsos de Zoologia. Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo, São Paulo. Vol 49(31), pp. 389-403.
Haimovici , M. & Mendonça, J.T. 1996. Descartes da fauna acompanhante na pesca de arrasto de tangones dirigidas a linguados e camarões na plataforma continental do sul do Brasil. Atlântica, 18:161-177.
Hercos, A.T. & Giarrizzo, P. 2007. Pisces, Syngnathidae, Hippocampus reidi: Filling distribution gaps. Check List, 3: 287-290.
IBAMA, 2011. Proposta de Plano Nacional de Gestão para o uso sustentável de Cavalos-Marinhos do Brasil. José Dias Neto (Org.).– Brasília, 104p.
Jennings, S., Reynolds, J.D. & Mills, S.C. 1998. Life history correlates of responses to fisheries exploitation. Proceedings of the Royal Society of London Series B 265: 333-339.
Lapec: Laboratório de peixes, ecologia e conservação, Universidade Federal da Paraíba http://www.dse.ufpb.br/lapec/probio.html (Acessado em 20 de novembro de 2010).
Lourie, S.A.; Vincent, A.C. J. & Hall, H.J. 1999; Seahorses: an identification guide to the world’s species and their conservation. London: Project Seahorse, 214 p.
Luiz Jr., O.J., Carvalho-Filho, A., Ferreira, C.E.L., Floeter, S.R., Gasparini, J.L. & Sazima, I. 2008. The reef fish assemblage of the Laje de Santos Marine State Park, Southwestern Atlantic: annotated checklist with comments on abundance, distribution, trophic structure, symbiotic associations, and conservation. Zootaxa, 1807, pp. 1-25.
Mai, A. C. G.; Rosa, I. L. 2009. Aspectos ecológicos do cavalo-marinho Hippocampus reidi no estuário Camurupim/Cardoso, Piauí, Brasil, fornecendo subsídios para a criação de uma Área de Proteção Integral. Biota Neotrop., 9: 1-7;
Mai, A.C.G & Velasco, G. 2012. Population dynamics and reproduction of wild longsnout seahorse Hippocampus reidi. Journal of the Marine Biological Association of the United Kingdom, 92(2): 421-427.
Musick, J. A., M. M. Harbin, S. A. Berkeley, G. H. Burgess, A. M. Eklund, L. Findley, R. G. Gilmore, J. T. Golden, D. S. Ha, D. S. Huntsman, J. C. McGovern, S. J. Parker, S. G. Poss, E. Sala, T. W. Schmidt, G. R. Sedberry, H. Weeks & S. G. Wright. 2000. Marine, estuarine, and diadromous fish stocks at risk of extinction in North America (exclusive of Pacific Salmonids). Fisheries 25 (11), pp. 6-30.
Piacentino, G.L.M. 2008. Area de distribución para el género Hippocampus e H. patagonicus (Piacentino & Luzzatto 2004) y nueva cita para H.reidi (Guinsburg 1933) en el mar argentino (Pisces, Syngnathiformes). Bol. Lab. Hidrobiol. Un. Fed. Maranhão, 21: 107-111.
Pinho, R.S.O.; Azevedo, A.S. & Carvalho, M.H.R. 2010. Ocorrência de Hippocampus reidi (Teleostei: Syngnathidae) na porção noroeste no Delta da Parnaíba, Pontal do Cajueiro (Tutóia - MA, Brasil). Resumo. XX VIII Congresso Brasileiro de Zoologia, Belém, PA, Brasil.
Project Seahorse 2003. Hippocampus reidi. In: IUCN 2012. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2012.1. . Downloaded on 16 July 2012.
Queiroz, G.M.C.N; Spach, H.L.; Morelos, M.S. & Schartz Jr., R. 2007. a Ictiofauna demersal de áreas com diferentes níveis de ocupação humana, no estuário de Paranaguá. Arquivos de Ciências do Mar, Fortaleza, 40: 80-91.
Rocha, L.A., Rosa, I.L. & Rosa, R.S. 1998. Peixes Recifais da Costa da Paraíba, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia. n. 15(2), pp. 553-566.
Rocha, G.R.A. & Rossi-Wongtschowski, C.L.D.B. 1998. Demersal fish community on the inner shelf of Ubatuba, southeastern Brazil. Rev. brasil. oceanogr., v.46(2), pp. 93-109.
Rosa, I. L. 2005. National Report - Brazil. In: Bruckner, A.W.; Fields, J.D.; Daves, N. (Ed.). The Proceedings of the International Workshop on CITES Implementation for Seahorse Conservation and Trade. NOAA Techinical Memorandum NMFS-OPR-35. 1.ed. Silver Spring, 1: 46-53.
Rosa, I.L.; Dias, T.L. & Baum, J.K. 2002. Threatened fishes of the world: Hippocampus reidi Ginsburg, 1993 (Syngnathidae). Environmental Biology of Fishes, 64, 378.
Rosa, I. L.; Barros, A. T.; Xavier, J. H. A. & Cortez, C. S. 2005. Dados populacionais de cavalos-marinhos Hippocampus reidi Ginsburg, 1933 (Teleostei: Syngnathidae) capturados para fins de aquarismo no Nordeste do Brasil. Boletim Técnico Científico do CEPENE, 13, 1: 25-38.
Rosa, I.M.L; Alves, R.N.; Bonifácio, K.M.; Mourão, J.S.; Osório, F.M.; Oliveira, T.P.R & Nottingham, M.C. 2005. Fisher’s knowledge and seahorse conservation in Brazil. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, 1: 1-12, doi:10.1186/1746-4269-3-14.
Rosa, I.L.; Moraes, L.E.; Dias, T.L.P.; Barros, G.M.L.; Nottingham ; M.; Osório, F.M.; Monteiro-Neto, C. ; Oliveira, T.P.R. ; Araújo, M.E.; Rodrigues, A.M. 2010. Cavalos-marinhos - Hippocampus spp. In: Rambaldi, D.M. (Org.). Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção Recomendações para o manejo e Políticas Públicas. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 39-53.
Rosa, I.L.; Oliveira, T.P. R.; Castro, A.L.; Moraes, L.E.; Dias, T.L.P.; Nottingham, M. C.; Xavier, J. H. A.; Bruto-Costa, L.V.; Birolo, A.B.; Mai, A.C.G.; Monteiro-Neto, C. 2007. Population characteristics, space use and habitat associations of the seahorse Hippocampus reidi (Teleostei: Syngnathidae). Neotropical Ichthyology, 5: 405-414.
Rosa, I.L., Oliveira, T.P.R., Osório, F. M., Moraes, L.E., Castro, A.L.C., Barros, G.M.L. & Alves, R.R.N. 2011. Fisheries and trade of seahorses in Brazil: historical perspective, current trends, and future directions. Biodiversity and Conservation, 20(9): 1951–1971.
Sampaio, C.L.S. & Nottingham, M.C. 2008. Guia para identificação de peixes ornamentais – volume I: espécies marinhas. Brasília: IBAMA, 205 p.
Sibip/Neodat III. Sistema Brasileiro de Informações sobre Biodiversidade de Peixes. Sistema Nacional de Informações sobre Coleções Ictiológicas. http://www.mnrj.ufrj.br/ pronex.htm. Nov. 2010.
Silveira , R.B. 2011. Cavalos-marinhos e os fatores que afetam seu atual estado de conservação. Aquarium, 31: 15-17.
Splink. Sistema de Informação Distribuído para Coleções Biológicas: A integração do Species Analyst e SinBiota (Fapesp). http://www.splink.org.br/ (versão março/2012).
UNEP-WCMC. 16 July, 2012. UNEP-WCMC Species Database: CITES-Listed Species
Vari, R. 1982. Fishes of the western North Atlantic, subfamily Hippocampinae. The seahorses. Sears Foundation for Marine Research Memoir, Yale University, USA. 1(8): 173-189.
Vilar, C.C., Spach, H.L. & Santos, L.O. 2011.Fish fauna of Baía da Babitonga (southern Brazil), with remarks on species abundance, ontogenic stage and conservation status. Zootaxa 2734: 40–52
Vincent, A.C.J. 1996. An uncertain future for seahorses. Marine Conservation, 3(9): 8-9.
Vincent, A.C.J. & Sadler, L.M. 1995. Faithful pair bonds in wild seahorses, Hippocampus whitei. Animal Behaviour 50: 1557-1569.

 

 

Fim do conteúdo da página