Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Parque registra onça-parda com leucismo
Início do conteúdo da página

Parque registra onça-parda com leucismo

Publicado: Segunda, 10 de Dezembro de 2018, 16h32
O registro foi feito por armadilhas fotográficas usadas para um projeto de pesquisa.
Puma
A equipe do Parque Nacional da Serra dos Órgãos divulgou, na semana passada, fotos de um indivíduo de onça-parda (Puma concolor) com leucismo. O leucismo é uma alteração genética que causa a despigmentação dos pelos de parte ou todo o corpo do animal. Ao contrário do albinismo, o leucismo não afeta a íris e outras partes sem pelo no animal e não confere maior sensibilidade à luz do sol.

Trata-se do primeiro registro de leucismo em onças-pardas no mundo. Este tipo de alteração é raro em mamíferos, já tendo sido registrado em tigres e leões. O ineditismo do registro fez com que a foto viralizasse na internet, assim que foi publicada no perfil do Instagram de um dos coautores do trabalho, Lucas Gonçalves, da UFRPE.

O registro foi feito em armadilhas fotográficas usadas no projeto de pesquisa “Inventário e monitoramento de mamíferos de médio e grande porte no PARNASO”, coordenado pela servidora e pesquisadora Cecilia Cronemberger de Faria. Este projeto foi financiado pelos editais internos de pesquisa do ICMBio nos anos de 2010, 2011 e 2012, e contou com o apoio do Centro Nacional de Pesquisas e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap) e do Laboratório de Vertebrados da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Além disso, o projeto recebeu bolsas de iniciação científica do PIBIC/ICMBio nos anos de 2010, 2011 e 2012. Atualmente, o projeto faz parte do Programa de Monitoramento de Biodiversidade do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Programa Monitora). 

Cecília Cronemberger atualmente está cursando o doutorado, no qual pretende avaliar e propor melhorias ao Programa de Monitoramento de Biodiversidade no Parque. Segundo Cecília, a visibilidade que o registro ganhou pode ser muito útil para conseguir financiamento para as atividades de monitoramento no Parque e para mostrar a importância de manter o monitoramento da biodiversidade em unidades de conservação. “O monitoramento tem o objetivo de acompanhar e compreender as flutuações das populações de espécies que ocorrem na unidade de conseervação, mas também favorece descobertas como essa, tão valiosas para a ciência”, ressalta Cecília.

O artigo científico, que será publicado no próximo número da revista Cat News, além da servidora Cecília Cronemberger, conta com a participação da servidora Ana Elisa de Faria Bacellar e da ex-bolsista do Programa PIBIC/ICMBio, Fabiane de Aguiar Pereira, atualmente funcionária do Parque Serra dos Órgãos.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página