Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Ajude a prevenir incêndios florestais
Início do conteúdo da página

Ajude a prevenir incêndios florestais

Publicado: Segunda, 24 de Agosto de 2015, 18h20

Veja as recomendações da Coordenação de Emergências Ambientais do ICMBio

Veja as recomendações da Coordenação de Emergências Ambientais do ICMBio


© Todos os direitos reservados. Foto: Peter Caton

Nana Brasil
ascomchicomendes@icmbio.gov.br

Brasília (24/08/2015) – Todos os anos, no período da seca nas regiões Norte, Centro-Oeste e Sudeste (junho a outubro) ocorrem muitos incêndios florestais. Por negligência ou ação criminosa, em sua grande maioria, os incêndios são causados pela ação humana e podem gerar grandes prejuízos à natureza, destruindo a fauna e a flora.

"Os danos ambientais de um incêndio podem ser irreversíveis. A manutenção do meio ambiente é um dever de todos", adverte o coordenador de Emergências Ambientais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Christian Berlinck.

Para evitar incêndios, o ICMBio, que administra 320 unidades de conservação (UC) federais em todo o país, divulga informações para conscientizar as pessoas sobre hábitos que colocam a natureza em risco.

A Coordenação de Emergências Ambientais (COEM/ICMBio), responsável pelas ações de controle e combate a incêndios, lembra que os meses de agosto e setembro são os mais secos e, portanto, os mais críticos. Nesses meses, o fogo costuma ter maior intensidade e pode facilmente sair do controle.

Entre as principais causas de incêndio, estão a limpeza de pastagem para agricultura e pecuária, a queima de entulho, as fogueiras e a prática ilegal de soltar balões. "O fogo natural só ocorre quando o local é atingido por raio", explica o analista ambiental da Coem, Luciano Malanski.

Para garantir a proteção do meio ambiente, a Coordenação de Emergências Ambientais dá as seguintes orientações:

Moradores ou vistantes de áreas verdes

- Evite o uso do fogo, que deve ser substituído por lanternas ou outros equipamentos não inflamáveis.

- Evite, também, a queima de lixo e entulho em áreas de vegetação. O ideal é que esse tipo de material tenha destinação adequada, como aterros sanitários, coleta seletiva, compostagem (técnica de reciclagem do lixo orgânico), entre outras.

Agricultores e pecuaristas

- Adote medidas preventivas para que o fogo não se torne um incêndio. Produtores rurais usam o fogo para limpar o terreno para plantio, combater pragas e renovar a pastagem. A queima controlada é passível de autorização em alguns estados. "Porém, quando sai do controle, torna-se um incêndio florestal com grandes impactos negativos, especialmente em formações vegetais mais sensíveis ao fogo", reforça Luciano Malanski.

- Para realizar uma queima dentro da legalidade, o produtor rural deve antes obter uma autorização no órgão ambiental competente, que fornecerá todas as orientações necessárias (período e horários permitidos, por exemplo). Porém, o fogo para agricultura e pecuária deve ser evitado nos meses mais secos e quentes do ano.

Incêndios em unidades de conservação (UC) 

- Entre em contato com a equipe gestora da UC, para que a brigada de combate a incêndios do ICMBio seja acionada. Os telefones das unidades podem ser acessados aqui.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página