Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Na Reserva Biológica União, a natureza ao alcance de todos
Início do conteúdo da página

Tamar celebra 25 milhões de tartarugas devolvidas ao mar em 35 anos

Publicado: Sexta, 26 de Fevereiro de 2016, 17h48
A soltura de filhotes em comemoração à data ocorrerá na Barra da Lagoa-SC


A soltura de filhotes em comemoração à data ocorrerá na Barra da Lagoa-SC

Foto: Projeto Tamar

Sandra Tavares
ascomchicomendes@icmbio.gov.br

Brasília (26/02/2016) – O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Tartarugas Marinhas (TAMAR/ICMBio) celebra um importante marco nesta temporada de desovas 2015/2016. Foram mais de 25 milhões de tartarugas protegidas e liberadas ao mar ao longo de 35 anos de existência do centro.

Em comemoração ao marco toda a comunidade de Santa Catarina é convidada a participar de uma soltura de filhotes da espécie Caretta caretta, popularmente conhecida como tartaruga-cabeçuda, que acontece neste sábado, dia 27 de fevereiro, a partir das 09h00, na praia da Barra da Lagoa em Florianópolis, em frente ao Projeto Tamar.

“Convocamos toda a comunidade da região a participar”, explica o chefe do Tamar Nacional João Thomé. A história para se chegar a esta soltura, é que no dia 04 de dezembro de 2015 um ninho foi encontrado na praia do Moçambique, litoral de Florianópolis-SC.

A desova da espécie Caretta caretta foi encontrada pela equipe da R3 Animal, integrante do projeto de monitoramento de praias (PMP) e comunicada ao TAMAR. Já no dia 17 de fevereiro de 2016, o ninho foi avaliado para checar se ovos haviam eclodido e apenas dois filhotes haviam rompido a casca.

O ninho eclodiu no dia 22 de fevereiro, após 80 dias de incubação. E do total de 142 ovos, apenas 61 filhotes nasceram.

No Brasil, cerca de 80% das desovas de tartarugas marinhas são da espécie Caretta caretta. As principais áreas de reprodução desta espécie ao longo da costa brasileira estão localizadas no norte da Bahia, Espírito Santo, norte do Rio de Janeiro e Sergipe.

No entanto, apesar das ocorrências reprodutivas serem raras em Florianópolis, alguns eventos esporádicos já foram documentados, como dois ninhos da C. caretta, um na praia do Campeche, em 2010 e outro na Lagoinha do Norte, em 2009.

O litoral sul do Brasil é uma importante área de alimentação para tartarugas-verdes (Chelonia mydas), tartarugas-cabeçudas (Caretta caretta) e tartarugas-de-couro (Dermochelys coriacea).

Sobre o Tamar/ICMBio

O Tamar, programa brasileiro de conservação das tartarugas marinhas, é a soma de esforços entre o Centro Tamar-ICMBio e da Fundacao Pro-Tamar, que conta com o patrocínio nacional da Petrobras e parcerias e apoios locais em oito estados brasileiros.

Como centro de pesquisa, o Tamar-ICMBio atua em três linhas de ação: conservação e pesquisa aplicada, educação ambiental e desenvolvimento local sustentável. Reconhecido internacionalmente pelas ações de conservação marinha, serve de modelo para outros países, sobretudo porque envolve as comunidades costeiras diretamente no seu trabalho socioambiental.

Surgiu em 1980 com o objetivo de proteger as tartarugas marinhas. As atividades estão concentradas em 21 bases, distribuídas em mais de 1.100 km de costa. As atividades tem envolvido cerca de 1.200 pessoas, a maioria moradores das comunidades, e são essenciais para a proteção das tartarugas marinhas, pois melhoram as condições do seu habitat e reduzem a pressão humana sobre os ecossistemas e as espécies.

Com o tempo, porém, percebeu-se que os trabalhos não poderiam ficar restritos às tartarugas, pois uma das chaves, para o sucesso desta missão, seria o apoio ao desenvolvimento das comunidades costeiras, de forma a oferecer alternativas econômicas que amenizassem a questão social, reduzindo assim a pressão humana sobre as tartarugas marinhas.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página