Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Ararinha-azul é vista voando livre na caatinga baiana
Início do conteúdo da página

Ararinha-azul é vista voando livre na caatinga baiana

Publicado: Sexta, 24 de Junho de 2016, 16h45

Ave é considerada extinta na natureza. Origem do exemplar avistado é desconhecida. ICMBio fará na próxima semana expedição à região

Carla and Tiago ACTP 0072

Brasília (24/06/2016) – Um exemplar de ararinha-azul – ave considerada extinta na natureza – foi visto voando livremente na região de caatinga de Curaçá, no interior do Bahia, habitat exclusivo da espécie desaparecida desde 2002. Surpresos, moradores registraram a ocorrência em vídeo. Clique aqui para assistir.

O primeiro a avistar a ave foi o agricultor Nauto Sergio Oliveira, no sábado (18). Assim que confirmou se tratar de uma ararinha-azul, comunicou a seus vizinhos. No dia seguinte, Lourdes Oliveira e sua filha Damilys Oliveira levantaram-se ainda de madrugada e foram procurar a ararinha nas matas ciliares da região.

Às 6h20 da manhã, conseguiram não apenas ver a ave, mas também registrá-la através de um vídeo gravado com o celular de Damilys. Com o vídeo na mão, Lourdes entrou em contato com os biólogos que integram o projeto Ararinha na Natureza, coordenado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Expedição e reforço na proteção

A origem da ave avistada é desconhecida, mas ela pode ser oriunda de cativeiro. Na próxima semana, uma expedição liderada pelo ICMBio se juntará aos esforços dos moradores locais na tentativa de localizar a ararinha e obter o maior número de informações possíveis.

A expedição também é uma das ações do projeto Ararinha na Natureza, patrocinado pela empresa Vale, através do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio). Conheça abaixo todos os parceiros do projeto.

Segundo Ugo Vercillo, diretor de Biodiversidade do Ministério Meio Ambiente, que também integra o projeto Ararinha na Natureza, o fato de aparecer uma ararinha na região de Curaçá reforça ainda mais a necessidade de proteção da área.

Ações em campo e programa de cativeiro

Desde 2013 o projeto Ararinha na Natureza vem trabalhando para criar uma unidade de conservação (UC) com 44 mil hectares no município de Curuçá, com o objetivo de proteger a caatinga e as matas ciliares da região. A ideia é usar a área para fazer nos próximos anos as primeiras solturas de ararinhas mantidas em cativeiro.

Em paralelo aos esforços em campo, a reprodução da espécie em cativeiro para posterior reintrodução na natureza é crucial para o sucesso do projeto e conta com a participação dos criadouros AWWP (Qatar), ACTP (Alemanha) e Fazenda Cachoeira (Brasil), que mantém cerca de 120 ararinhas-azuis e nos próximos anos disponibilizarão os primeiros indivíduos a serem reintroduzidos em Curaçá.

Contatos:

ICMBio: Camile Lugarini (48) 9147-5565 camile.lugarini@icmbio.gov.br
MMA: Ugo Vercillo: (61) 98526-6888 ugo.vercillo@mma.gov.br
Facebook: www.facebook.com/ararinhananatureza
Comunicação ICMBio (61) 2028-9280
Ascom MMA (61) 2028-1227


Saiba quem são os parceiros do Projeto Ararinha-Azul

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade foi criado em 2007 e é ligado ao Ministério do Meio Ambiente. Cabe ao Instituto propor, gerir, proteger e monitorar as unidades de conservação instituídas pela União e desenvolver programas de pesquisa, proteção, preservação e conservação da biodiversidade. Além disso, o ICMBio avalia o estado de conservação das espécies animais e seus riscos de extinção e elabora e coordena planos de ação nacionais para a conservação das espécies ameaçadas. www.icmbio.gov.br

Centro Nacional de Pesquisa e Conservação das Aves Silvestres (Cemave)

Vinculado atualmente ao ICMBio, foi criado em 1977 com o objetivo de difundir e coordenar o anilhamento como técnica de pesquisa com aves em nível nacional por meio do Sistema Nacional de Anilhamento. Atualmente atua no desenvolvimento de pesquisas com aves brasileiras, sendo responsável pela avaliação do estado de conservação das aves brasileiras, lista de espécies ameaçadas, elaboração e coordenação dos Planos de Ação Nacional para espécies ameaçadas, monitoramento da efetividade das Unidades de Conservação Federais e programas de monitoramento relacionados ao licenciamento ambiental, na esfera federal. http://www.icmbio.gov.br/cemave 

Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil (SAVE Brasil)

A Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos voltada à preservação das aves brasileiras. A SAVE Brasil representa a aliança BirdLife International no país e compartilha suas prioridades, políticas e programas de conservação para implementar os objetivos globais da aliança no âmbito nacional. Com experiência consolidada de mais de 10 anos em conservação da biodiversidade, a SAVE Brasil desenvolve programas e projetos em conjunto com organizações não-governamentais, governos, comunidades locais e empresas, com a missão de preservar as aves e os ambientes naturais por um planeta saudável para as atuais e futuras gerações. www.savebrasil.org.br 

Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio – Carteira Fauna Brasil)

O Fundo Brasileiro para a Biodiversidade é uma associação civil sem fins lucrativos que mobiliza recursos e oferece serviços em prol da conservação da biodiversidade como: desenho e gestão de mecanismos financeiros, seleção e gerenciamento de projetos, compras e contratações para projetos ambientais e articulação de atores em redes nacionais e internacionais. Administrada pelo Funbio, a Carteira de Conservação da Fauna e dos Recursos Pesqueiros Brasileiros – Carteira Fauna Brasil, é fruto de uma parceria com o Ibama, o ICMBio e o Ministério Público Federal, e tem por objetivo financiar programas e projetos de conservação da fauna brasileira com recursos oriundos de sanções penais, multas administrativas ambientais, doações, patrocínios e outras fontes.www.funbio.org.br

Vale

Líder global na produção de minério de ferro e pelotas, a Vale tem sede no Brasil e atua em mais de 30 países nos cinco continentes. A empresa tem como missão transformar recursos naturais em prosperidade e desenvolvimento sustentável, trabalhando de forma responsável e comprometida com a sustentabilidade de seus negócios. A Vale protege ou ajuda a proteger mais de 12,4 mil km² de áreas naturais, que são quase 2,5 vezes maiores do que o somatório de suas unidades operacionais, de 4,9 mil km². As áreas protegidas abrangem os biomas Amazônia, Mata Atlântica e de transição entre a Mata Atlântica e o Cerrado – todas de alto valor para a conservação da biodiversidade. Em 2013, a Vale investiu cerca de US$ 1,3 bilhão em ações socioambientais. Mais informações sobre a empresa no site: www.vale.com.

Al-Wabra Wildlife Preservation

A fazenda Al-Wabra é um oásis de áreas verdes, palmeiras e muitos animais selvagens raros de todas as partes do mundo. Movida pela paixão à natureza do Sheik Saoud Bin Mohammed Bin Ali Al-Thani, uma equipe internacional de especialistas veterinários, biólogos e criadores se dedica ao cuidado e à conservação dos animais raros e, em grande parte, ameaçados de extinção, que podem ser encontrados na fazenda. awwp.alwabra.com

ACTP - Association for the Conservation of Threatened Parrots

A Association for the Conservation of Threatened Parrots (Associação para a Conservação de Papagaios Ameaçados - ACTP) é uma organização registrada sem fins lucrativos, com o objetivo de preservar aves ameaçados e seus habitats ao redor do mundo, utilizando espécies raras de papagaios como exemplos e embaixadores pela conservação total de ecossistemas e comunidades de aves. Para alcançar estes objetivos, a ACTP irá cooperar com instituições científicas, organizações internacionais de conservação, autoridades governamentais e a grande comunidade de criadores institucionais e privados de papagaios. www.act-parrots.eu

Fazenda Cachoeira

Criadouro conservacionista que possui mais de 100 indivíduos de psitacídeos e experiência com criação de papagaio-verdadeiro (Amazona vinacea), ararajuba (Guaruba guarouba), arara-azul-grande (Anodorhynchus hyacinthinus), além de espécies ameaçadas de mutuns e jacutingas como o mutum-do-nordeste (Pauxi mitu) e a jacutinga (Aburria jacutinga). Estão envolvidos em vários Programas de cativeiro, com destaque para a conservação da arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) e, desde 2016, no Programa de cativeiro da ararinha-azul, com 12 indivíduos e um casal formado.

Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil (SAVE Brasil)

A Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos voltada à preservação das aves brasileiras. A SAVE Brasil representa a aliança BirdLife International no país e compartilha suas prioridades, políticas e programas de conservação para implementar os objetivos globais da aliança no âmbito nacional. Com experiência consolidada de mais de 10 anos em conservação da biodiversidade, a SAVE Brasil desenvolve programas e projetos em conjunto com organizações não-governamentais, governos, comunidades locais e empresas, com a missão de preservar as aves e os ambientes naturais por um planeta saudável para as atuais e futuras gerações. www.savebrasil.org.br
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página