Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > UC catarinense avalia impactos do turismo embarcado
Início do conteúdo da página

Governo quer aumentar número de UCs em 2017

Publicado: Terça, 24 de Janeiro de 2017, 15h21
Esta é uma das prioridades estabelecidas pelo Ministério do Meio Ambiente, juntamente com o combate ao desmatamento e a atenção às comunidades tradicionais

SOAVINSKU

Brasília (24/01/2017) – O aumento do número de unidades de conservação (UCs) é uma das prioridades do Ministério do Meio Ambiente (MMA) para o ano de 2017, juntamente com o combate ao desmatamento e a atenção às comunidades tradicionais. Atualmente, o Brasil dispõe de 327 UCs federais distribuídas por todo o País. No total, elas somam mais de 70 milhões de hectares, cerca de 10% do território nacional.

A decisão foi tomada pelo ministro Sarney Filho em reunião realizada ontem (segunda-feira, 23) com equipe da pasta e dos órgãos vinculados, entre eles o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que administra as UCs federais, e o secretário-executivo do MMA, Marcelo Cruz. Juntos, eles analisaram os resultados já alcançados e definiram as estratégias para diversas áreas da agenda ambiental.

O objetivo é integrar iniciativas de proteção ambiental a uma economia verde capaz de assegurar os direitos das populações tradicionais. “É fundamental prestigiar a vertente da sustentabilidade, punir quem está na ilegalidade e dar conforto a quem está na legalidade”, defendeu Sarney Filho. “O principal objetivo do desenvolvimento sustentável é valorizar a floresta em pé”, acrescentou o ministro.

O secretário-executivo do MMA destacou, entre outras coisas, a importância de medidas para contratar brigadistas para atuar nas unidades de conservação. O objetivo é aumentar a efetividade das ações de conservação nessas áreas. "Esse é o trabalho que temos de fazer", ressaltou Marcelo Cruz.

Ampliação

O aumento no território sob regime de proteção está entre os focos da atuação do MMA. No ano passado, houve um incremento de 4,1% das áreas de conservação federais com a criação de sete novas unidades e a ampliação de outras duas. O presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski, afirmou que a previsão é dar continuidade a esse crescimento e fomentar a colaboração para a gestão dessas áreas.

A presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Suely Araújo, afirmou que as áreas de fiscalização atuarão juntamente às de licenciamento ambiental do órgão. Já o diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, e o secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do MMA, Jair Tannus, destacaram os preparativos para o 8º Fórum Mundial da Água, que ocorrerá no próximo ano, em Brasília.

A reunião contou, ainda, com a participação dos secretários Everton Lucero (Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental), Juliana Simões (Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável), Edson Duarte (Articulação Institucional e Cidadania Ambiental) e José Pedro de Oliveira Costa (Biodiversidade e Florestas) e com o chefe de gabinete do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Ângelo Ramalho.

Ascom ICMBio – (61) 2028-9280 – com Ascom/MMA (Lucas Tolentino) – (61) 2028-1227
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página