Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Instituto participa de seminário sobre o Meio Ambiente
Início do conteúdo da página

Energia solar ilumina reserva extrativista na Amazônia

Publicado: Quarta, 12 de Julho de 2017, 16h32
Realidade começa a mudar na Resex Médio Purus (AM) com a primeira instalação fotovoltaica em uma escola que atende a cerca de 60 alunos. Projeto é parceria entre ICMBio e WWF

solar
Brasília (12/07/2017) – A energia elétrica faz parte do dia a dia das pessoas de uma forma tão natural que raramente alguém imagina a vida sem ela. Mas, para quase 40 mil famílias que moram em unidades de conservação (UCs) da Amazônia, ela ainda é um sonho. Um sonho que, aos poucos, vem se tornando realidade com a chegada da energia solar fotovoltaica nas comunidades locais.

Na primeira semana deste mês, a realidade da comunidade Cassianã, na Reserva Extrativista (Resex) Médio Purus, administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), nos municípios de Lábrea, Pauiní e Tapauá, no Amazonas, começou a mudar com a primeira instalação fotovoltaica em uma escola que atende a cerca de 60 alunos.

A partir de agora, a escola poderá contar com aulas noturnas e usufruir de outros benefícios, como ventilador nas salas de aula, pesquisas pela internet e iluminação adequada, além de economizar despesas com o combustível usado para gerar energia.

solar3
Segundo João Araújo, líder da comunidade, “às vezes, falta inflamável (combustível) e o pessoal fica até três dias sem aulas”. Somente para as aulas noturnas, são necessários em média três litros de combustível para o gerador da escola, o que provoca gasto de R$ 450 por mês.

“O combustível vinha certinho para os dias de aula. Agora, vamos ter mais tempo e luz para pesquisar. Acho que poderemos até ter uma impressora”, disse Francisca Souza, aluna de Ensino Médio.

O barulho do motor também atrapalha muito as aulas. “Só em pensar que agora não vamos mais ter mais esse incômodo, pra gente não tem preço. Tinha noite que faltava voz”, desabafa o professor Cicleude Barroso, de Educação de Jovens e Adultos.

As melhorias são resultado do projeto Resex Produtoras de Energia Limpa, uma parceria entre o ICMBio e o WWF-Brasil que tem o objetivo de instalar seis sistemas fotovoltaicos em duas reservas extrativistas do sul do Amazonas, a Médio Purus e a Ituxi.

Capacitação

solar2
Além da instalação do sistema fotovoltaico na escola, o projeto capacitou moradores das duas reservas, eletricistas da prefeitura e estudantes da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) para a instalação dos próprios sistemas.

O conteúdo, de 40 horas, abordou os princípios básicos da eletricidade, fontes renováveis e não renováveis, os componentes do sistema solar fotovoltaico autônomo e como planejar e projetar esses sistemas solares, seus conceitos básicos e a gestão comunitária de tecnologias sociais. Ao final da atividade, na própria escola, onde todos treinaram na prática a instalação do sistema, os alunos receberam certificado de participação e festejaram muito quando as luzes da escola se acenderam.

"Esse trabalho é resultado de uma ação conjunta entre ICMBio, o WWF e os próprios moradores. A parceria busca beneficiar a todos, aprimorando a gestão da reserva e propiciando melhores condições de vida e de trabalho para a comunidade por meio do desenvolvimento sustentável", disse Lillian Estrela, analista ambiental da Coordenação de Articulação de Políticas para Comunidades Tradicionais do ICMBio.

Labrea Inst Mimaraua 7

Próximos passos

As instalações continuarão em setembro, com mais uma escola e um sistema de bombeamento de água de rio na Resex Médio Purus. Já na Resex Ituxi, também em Lábrea, serão instalados três sistemas para uso produtivo: bombeamento de água, refrigeração e funcionamento de equipamentos como despolpadeiras de frutas e extração de óleos vegetais.

“Com isso, os extrativistas acreditam que aumentarão a produção, poderão conseguir melhores preços e também terão uma vida comunitária mais dinâmica, fazendo das escolas centros também de cursos de tecnologia à distância e espaços de vivência nos finais de semana”, afirmou a analista de conservação do Programa Clima e Energia do WWF, Alessandra Mathyas.

Além da parceria entre o ICMBIO e o WWF-Brasil, a iniciativa tem o apoio técnico da empresa Usinazul, do Instituto Mamirauá e o apoio institucional da Schneider Eletric, J.A. Solar, UEA e da Prefeitura de Lábrea.

Comunicação ICMBio - (61) 2028-9280 - com informações e texto de Alessandra Mathyas (WWF) e Lillian Estrela (ICMBio)
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página