Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > 12 de maio é o Dia Mundial das Aves Migratórias
Início do conteúdo da página

12 de maio é o Dia Mundial das Aves Migratórias

Publicado: Quinta, 10 de Maio de 2018, 16h58
Data foi criada para promover a conservação das aves e de seus habitats.
revoada aves migratórias Resex Cururupu. Foto Danielle Paludoa
O Dia Mundial das Aves Migratórias é celebrado neste sábado, 12 de maio. O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) tem várias unidades de conservação que são habitat importante para aves migratórias. "Felizmente temos tido avanços nos trabalhos para a conservação das aves migratórias que nos permitem comemorar, pois é necessário muito esforço para reverter o declínio populacional que a maioria destas aves vem apresentando", ressalta Danielle Paludo, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave), do ICMBio, e coordenadora do Plano de Ação Nacional (PAN) para a Conservação das Aves Limícolas Migratórias.

Aves migratórias são animais graciosos, com uma vida dinâmica e de extremos: elas podem empreender voos com a duração de dias consecutivos e cobrir distâncias de dezenas de milhares de quilômetros a cada ano. Elas unem países, continentes e hemisférios através de sua migração. Algumas espécies reúnem-se aos milhares em lugares especiais, que lhes oferecem o abrigo e alimento de que necessitam.

São tantas as peculiaridades que tornam estes animais únicos e encantadores que não é de se admirar que o interesse amador pela observação de aves, atividade tão valorizada em muitos países, venha ganhando cada vez mais adeptos e entusiastas também por aqui. Há vários locais onde se podem observar aves migratórias no Brasil. Um destes exemplo é o Parque Nacional da Lagoa do Peixe, no Rio Grande do Sul, pioneiro na promoção do Festival de Aves Migratórias, que, em 2018, estará em sua 14ª edição.

Por dependerem da qualidade ambiental de alguns locais específicos ao longo de suas rotas, as aves migratórias são particularmente sensíveis a perda de habitat. Suas populações se reduziram muito nas últimas três décadas, e algumas seguem ameaçadas de extinção. Em 2017, o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave), do ICMBio, concluiu o primeiro ciclo do Plano de Ação Nacional (PAN) para a Conservação das Aves Limícolas Migratórias.

Vários locais foram identificados como importantes para ações de conservação para aves limícolas e seus habitats, informações que estão sendo úteis na revisão das áreas prioritárias para conservação no Brasil pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e para subsidiar o ICMBIo na gestão das áreas protegidas. Entre esses locais estão os parques nacionais da Lagoa do Peixe (RS), da Restinga de Jurubatiba (Rio de Janeiro) e o do Cabo Orange (Amapá), onde desde 2017, com o apoio do Projeto GEF-Mar, pesquisadores do ICMBio e colaboradores vem realizando monitoramentos das populações de aves migratórias, promovendo ações de conservação e de estímulo a participação da comunidade em eventos que valorizem o patrimônio natural do Brasil.

O Dia Mundial das Aves Migratórias foi criado para promover a conservação das aves e de seus habitats. A data é comemorada a cada ano em dois momentos, no segundo sábado de maio e de outubro, que no Brasil coincidem com as migrações para o norte (outono) e para o sul (primavera). Em última análise, esta data é dedicada a esforços internacionais em conservação e educação ambiental para que este espetáculo que é a migração das aves possa sempre continuar.

Acesse mais informações
Cemave e colaboradores finalizaram o primeiro levantamento das espécies da avifauna migratória do Brasil, que gerou o artigo disponível aqui

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página