Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Brigadistas extinguem fogo na Serra da Canastra
Início do conteúdo da página

Brigadistas extinguem fogo na Serra da Canastra

Publicado: Sábado, 25 de Agosto de 2018, 18h20
Brigadistas do Parque Nacional da Serra da Canastra
Ramilla Rodrigues

ramilla.rodrigues@icmbio.gov.br

Depois de entrar no quinto dia de combate, a força-tarefa liderada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) conseguiu extinguir as chamas que assolavam o Parque Nacional da Serra da Canastra (MG) desde a última terça-feira.

O fogo começou entre as portarias de Sacramento e São João Batista da Canastra. A equipe do parque, composta por 30 brigadistas, foi rapidamente acionada. Porém, a situação ficou bem desfavorável aos combatentes devido aos ventos fortes e baixa umidade relativa do ar.

Na sexta-feira, o combate mostrou resultados mais expressivos com a mudança de estratégia e a chegada de mais brigadistas. Ao todo, a operação contou com 134 pessoas, sendo 107 brigadistas do ICMBio (Parque Nacional da Serra da Canastra e Parque Nacional de Brasília), IBAMA Prevfogo (Brasília e Rio de Janeiro), Grupo Ambiental do Torto (GAT) e a força-tarefa Previncêndio formada pelos bombeiros militares de Minas Gerais, Polícia Militar e Instituto Estadual de Florestas (IEF). Três aeronaves e 24 veículos estiveram disponíveis durante o combate.

fogo canastras

O time também teve uma ajuda de São Pedro. Às 5h da manhã, uma garoa caiu sobre a região. Embora não fosse suficiente para extinguir o fogo, a chuva auxiliou as condições do trabalho dos combatentes.

“As chuvas chegaram depois que os trabalhos foram eficientes para controlar três flancos: leste, oeste e norte; e o flanco sul estava sendo encaminhado para uma área com maior acessibilidade”, informou o comandante do incidente e coordenador de Prevenção e Combate a Incêndios, Christian Berlinck. “As chuvas apagaram parte da frente que os brigadistas tiveram acesso, aumentaram a umidade e diminuíram drasticamente o risco de reignições”, comentou Berlinck.

Mesmo com a baixa possibilidade de reignição, o chefe do Parque, Fernando Tizianel, determinou que as equipes do Ibama que estão mais descansadas realizem o monitoramento do parque para o caso de novos incêndios.

A extinção do fogo também possibilitou a reabertura do parque, que estava fechado por motivos de segurança.

O incêndio atingiu cerca de 20 mil hectares dentro do Parque Nacional da Canastra. A unidade já realiza alguns trabalhos de manejo integrado de fogo, o que também contribuiu para que o incêndio não tomasse uma proporção ainda maior. No entanto pelas características do incêndio (perto de estrada, em vegetação inflamável e posicionada de forma que o vento espalhasse) acredita-se que o fogo possa ter origem criminosa.
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página