Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Destaques > MMA e ICMBio divulgam novas listas de espécies ameaçadas de extinção
Início do conteúdo da página

MMA e ICMBio divulgam novas listas de espécies ameaçadas de extinção

Publicado: Quarta, 17 de Dezembro de 2014, 18h41

Ao todo, 170 espécies da fauna saíram da lista de animais ameaçados de extinção

Ao todo, 170 espécies da fauna saíram da lista de animais ameaçados de extinção

MMA e ICMBio divulgam novas listas de espécies ameaçadas de extinção

Nana Brasil
nana.nascimento@icmbio.gov.br

Brasília (17/12/2014) — A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, apresentou na tarde desta quarta-feira (17) as novas Listas Nacionais de Espécies Ameaçadas de Extinção. O anúncio aconteceu no auditório do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em Brasília. Na ocasião, foram divulgadas a Lista de Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de Extinção, produzida pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro, e a Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção, elaborada pelo ICMBio.

Durante o evento, a ministra assinou duas Portarias que formalizam as listas de espécies ameaçadas. "Esse é um dos momentos mais importantes da minha gestão. Houve uma mudança de postura institucional diante das espécies ameaçadas a partir do Programa Pró-Espécies, que se tornou uma referência", frisou Izabella.

O presidente do ICMBio, Roberto Vizentin, destacou as parcerias do estudo: "Ao todo, 1.383 especialistas da comunidade científica de mais de 200 instituições estiveram envolvidos nesse processo. Com a lista pronta, temos uma melhor condição para definir ações de proteção da fauna", afirma.

Dentre os dados apresentados, destacam-se as 170 espécies da fauna que saíram da lista de animais ameaçados de extinção, a exemplo da baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) e da arara-azul-grande (Anodorhynchus hyacinthinus), que tiveram suas populações recuperadas. De acordo com as pesquisas, alguns fatores contribuíram para esse quadro: espécies extintas reencontradas, ampliação do conhecimento sobre as espécies e aumento populacional ou de proteção do habitat.

Veja o painel de conservação da fauna

Conduzido pela Coordenação Geral de Manejo para Conservação do ICMBio, o mapeamento da fauna brasileira é resultado de um processo contínuo de trabalho, iniciado em 2009. Tendo como base a metodologia adotada pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), foram realizadas 73 oficinas de avaliação, seguidas da edição das informações coletadas e da etapa de validação dos métodos aplicados.

MMA e ICMBio divulgam novas listas de espécies ameaçadas de extinção

Segundo o diretor de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade (Dibio/ICMBio), Marcelo Marcelino, a nova Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção se destaca pela abrangência do estudo: 12.256 espécies (incluindo peixes e invertebrados aquáticos) foram analisadas nos últimos cinco anos. "Essa foi a maior avaliação de risco de extinção já feita no mundo. Os números traduzem a amplitude desse esforço", ressaltou Marcelino.

Veja a lista completa das espécies ameaçadas de extinção 2014

Os pesquisadores incluíram 720 novas espécies na lista, totalizando 1.173 espécies ameaçadas, que se subdividem em três categorias: Criticamente em Perigo (CR), Em Perigo (EN) e Vulnerável (VU). Houve um aumento em relação às avaliações anteriores, realizadas em 2003 e 2004, que contabilizaram 627 espécies ameaçadas. Naquele momento, entretanto, o universo contemplado era bastante reduzido – apenas 1.137 espécies foram analisadas.

MMA e ICMBio divulgam novas listas de espécies ameaçadas de extinção

A metodologia utilizada anteriormente definia como objeto de estudo somente as espécies já consideradas potencialmente em risco de extinção. Agora, as 12.256 espécies avaliadas compõem um rico banco de dados, com informações sobre distribuição geográfica, ecologia e habitat, dados populacionais e presença em Unidades de Conservação (UCs). "A lista aumentou porque aumentou também a amostra. A ambição e a coragem desse trabalho foram tamanhas que em algumas classes conseguimos mapear 100% das espécies", esclareceu a ministra Izabella Teixeira.

Além do diretor Marcelo Marcelino, acompanharam a ministra durante a apresentação o presidente do ICMBio, Roberto Vizentin; o secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA, Roberto Cavalcanti; o coordenador do Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora) do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Gustavo Martinelli – que apresentou dados sobre a flora brasileira  e a diretora do Departamento de Florestas do MMA, Giovanna Palazzi – que apresentou a situação dos peixes e invertebrados aquáticos.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página