Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Parque Nacional do Itatiaia ganha novo abrigo
Início do conteúdo da página

Flona Palmares abriga espécie rara de ave

Publicado: Terça, 16 de Fevereiro de 2016, 11h28
A araponga-do-nordeste era reconhecida apenas por seu canto


A araponga-do-nordeste era reconhecida apenas por seu canto

Foto: Lucas Alencar/Flona Palmares

Sandra Tavares
ascomchicomendes@icmbio.gov.br

Brasília (16/02/2016) - Cinco exemplares da araponga-do-nordeste, espécie rara conhecida cientificamente como Procnias averano, foram avistados dia 13 de fevereiro, na Floresta Nacional (Flona) de Palmares, unidade de conservação (UC) administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) localizada em Altos, Piauí.

Segundo os observadores, que vieram de Minas Gerais e Maranhão, eram quatro machos e uma fêmea. Fato de muita relevância, pois em outras áreas do Nordeste, onde há ocorrência da espécie, para visualizá-la chega-se a esperar até uma semana, muitas vezes sem sucesso pois a ave não aparece. Na Flona Palmares a espécie foi visualizada pela primeira vez há sete anos, na trilha da Sapucarana. O responsável pelo registro foi o fotógrafo, músico, guia local e voluntário Lucas Alencar.

A araponga-do-nordeste é uma espécie muito arisca, de canto peculiar por lembrar atividades de um ferreiro quando afia suas ferramentas. Sua presença na Unidade de Conservação é motivo de orgulho, pois a riqueza de sua biodiversidade é encontrada em poucos pontos do Nordeste. Um comportamento interessante da ave é que ela sempre canta no início das chuvas e depois desaparece no final delas, reaparecendo para anunciar o recomeço de novo período chuvoso no Piauí.

A ave é alvo de monitoramento contínuo, sistematizado por meio de anotações em relatórios de campo acerca do seu canto. “Contamos também com apoio da comunidade local e de visitantes para conservação da espécie”, destaca Gaspar da Silva Alencar, chefe da Flona Palmares.

A Flona Palmares é alvo de estudos e pesquisas que são autorizadas via SISBio realizadas por universidades locais e de outras regiões do Brasil. “Recentemente recebemos visitantes especialistas no bioma que nos colocaram que a Flona possui elevados índices de conservação”, frisa Gaspar. A UC é visitada por aves em rotas migratórias e é ponto de reprodução de outras espécies da fauna silvestre, como o canário e xexeu.

A Unidade de Conservação não conta com Plano de Manejo mas dispõe de um plano de gestão, monitoramento, controle, fiscalização e visitação, com embasamento metodológico e técnico-científico, a partir dos quais vem protegendo essa e as demais espécies existentes em sua área.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página