Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Universitários estudam alimentação do "formigão" em Reserva Biológica
Início do conteúdo da página

Universitários estudam alimentação do "formigão" em Reserva Biológica

Publicado: Quarta, 23 de Julho de 2014, 16h52

O local foi escolhido pelos próprios alunos que queriam estudar mais sobre o bioma Mata Atlântica

O local foi escolhido pelos próprios alunos que queriam estudar mais sobre o bioma Mata Atlântica

Universitários estudam alimentação do "formigão" em Reserva Biológica

Nara Souto
nara.souto@icmbio.gov.br

Brasília (22/07/2014) — Universitários do curso de Ecologia da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), localizada em Mossoró (RN), analisaram o período de atividade da exploração alimentar do formigão (Dinoponera quadriceps) na Unidade de Conservação (UC). A ação fez parte de uma aula prática de pesquisa ecológica em campo na Reserva Biológica (Rebio) Guaribas (PB). Na ocasião, os alunos planejaram projetos de curta duração para serem executados na região, formulando e testando hipóteses científicas.

Ao todo, quatro linhas de pesquisas foram desenvolvidas. Um projeto buscou entender como o dossel – parte superior da mata, a copa das árvores - e o folhiço – a cobertura de folhas sobre o chão - na área de vegetação de tabuleiro influenciaram a abundância e tamanho dos cactus chamados coroas de frade (Melocactus violaceus). O segundo estudo testou a similaridade da diversidade de insetos entre floresta e tabuleiro.

A terceira linha de pesquisa analisou o período de atividade da exploração alimentar do formigão (Dinoponera quadriceps) e por fim, o quarto grupo testou a diferença dos sons do ambiente (abordagem de soundscape ecology) gravados em uma área próxima à rodovia e outra no interior da UC, ou seja, o potencial impacto sonoro da rodovia na Reserva.

A aula de campo foi a primeira atividade formalmente desenvolvida pela UFERSA na Rebio Guaribas. O analista ambiental e coordenador de ações dentro do Programa de Pesquisa e Monitoramento da UC, Jorge Nascimento, explicou que "a ampliação do leque de instituições que atuam na unidade é fundamental, pois cada instituição tem seu perfil e seus grupos de pesquisa e, muitas vezes, contribuem de forma complementar com o trabalho que já vem sendo desenvolvido por outros grupos".

De acordo com a professora da Ufersa, Milena Wachlevski, o local foi escolhido pelos próprios alunos que queriam estudar mais sobre o bioma Mata Atlântica. "As atividades desenvolvidas pelos alunos na Rebio Guaribas reforçam a capacidade dos futuros ecólogos de planejar e executar pesquisa de ecologia in loco, exercitando a curiosidade científica, a capacidade de lidar com imprevistos em campo, logística e trabalho em equipe", ressaltou Milena.

Sobre a Reserva Biológica Guaribas

Criada em janeiro de 1990, a Reserva Biológica Guaribas é uma das 313 Unidades de Conservação Federais geridas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A UC está localizada nos municípios de Rio Tinto e Mamanguape, no estado da Paraíba, e com 4.051,62 hectares é o maior fragmento contínuo de vegetação nativa protegido em um dos trechos mais frágeis e pouco conhecidos do extremo norte da Mata Atlântica Nordestina, um dos trechos mais ameaçados do bioma.

A Reserva Biológica Guaribas tem este nome em função de uma homenagem prestada às populações de Guaribas (Allouata belzebul), primatas também conhecidos como Bugios ou Macacos Gritadores, e que se encontravam praticamente extintos na UC devido à perda de seus habitats.

registrado em:
Fim do conteúdo da página