Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Publicação científica do ICMBio estuda Arara-Azul-de-Lear
Início do conteúdo da página

Publicação científica do ICMBio estuda Arara-Azul-de-Lear

Publicado: Quinta, 08 de Janeiro de 2015, 15h02

Espécie foi contemplada na edição de dezembro da Revista Ornithologia

Espécie foi contemplada na edição de dezembro da Revista Ornithologia

Publicação científica do ICMBio estuda Arara-Azul-de-Lear

Gustavo Frasão
gustavo.caldas@icmbio.gov.br

Brasília (08/01/2015) — O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave) publicou em dezembro mais uma edição da Revista Ornithologia, periódico científico do Centro. Neste volume, foram reunidos artigos e pesquisas sobre sítios reprodutivos, novas ocorrências, dormitórios e alimentação da Arara-Azul-de-Lear (Anodorhynchus leari), ave de médio porte que chega a medir 75 centímetros.

Esta edição também traz registros e implicações sobre a ocorrência do pica-pau-do-parnaíba (Celeus obrieni) e dados sobre aves recebidas pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Minas Gerais. O acesso ao conteúdo é livre e o objetivo é disponibilizar o conhecimento científico sobre as espécies estudadas em cada edição para subsidiar a gestão e conservação de aves no Brasil.

"A publicação somente foi possível devido ao apoio do grupo de especialistas que revisam voluntariamente os manuscritos submetidos", ressaltou a analista ambiental Patrícia Serafini, que trabalha no Cemave e é uma das responsáveis pelo periódico.

Para acessar esta edição da revista e as publicações anteriores, basta acessar o link http://cemave.net/ornithologia/index.php/ornithologia.

Conservação da arara-azul-de-lear

Em agosto de 2014, o Cemave promoveu a 1ª reunião internacional sobre o Programa de Cativeiro da Arara-Azul-de-Lear. O encontro aconteceu em Jeremoabo (BA) e teve como objetivo definir protocolos de manejo e estratégias para fortalecer a conservação da espécie. Na ocasião, foram estabelecidas metas para o sucesso reprodutivo da ave, com transferências entre os mantenedores do animal para reprodução em cativeiro, levando em consideração os perfis genéticos. "Assim, será possível obter a melhor prole possível, em termos genéticos e sanitários", disse o coordenador-substituto do Cemave, Eduardo Araujo.

Para conhecer melhor o habitat natural da espécie, os pesquisadores visitaram os principais locais utilizados pelas aves para descanso e reprodução, a Estação Ecológica (Esec) Raso da Catarina e a Reserva Biológica (Rebio) Canudos, ambas na Bahia. A visita recebeu apoio técnico da fundação Biodiversitas, que gerencia a Rebio, e dos servidores que atuam na Unidade de Conservação (UC).

Participaram da reunião instituições mantenedoras da Arara-Azul-de-Lear, servidores do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e especialistas no manejo deste grupo de aves. "Esse foi um marco importante para que as instituições e profissionais envolvidos trabalhem juntos e de forma coordenada, buscando otimizar os esforços para reprodução da espécie em cativeiro com foco no revigoramento da população na região do Boqueirão da Onça (BA)", finalizou Araujo.

Programa de Cativeiro da Arara-Azul-de-Lear (PAN)

O Programa de Cativeiro da Arara-Azul-de-Lear (Anodorhynchus leari) estabelece um plantel adequado, em termos genético, demográfico, sanitário e comportamental para integrar futuro programa de revigoramento populacional da espécie, principalmente na região do Boqueirão da Onça (BA). Para saber maiores informações sobre o programa, clique aqui.

Sobre o Cemave

O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave) é um dos 11 Centros administrados pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Tem atuação em todo território brasileiro e a sede está localizada na Floresta Nacional Restinga de Cabedelo (PB).

O Cemave coordena um programa nacional de marcação de aves na natureza, o Sistema Nacional de Anilhamento de Aves Silvestres (SNA), com anéis numerados (ANILHAS), o maior do gênero na América Latina. Também é responsável pela avaliação do estado de conservação das aves brasileiras e pela elaboração e coordenação de Planos de Ação Nacionais (PAN) que atuam na conservação de aves brasileiras ameaçadas de extinção e das aves migratórias.

registrado em:
Fim do conteúdo da página