Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Visitação > Unidades Abertas a Visitação > Floresta Nacional de Silvânia
Início do conteúdo da página
Unidades Abertas a Visitação

Floresta Nacional de Silvânia

Arquivo Flona de SilvâniaAntiga Fazenda Marinho, a área onde foi criada a Floresta de Silvânia correspondia a uma propriedade particular do cidadão Josué Rodrigues Gonçalves. Em 1948, influenciado por lideranças locais e regionais, o deputado federal Galeno Paranhos apresentou à Câmara dos Deputados, no dia 05 de abril de 1948, Projeto de Lei propondo a criação de um Horto Florestal no município.

No dia 13 de janeiro de 1949 (quando a cidade do Rio de Janeiro ainda era a capital do país), o Governo Federal, através da Lei nº 612, criou o Horto Florestal de Silvânia, subordinado ao Serviço Florestal do Ministério da Agricultura.

O Prefeito de Silvânia à época, José Sêneca Lobo, adquiriu a Fazenda Marinho, de propriedade de Josué Rodrigues Gonçalves, com verba liberada pelo governo de Getúlio Vargas, destinando a propriedade para a implantação do Horto Florestal.

Entre os anos de 1967 e 1989 o Horto Florestal ficou subordinado ao Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal (IBDF), recebendo a denominação de Estação Florestal de Experimentação (EFLEX), quando a área passou a ser destinada a estudos envolvendo plantas exóticas e nativas.

Em fevereiro de 1989 deu-se a criação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que incorporou o IBDF e passou a ser responsável pela gestão da EFLEX.

Em 2001, a EFLEX foi elevada à categoria de Floresta Nacional, através da Portaria IBAMA nº 247, de 18 de julho de 2001. A mudança trouxe consigo novas perspectivas para utilização da área, seja por meio da educação ambiental, pesquisa científica ou desenvolvimento de novas tecnologias.

Atualmente a Floresta de Silvânia está sob gestão do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia federal criada pela Lei nº 11.516, de 28 de agosto de 2007, que tem entre os seus objetivos a gestão das UCs federais.

Principais atrativos

A Unidade de Conservação Federal de Goiás é dotada de uma biblioteca com mais de 500 títulos sobre fauna, flora e ecologia para pesquisa e leitura - instalada próxima a um antigo casarão da década de 50.

Além disso a Flona possui sede administrativa, alojamentos masculino e feminino para pesquisadores (com camas e banheiros, cozinha, refeitório, auditório), além da casa de apoio ao pesquisador, que hospeda professores e alunos que precisem passar mais dias no local para desenvolver seus estudos, garagem e oficina, além de segurança 24 horas.

A área de lazer e de visitação é dotada de mesas, bancos e sanitários, além de um pequeno lago artificial e pontes, bem como sinalização.

No local também há energia elétrica disponível para os grupos de turistas, estudantes, pesquisadores, pessoas da comunidade e demais interessados. Há também estradas internas, para a observação da fauna e da flora locais.

Entre as trilhas estão uma de cerca de 1 km de comprimento, ideal para que crianças e idosos possam observar a vegetação nativa, composta por mata de galeria em transição com o cerradão. Outra trilha, de 2,5 km de extensão, oferece um passeio pela mata mais fechada.

A Flona de Silvânia possui, ainda, um viveiro onde são cultivadas mudas de várias espécies nativas ou não, com capacidade para produzir até 15 mil mudas. Estas são doadas a produtores rurais que cercam a Unidade ou são comercializadas.

Estão à disposição dos interessados exemplares de pequi, bacupari, bálsamo, cagaita, ipê, baru, angico, jacarandá, cajá-manga, entre outros.

A Flona de Silvânia possui localização privilegiada, considerando-se a proximidade do município de Silvânia em relação ao Distrito Federal (DF) e aos principais centros urbanos de Goiás, conforme tabela abaixo:

TABELA 1 – Distância dos principais centros urbanos de Goiás em relação ao município de Silvânia.

Município

Distância em relação à Silvânia

Anápolis (GO)

79 km

Caldas Novas (GO)

157 km

Catalão (GO)

209 km

Distrito Federal (DF)

177 km

Goiânia (GO)

88 km

Luziânia (GO)

117 km

A Floresta de Silvânia tem escritório na própria Unidade de Conservação, cujo acesso se dá através da Rua 33, situada atrás da Praça Celso Silva (praça na qual está instalado o Terminal Rodoviário).

Ao final desta rua, à esquerda, tem-se acesso a uma estrada vicinal sem pavimentação, com extensão de 15 km, que conduz ao portão principal da Floresta de Silvânia, situado no km 7.

O município de Silvânia não possui aeroporto, sendo que os aeroportos mais próximos estão situados nas cidades de Anápolis (79 km) e Goiânia (88 km).

O acesso à cidade se dá por meio da Rodovia GO 330, que estabelece a ligação com Anápolis (sentido Brasília) e com Pires do Rio (sentido Caldas Novas).

A GO 330 também estabelece a ligação de Silvânia à Goiânia, através da interligação com a GO 010. Pavimentadas, em geral, estas rodovias apresentam bom estado de conservação.

O município de Silvânia possui uma área de 2.345,939 km². Está localizado na porção leste do estado de Goiás, na Mesorregião denominada Sul Goiano, na Microrregião do Sudeste Goiano (Prefeitura de Silvânia 2011).

Beneficia-se por ocupar localização privilegiada, sendo servido por quatro rodovias estaduais (GO-139, GO-147, GO-390 e GO-437), bem como, pela Ferrovia Centro Atlântica (FCA), o que possibilitam acesso às principais regiões de Goiás e do país.

Uma vez em Silvânia o visitante pode se hospedar em um dos três hotéis do município. Para aqueles que visitam a floresta, a opção pode ser uma pequena área de camping, contígua a área de lazer da Unidade.

TABELA 2 – Hotéis para hospedagem no município de Silvânia.

Hotel

Telefone

Astros Hotel

(62) 3332-3111

Hotel Rio Vermelho

(62) 3332-2318

Hotel Dom Bosco

(62) 3332-1702

Mapa

Mapa do circuito

Orientações/Regras de visitação

A visitação na Floresta de Silvânia é gratuita, haja vista que não é realizado nenhum tipo de cobrança pelo acesso e uso das instalações disponíveis na Unidade. Contudo, a visitação é uma atividade controlada, sendo que o visitante deve estar atento as seguintes recomendações:

  • Antes de visitar a Unidade entre em contato com a administração da floresta, a fim de evitar qualquer tipo de imprevisto;
  • Na área da floresta não são admitidos animais domésticos, mesmo que estejam sob os cuidados e a responsabilidade dos visitantes;
  • É proibido queimar o “lixo”, acender fogueiras ou realizar qualquer outro tipo de atividade que envolva o uso de fogo, exceto o cozimento de alimentos, em fogareiro próprio para acampamento;
  • Na floresta não é admitido o consumo de bebida alcoólica de qualquer natureza;
  • Ao visitar a Floresta o visitante não poderá realizar nenhum tipo de coleta (plantas, animais, etc.), a não ser para pesquisa científica, quando previamente autorizado (via Sisbio). Também não poderá construir ou modificar a estrutura encontrada no local (bancos, mesas, etc.).
  • nIformações complementares serão prestadas ao visitante quando de sua chegada a Floresta.
Acesse o Guia de Conduta Consciente em Ambientes Naturais


Confira outras informações neste portal, dentro da página da UC

CONTATOS
(62) 9221-4407
florestasilvania.go@icmbio.gov.br

 

Fim do conteúdo da página