A Biota Aquática em um Riacho Tropical e suas Relações com Fatores Ambientais

Ariane Almeida Vaz, Adriane Almeida Vaz, Gisele Pires Pelizari1, Renata Cassemiro Biagioni, Welber Senteio Smith

Resumo


As unidades de conservação no Brasil carecem de informações que subsidiem os planos de
manejo e as tomadas de decisões dos gestores para a conservação de sua biodiversidade. Este trabalho
utilizou a biota aquática (zoobentos e peixes), além de parâmetros ambientais como pH, sólidos totais
dissolvidos, condutividade elétrica, oxigênio dissolvido e temperatura para a caracterização ambiental
de cada trecho estudado, objetivando avaliar a qualidade ambiental do único riacho do Parque Natural
Municipal Corredores de Biodiversidade, localizado em Sorocaba, SP. Foram realizadas duas campanhas
de amostragem, considerando as épocas seca e chuvosa, com rede “d”, com malha de 500μ para coleta
dos macroinvertebrados e peneira, rede de espera e rede de arrasto para a captura dos peixes. Um total de
373 macroinvertebrados distribuídos em cinco ordens e seis famílias foram amostrados no riacho durante
o período de estudo. A família mais abundante coletada foi a Chironomidae, com 138 organismos, sendo
oportunistas e tolerantes à variação ambiental, comuns em ambientes alterados e com grandes quantidades
de matéria orgânica depositada. Para os peixes, as ordens mais abundantes foram Characiformes e
Cyprinodontiformes. Este estudo revelou que o riacho, apesar de estar situado numa unidade de conservação,
apresenta perturbações associadas à erosão e sedimentação.

Texto completo:

PDF