Ir direto para menu de acessibilidade.

Início do conteúdo da página

II DOC Regência divulga sua programação

Publicado em 07-11-2022 | Visitas: 519
longa-metragem Lavra, de Lucas Bambozzi, que foi exibido em festivais internacionais como IDFA (Holanda) e HOT DOGS (Canadá)Longa-metragem Lavra, de Lucas Bambozzi, já foi exibido em festivais internacionais como IDFA (Holanda) e HOT DOCS (Canadá)

 

Mostra de Documentários promete aquecer culturalmente o norte capixaba e TAMAR/ICMBio é um dos apoiadores

(04/11/2022) - A vila de Regência Augusta, na foz do rio Doce, se prepara para a segunda edição do DOC REGÊNCIA, um evento cultural que acontecerá entre 18 e 20 de novembro de 2022 no Porto de Regência, com atividades totalmente gratuitas. Exibição de filmes, oficinas, passeios pela natureza, declamação de poesia e lançamento de livros são algumas das atrações deste evento, construído de forma totalmente colaborativa entre a comunidade e algumas instituições.

O evento tem por missão, promover conhecimento, debate e reflexão através da arte, sobre o Rio Doce e o ecossistema costeiro e marinho após sete anos do desastre no rio, ocasionado pelo rompimento da barragem de rejeitos de minério de ferro em MG.

Segundo Carlos Sangália e Ricardo Sá, organizadores do evento, o II DOC REGÊNCIA é uma declaração de amor ao rio Doce e a todas as pessoas e seres vivos atingidos pelos rejeitos da barragem de minério que rompeu em 2015 em Minas Gerais. Grande parte da programação é voltada para este tema, seja por meio da exibição de filmes ou da declamação de poesias. Ao mesmo tempo, busca mostrar a potência criativa e regenerativa de Regência, por meio de seus artistas e de sua natureza.

A mostra de filmes apresenta seis (6) obras produzidas por realizadores e realizadoras dos estados do ES, MG e RJ. Um dos destaques é o longa-metragem Lavra, de Lucas Bambozzi, que foi exibido em festivais internacionais como IDFA (Holanda) e HOT DOCS (Canadá), entre outros. Também serão exibidos os curtas metragens Amargo Rio Doce, de Ricardo Sá, e Rio de Lágrimas Secas, de Saskia Sá, ambos premiados em festivais nacionais e internacionais.

Dois vídeos resultantes de uma residência artística realizada em Regência, em 2017, também serão exibidos: Sermão e Birutas, do coletivo Liquidação. O curta O tempo do realizador regenciano Adailton Alcântara terá sua estreia no II DOC REGÊNCIA.

Durante o evento, moradores e visitantes poderão também participar de oficinas, cujas inscrições vão acontecer 15 minutos antes do início delas, no sábado à tarde. A oficina de bordados Arpilleras do rio Doce, realizada pelo núcleo de mulheres do MAB, propõe um mergulho no sentimento de atingida e ribeirinha. Já a oficina Cartas de Amor ao rio Doce, com Piatã Lube, provoca as pessoas a escreverem cartas para o rio Doce, em troca de uma fruta.

A poesia igualmente terá seu espaço no II DOC REGÊNCIA através de saraus poéticos, como O sonho dos atingidos, de Sérgio Papagaio, morador de Barra Longa (MG) e editor do jornal A Sirene e da escritora e poetisa Iluzinilda Neves Martins.

O evento tem espaço também para reflexão. Na noite de abertura do evento, dia 18 de novembro, acontece um bate papo com integrantes do Centro Tamar/ICMBio sobre a ação dos órgãos ambientais ao longo dos sete anos do desastre no rio Doce. A apresentação musical da tese É A Lama, É A Lama; de Danilo Melo (SC) é outra oportunidade para refletir sobre os impactos da lama no território da foz. Além dos debates sobre os filmes, que acontecerão sempre após a exibição deles.

A banda de congo de Regência vai dar as boas vindas do evento na noite de abertura (sexta-feira) e no sábado à noite. Uma feira de economia regenerativa e colaborativa também vai ser aberta na sexta à noite.

O evento abre espaço ainda para homenagear Luis Natal, artista regenciano, premiado em salões de arte Naif. O cartaz do evento foi criado a partir de uma de suas obras. A música é uma das expressões artísticas presentes no evento, sempre depois da exibição dos filmes, tanto na sexta quanto no sábado (18 e 19.11).Os músicos Yan Macedo e Miguel Saldanha se apresentarão cantando o Rio Doce.

No II DOC REGÊNCIA o público poderá desfrutar de atividades na natureza, como um passeio de barco pelo rio e uma visita a uma experiência regenerativa, a criação de abelhas nativas sem ferrão, que faz parte do Mapa da Meliponicultura da Foz. Além claro de curtir o pôr do sol na foz do rio Doce, uma experiência inesquecível.

O II DOC REGÊNCIA é uma realização de: CIA de Artes Regência Augusta, interferências Filmes e Projetos e Centro Tamar/ICMBio, com o apoio de: Prefeitura Municipal de Linhares, Escola da Terra Capixaba e Secretaria de Cultura da UFES.

O evento conta ainda com a parceria de: Associação Cultural Congo de Regência, Fundação Projeto Tamar, Jardim Regenera, Pousada Aloha, Jornal A Sirene, Núcleo de mulheres do MAB, Restaurante Comida De Mãe, Cervejaria e Pousada Regência Augusta, Espaço WAVE Restaurante e Pousada e Restaurante Flor de Lís.

Texto: Ricardo Sá

Flyer II DOC Regência

PROGRAMAÇÃO - II DOC REGÊNCIA
REGÊNCIA AUGUSTA - LINHARES-ES

DATA HORÁRIO ATIVIDADE

18.11

18h

Abertura do evento (boas-vindas);
Feirinha Sensitiva da Vila Mágica (economia criativa,
regenerativa, colaborativa e de base comunitária);
Apresentação da Banda de Congo São Benedito de Regência
(adulto e mirim)

19h

Bate papo com integrantes do Centro Tamar ICMBio: “Órgãos
ambientais e sua atuação ao longo desses sete anos de desastre
ambiental da Samarco/Vale/BHP junto à Bacia Hidrográfica do Rio
Doce (foz, região marinha e estuarina)“

19h30min

Exibição em vídeo da peça teatral "Zé Grilo - O Trabalhador
Brasileiro Que Não Desiste Nunca”; da CIA de Artes Regência
Augusta - 40 min


20h10min

Abertura da exposição virtual Espírito NAIF - com obras de Luis
Natal, artista plástico regenciano
Recital poético-musical com a escritora Iluzenilda Neves Martins
(artistas locais)

20h30min

Exibição dos curtas-metragens:
“O Tempo” - de Adaílton Alcântara, (Regência/ES), 5 min
“Sermão” - do Coletivo Líquida-Ação (RJ),12 min
“Birutas” - Coletivo Líquida-Ação (RJ). 07 min

21h30min

Apresentação de tese musicada “É A Lama, É A Lama”; de Danilo
Melo, St.ª Catarina, 40min.(Tese de estudo social dos impactos da
lama no território da foz)

22h Recitais poéticos-musicais com imagens socioambientais (rio e
mar). Palco livre


19.11

14h às 18h

Oficina de bordados, “Arpilleras do Rio Doce”; com o núcleo de
mulheres do MAB


16h às 18 h

Oficina de criação literária “Cartas Para o Rio Doce”, com Piatã
Lube

18h

Apresentação da Banda de Congo São Benedito de Regência
(adulto e mirim)
exposição virtual Espírito NAIF - de Luis Natal (artista plástico
regenciano)

18h30

Lançamento de livros e do jornal A Sirene

19h

Exibição dos curtas-metragens:
“Amargo Rio Doce”, de Ricardo Sá (ES) e
“Rio de Lágrimas Secas”, de Sáskia Sá (ES)


20h

Recital poético audiovisual “O sonho dos atingidos”, a partir das
poesias de Sérgio Papagaio

20h30min

Exibição do longa metragem “Lavra”- de Lucas Bambozzi(MG)

22h

Recital musical - palco livre

20.11

8h

”Nas Águas do Doce”, passeio de barco e trilha na foz do Rio
Doce.


Visita aos pontos de meliponicultura (criação de abelhas nativas
sem ferrão) “Mapa da Meliponicultura da Foz’


11 horas

“Nosso encontro e reencontro” - debate sobre o Rio Doce,
avaliação do II Doc e proposta para a terceira edição do evento.

13 horas

Almoço coletivo.

registrado em:
Fim do conteúdo da página