destaque veadeiros

Parque Nacional da chapada dos veadeiros

Criado em 1961, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está localizado no nordeste do Estado de Goiás, entre os Municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Teresina de Goiás, Nova Roma e São João d'Aliança. Protegendo uma área de 240.611ha de cerrado de altitude, abriga espécies e formações vegetais únicas, centenas de nascentes e cursos d’água, rochas com mais de um bilhão de anos, além de paisagens de rara beleza, com feições que se alteram ao longo do ano. O Parque também preserva áreas de antigos garimpos, como parte da história local. Foi declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO, em 2001.

Além da conservação, o Parque tem como objetivos a pesquisa científica, a educação ambiental e a visitação pública. A caminhada e os banhos de cachoeira são as principais atividades no Parque, nas imensas paisagens da Chapada, em uma viagem pelo Cerrado brasileiro nas antigas rotas usadas por garimpeiros, hoje utilizadas pelos visitantes.


COMUNICADO IMPORTANTE  DA PREFEITURA DE ALTO PARAÍSO-GO:
Nosso país é uma região endêmica do vírus da Febre Amarela, portanto, orientamos que, ao programar sua viagem para a Chapada dos Veadeiros tome a vacina da Febre Amarela com no mínimo 10 (dez) dias de antecedência da sua viagem. Lembre-se: a única forma de evitar a Febre Amarela é se VACINANDO. Após vacinado, venha tranquilo(a), divirta-se e desfrute da sua estadia neste paraíso.

 

 

btn institucional

btn topo

Quando Ir

O Parque pode ser visitado durante o ano todo. Normalmente, o período de seca vai de maio a outubro e as chuvas se estendem de novembro a abril.

btn topo

Como chegar

De Brasília/DF são cerca de 220 km até a cidade de Alto Paraíso de Goiás.O acesso é feito pela BR-020, em direção à Formosa/GO. No trevo, pegar a BR-010, sentido Alto Paraíso. Após cruzar a divisa do Distrito Federal com Goiás, a BR-010 passa a se chamar GO-118. 

Para a Área de Visitação em São Jorge: chegando a Alto Paraíso, vire no trevo à esquerda em direção a São Jorge e siga pela GO-239 por mais 36 km. O caminho de São Jorge até a portaria do Parque tem menos de 1 km de extensão, sendo possível ir caminhando, de bicicleta ou de carro. 

Para a Área de Visitação no Pouso Alto: saindo de Alto Paraíso, o visitante deverá seguir pela rodovia GO-118 no sentido Cavalcante por aproximadamente 14km até a entrada para a Base do PNCV. A entrada (Lat.: 14° 1'36.88"S; Long.: 47°31'46.03"O) fica à esquerda, em uma porteira logo após a placa do km176, onde se inicia a estrada de serviço do PNCV.

 

Distâncias da portaria do Parque aos centros mais próximos:

Brasília: 260 km

Goiânia: 460 km


Clique aqui para ver no mapa como chegar ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros a partir de Brasília/DF 

btn topo

Ingressos

Os valores do ingresso para o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros estão estabelecidos na Portaria ICMBio nº 615/2021:

Visitantes Estrangeiros: R$ 40,00;

Visitantes Estrangeiros Mercosul: R$ 30,00;

Visitantes Brasileiros: R$ 20,00;

Visitantes Moradores do Entorno: R$ 4,00.

As isenções de cobrança estão definidas na Portaria nº 366/2009 do Ministério do Meio Ambiente:

I - visitante brasileiro ou ao estrangeiro que demonstre possuir residência permanente no Brasil com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos;
II - crianças com até 12 (doze) anos de idade incompletos desde que acompanhadas de um adulto;
III - estudantes e acompanhantes cujo estabelecimento de ensino regular agende previamente junto à administração das unidades de conservação a realização de atividades de educação ambiental;
IV - populações tradicionais extrativistas beneficiárias da unidade de conservação;
V - colaboradores ou membros de instituições colaboradoras;
VI - pesquisadores autorizados pelo Instituto Chico Mendes para realizar pesquisas na unidade de conservação;
VII - servidores de órgãos públicos, desde que a serviço;
VIII - guias de turismo, devidamente regularizados pelo Ministério do Turismo, no exercício de suas atividades profissionais, e
IX - condutores de visitantes cadastrados de acordo com os critérios estabelecidos pela chefia da unidade de conservação.

*** Dúvidas e mais informações sobre a compra de ingressos, valores, serviços disponíveis no Centro de Visitantes do PNCV, entre em contato com a concessionária Sociparques: (62) 99642-9828 ou https://sociparques.com.br/***

 

Para a Área de Visitação do Pouso Alto ainda não há cobrança de ingresso.

btn topo

Atrativos e Experiências

Na área de visitação de São Jorge, os visitantes podem percorrer cinco trilhas para conhecer os atrativos do Parque Nacional: Travessia das Sete Quedas, Travessia São Jorge - Capela, Trilha dos Saltos, Carrossel e Corredeiras, Trilha dos Cânions e Cariocas e Trilha da Seriema.

Na área de visitação do Pouso Alto há trilha cênica com aproximadamente 2km de extensão e setores de escalada na modalidade boulder.

Veja abaixo as informações sobre cada uma delas (extensão, duração estimada, nível de dificuldade e descrição):

 

 

ATENÇÃO:

 

A TRAVESSIA DAS SETE QUEDAS É ABERTA NA ESTAÇÃO SECA: DE JUNHO A NOVEMBRO


O sistema para a reserva e pagamento do(s) pernoite(s) na área de acampamento da Travessia das Sete Quedas está disponível na página da concessionária Sociparques, no endereço: https://sociparques.com.br/.

Dúvidas e maiores informações entre em contato com a concessionária Sociparques: (62) 99642-9828.

 

Extensão aproximada: 23,5 km 

Duração estimada: A Travessia pode ser percorrida em apenas um dia e sem pernoite ou em 2 ou 3 dias, com possibilidade de permanência de 1 ou 2 noites na área de acampamento das Sete Quedas.

Nível de dificuldade: Pesada

Sinalização: setas laranjas

No início do percurso, o visitante deve seguir as setas vermelhas por 3 km e seguir a bifurcação à direita para a Travessia das Sete Quedas. A partir dali, as setas são na cor laranja. Chegando ao Cânion 1, há uma placa indicando o início da Travessia. A paisagem possui diversas fisionomias, como campos rupestres, veredas, além do cerrado strictu sensu até a primeira passagem do Rio Preto, onde deverá cruzar a diagonal formada pelos dois postes laranja, um em cada lado da margem. Até ali, o visitante percorreu 10 km. Após atravessar o rio, o visitante irá percorrer mais 7 km por uma trilha histórica da época do garimpo, conhecida como Fiandeiras, passando por campos sujos e limpos e adentrando pelo cerrado rupestre até chegar ao acampamento das Sete Quedas, próximo ao Rio Preto, com água de boa qualidade e capacidade para 30 visitantes por noite. Existe um banheiro seco localizado a 100 metros da área de camping. Siga a sinalização para encontrar o banheiro e as instruções para uso disponíveis no interior. O Parque não fornece papel higiênico, álcool em gel e outros produtos de higiene.

A partir da área de acampamento, a trilha continua margeando o Rio Preto pelas pedras por cerca de 500 metros e o visitante deverá ficar atento às setas laranjas que apontarão para o poste também laranja do outro lado do rio, indicando o melhor ponto da segunda passagem do Rio Preto. Depois, a trilha continua por pouco mais de 6 km pelo cerrado rupestre, passando pela torre da Mata Funda e finalizando na rodovia GO-239.

O Cânion I fica aberto à visitação apenas durante a temporada das Sete Quedas, mas neste período todos os visitantes do PArque Nacional podem visitá-lo.

ATENÇÃO: a travessia termina na beira da rodovia GO-239 a cerca de 12 km de São Jorge e 24 km de Alto Paraíso. Portanto, o visitante deverá contratar por conta própria o serviço de traslado.

 

***RECOMENDAMOS A CONTRATAÇÃO DE UM CONDUTOR DE VISITANTES***

 

O PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DOS VEADEIROS/ICMBio NÃO SE RESPONSABILIZA PELA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELAS OPERADORAS E CONDUTORES DE VISITANTES.

 

Guia de Bolso com mapa

Termo de Conhecimento de Riscos e Normas

ATENÇÃO:

- Recomenda-se a contratação de condutor(a) de visitantes credenciado(a) no Parque Nacional. Enriqueça sua experiência!

- Contribua para a conservação do local ao respeitar a trilha sinalizada.

- A conduta consciente dos visitantes é essencial para que a visitação continue no local.

- O acampamento é permitido apenas nas áreas designadas: Área de Acampamento das Sete Quedas e Área de Acampamento da Boa Sorte.

- Ao sair do Parque Nacional, a trilha passa por propriedades privadas antes de chegar à comunidade da Capela. Ao passar por essas propriedades, deixe sempre as porteiras e colchetes fechados. Nesse trecho, também não interaja ou alimente os animais domésticos.

- Assim como São Jorge, a comunidade da Capela abriga imenso patrimônio histórico e cultural. Respeite e valorize a cultura local!

- Atualmente não há restaurantes, hospedagens ou transporte público na comunidade da Capela. Para esses serviços, é imprescindível agendar previamente com os contatos dos prestadores de serviço (maiores informações em: https://caminhodosveadeiros.com.br ou https://pt.wikiloc.com/trilhas-trekking/travessia-sao-jorge-capela-parque-nacional-da-chapada-dos-veadeiros-113577622).

DESCRIÇÃO GERAL:

Localização: Alto Paraíso de Goiás e Cavalcante (GO)

Extensão: 25km (ida)

Tipo: Travessia

Duração: travessia de aproximadamente 9h; ou dois dias com um pernoite (acampamento da Boa sorte ou das Sete Quedas)

Nível de dificuldade: Pesada

Acessos: Para percorrer a travessia no sentido São Jorge para Capela, o acesso é pelo Centro de Visitantes do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, na vila de São Jorge.

Para percorrer a travessia no sentido Capela para São Jorge, o início é no Povoado da Capela (Lat.: 14° 2'28.30"S; Long.: 47°49'8.64"O), que se localiza na estrada que liga os municípios de Colinas do Sul e Cavalcante.

Navegação: Pelo acesso do Centro de Visitantes, os primeiros 15km da trilha percorrem o mesmo traçado da Travessia das Sete Quedas, que está bem estabelecida e sinalizada. Seguir a trilha que leva para os Cânions e Cariocas com as setas vermelhas até a bifurcação sentido Sete Quedas e Cânion I, sinalizada em diante com setas de cor laranja. A bifurcação para a Capela está sinalizada com tabuletas direcionais de madeira. No novo trecho, seguir as orientações das sinalizações rústicas (pegada) do Caminho dos Veadeiros.

No sentido Sul-Norte (São Jorge para Capela) seguir as pegadas amarelas em fundo preto. No sentido Norte-Sul (Capela para São Jorge) seguir as pegadas pretas em fundo amarelo.

Para mais informações, acesse os arquivos no Wikiloc do Caminho dos Veadeiros: https://pt.wikiloc.com/trilhas-trekking/travessia-sao-jorge-capela-parque-nacional-da-chapada-dos-veadeiros-113577622.

Tipo de terreno/ambiente: Maior parte da trilha em terreno rochoso, com algumas partes mais arenosas. Alguns trechos há rochas e cascalho solto (risco de acidentes). Maior parte da trilha com alta exposição ao sol. O ambiente é predominantemente de Cerrado Rupestre, com variações de campos e formações florestais.

Melhor época: De junho a outubro. Os meses de novembro a maio correspondem à estação chuvosa e geralmente não é possível atravessar o Rio Preto, portanto o acesso por São Jorge fica temporariamente fechado. Nesse período, será possível acessar a trilha pela entrada da Capela.

É obrigatório efetuar a reserva da área de acampamento caso a opção de entrada seja pela Capela. Além disso, há risco de cabeça d´água nos córregos e cachoeiras. Recomenda-se ter cuidado redobrado durante a estação chuvosa.

Obrigatoriedade de guia: Não há, porém é altamente recomendada a contratação.

Agendamento: A reserva de pernoite para as áreas de acampamento depende da disponibilidade de vagas. Recomenda-se planejar e efetuar a reserva e compra de ingressos com antecedência na página da concessionária Sociparques: https://sociparques.com.br.

DESCRITIVO DA TRILHA (sentido Sul-Norte, de São Jorge para Capela):

PRIMEIRA SEÇÃO (8 km)

A travessia se inicia no Centro de Visitantes do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, onde os visitantes recebem todas as informações sobre a caminhada, em especial a respeito dos riscos envolvidos na atividade e descrição das características da travessia.

Nesta primeira seção da travessia o visitante deve seguir pela mesma trilha que leva para os Cânions e Cariocas com as setas vermelhas até a bifurcação à direita, após 4 km, que leva à Capela, Sete Quedas e Cânion I. A partir desse ponto siga pelas setas de cor laranja. Aproximadamente 1 km depois, há outra bifurcação sinalizada entre a trilha que dá acesso ao Cânion I (400m) e a trilha que segue para a Capela e Sete Quedas.

Outros 3 km a frente, e pouco antes da primeira travessia do Rio Preto, encontra-se a área de acampamento da Boa Sorte, que conta com banheiro seco.

SEGUNDA SEÇÃO (13 km)

Após a área de acampamento da Boa Sorte a trilha cruza o Rio Preto. Atenção na travessia para evitar acidentes! Algumas pedras podem estar escorregadias. Abasteça com no mínimo 2 litros de água por pessoa no rio antes de continuar a caminhada. Durante o período da seca, só há fontes para reabastecimento de água na parte final dessa seção.

Na outra margem do Rio Preto a trilha prossegue por mais 7 km até a bifurcação que separa os percursos das travessias das Sete Quedas e São Jorge - Capela. Há tabuletas nesse ponto indicando as direções e distâncias. Siga à esquerda na bifurcação, observando a partir de agora a sinalização da pegada do Caminhos dos Veadeiros. A trilha seguirá por trecho de campos abertos até iniciar a descida da Serra de Santana, com paisagens espetaculares. Após 5 km o trecho de descida termina e há aproximadamente 1 km em terreno mais plano em área de formação florestal. Muita atenção à sinalização nas árvores nesse trecho. O limite do PNCV encontra-se próximo da cerca com passagem aberta para os caminhantes e onde há placa de sinalização, finalizando este trecho.

TERCEIRA SEÇÃO (4 km)

Da placa de sinalização o visitante deve seguir por estrada de terra com a sinalização do Caminho dos Veadeiros nas árvores e cercas por aproximadamente 2 km, até a travessia do Córrego Fiandeiras, que possui bom volume de água corrente todo o ano e é uma boa oportunidade para refrescar e abastecimento de água. Depois do Córrego há um colchete para atravessar a cerca (mantenha-o fechado!) e 500m de estrada recém aberta (pouco batida) em meio a um pasto antes de chegar à porteira (mantenha fechada!) que dá acesso à estrada municipal que liga os municípios de Cavalcante e Colinas do Sul. Então, siga à esquerda na estrada em direção ao Povoado da Capela por 1,5 km. Atenção que apenas nesse último trecho de 1,5 km a navegação irá seguir a pegada em fundo amarelo, pois esse trecho é sobreposto à trilha de bicicleta do Caminho dos Veadeiros que passa pela estrada.

Ao chegar ao Povoado, adentrando 100m após as primeiras casas, a Capela estará visível no lado esquerdo. Ela é o ponto central do povoado. Nas proximidades existem alguns bares, que oferecem principalmente bebidas. Não há restaurantes, hospedagens ou transporte público no local. Para esses serviços, é imprescindível agendar previamente com os contatos dos prestadores de serviço indicados abaixo.

CONDUTA CONSCIENTE:

- Planejamento é fundamental. Informe-se sobre as condições climáticas e consulte a previsão do tempo.

- Você é responsável por sua segurança. Tenha certeza que você tem experiência necessária e equipamentos adequados para cada situação. Na dúvida, contrate um guia ou condutor local e enriqueça sua experiência.

- Cuide dos locais por onde passar, das trilhas e dos locais de acampamento.

- Mantenha-se nas trilhas determinadas e não use atalhos.

- Monte acampamento apenas nas áreas designadas. Não faça valetas ao redor das barracas.

- Leve de volta todos os seus resíduos. Dê uma atenção especial aos microrresíduos. Você é responsável por todos eles.

- A trilha não tem instalações sanitárias, exceto no Centro de Visitantes e nas áreas de acampamento. Recomendamos o uso de um "Kit Dejetos" (Shit tube, Dry sack, etc.) para acondicionar as fezes. É uma conduta importantíssima a ser adotada para minimizar o impacto da visitação. A maioria dos solos da região são rasos e impedem que as fezes sejam enterradas adequadamente. Ajude a difundir essa prática e dê o exemplo!

- Tire apenas fotografias, deixe apenas suas pegadas, mate apenas o tempo e leve apenas suas memórias.

- NÃO FAÇA FOGUEIRAS EM NENHUMA HIPÓTESE! Alto risco de incêndio! Para cozinhar utilize fogareiro, para iluminação utilize lanternas, e para se aquecer use equipamentos adequados.

- Não alimente a fauna local. E proteja a sua comida para evitar maiores incidentes.

- É proibido o consumo de bebidas alcoólicas, cigarros e quaisquer outras substâncias ilícitas dentro do Parque.

- É proibido o uso de caixas de som em qualquer volume. Respeite os demais visitantes e seja gentil.

- Lembre-se que depois de você outros também visitarão este local.

- Respeite a cultura e costumes locais.

CAMINHO DOS VEADEIROS:

- A sinalização é fruto do trabalho de voluntários no âmbito do movimento 'Caminho dos Veadeiros'. Não danifique, remova ou altere a sinalização.

- As informações aqui contidas não são um incentivo a visitas desprogramadas ou despreparadas. Trata-se de rota de Caminhada em ambiente natural, sendo necessário conhecimento das técnicas, equipamentos e riscos envolvidos.

- Ambientes naturais estão sujeitos a mudanças e as informações aqui apresentadas podem se encontrar desatualizadas. Não nos responsabilizamos por eventuais inconsistências ou acidentes decorrentes da prática esportiva.

- O CAMINHO DOS VEADEIROS é uma Trilha de Longo Curso que integra o Caminho dos Goyazes, no âmbito da Rede Brasileira de Trilhas. Para maiores informações acesse: https://caminhodosveadeiros.com.br.

Extensão aproximada: 11 km ida e volta

Duração estimada: 4h - 8h, conforme o tempo que o visitante permanecer nos atrativos

Nível de dificuldade: Moderada Superior

  • Saltos + Carrossel + Corredeiras: Moderada Superior
  • Só Corredeiras (6 km): Moderada

 

Sinalização: setas amarelas

O percurso é feito na maior parte do tempo em terreno acidentado e bastante pedregoso. Na ida, inclui a passagem pelo local conhecido como Garimpo, considerado o maior garimpo de cristal de quartzo da região quando estava em atividade (1912 a 1961). Nesta área do Parque são avistadas lindas veredas e tem-se uma bela noção do verdadeiro esplendor da Chapada dos Veadeiros. Depois de aproximadamente 4 km de caminhada, chega-se ao Mirante do Salto do Rio Preto (Salto de 120 m), ponto alto do percurso, de onde se vê a queda d’água, cenário de perder o fôlego. A 800 metros dali está a Cachoeira do Garimpão (Salto de 80m), onde é possível tomar banho no rio, em área limitada devido ao nível da água. 

Depois de uma subida bastante íngreme de cerca de 800 metros, que pode ser bastante cansativa, chega-se à bifurcação que indica a trilha até o mirante e poço do Carrossel. O poço do Carrosel somente fica aberto na época de seca, geralmente de junho a novembro.

As Corredeiras do Rio Preto é ótimo local para tomar banho de rio, nas hidromassagens formadas em suas pequenas quedas. Há uma trilha suspensa de 230 metros para as Corredeiras com acessibilidade para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, desde o estacionamento na estrada de serviço do Parque. A caminhada final de retorno até o Centro de Visitantes tem mais 3 km, portanto, é preciso ficar atento com o horário de fechamento do Parque, às 18h.

A concessionária Sociparques oferece o serviço de transporte interno, desde o centro de visitantes do Parque Nacional, até as Corredeiras e o início da descida da trilha para os Saltos do Rio Preto. Maiores informações no endereço: https://sociparques.com.br/

Extensão aproximada: 11 km ida e volta

Duração estimada: 4h – 8h, conforme o tempo que o visitante permanecer nos atrativos

Nível de dificuldade: Moderada

Sinalização: setas vermelhas

O percurso é feito em trilha pedregosa, plana e sem muitos aclives, passando por lugares com sombra, bicas com água e paisagens belíssimas. Após cerca de 5 km de caminhada, chega-se a uma bifurcação. Seguindo à esquerda mais 1 km, o caminho leva à Cachoeira das Cariocas. À direita, por cerca de 800m, está o Cânion II.

Na Cachoeira das Cariocas o Rio Preto se divide em duas quedas. A descida até o poço é íngreme e requer atenção redobrada. Lembre-se: não se arrisque sem necessidade e se não estiver seguro. Voltando pelo mesmo caminho em meia hora de caminhada o visitante chegará ao Cânion II, por onde se atravessa blocos de pedra até chegar a um grande poço para banho. Na época das chuvas, somente um pequeno trecho do poço é utilizado, devido à forte correnteza do Rio Preto. 

A caminhada final de retorno até o Centro de Visitantes tem cerca de 3,5 km de extensão.

Extensão aproximada: 800m ida e volta

Duração estimada: 1h30

Nível de dificuldade: Leve

Sinalização: setas azuis 

O percurso ocorre em terreno plano e bem marcado até chegar no córrego Preguiça, onde é possível tomar banho na época das chuvas. Esta trilha é recomendada para pessoas com dificuldade de locomoção, como idosos, grávidas e crianças.

O céu da Chapada dos Veadeiros é espetacular! Em locais mais afastados de cidades, como no interior do Parque Nacional, é possível observar todas as constelações, planetas, as fases da Lua e ter uma experiência incrível.

Há também milhares de hectares preservados onde vive rica fauna do bioma Cerrado que pode ser observada em horários mais propícios, como o amanhecer, em especial as espécies de aves.

Assim, em março de 2022 foram iniciadas as atividades no período noturno nas trilhas do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, na área de visitação em São Jorge.

Com isso, o PNCV dá mais um passo em seus objetivos de diversificar as experiências oferecidas aos visitantes e contribuir com o desenvolvimento socioambiental da região.

A visitação nesse período ocorrerá com grupos de no máximo seis visitantes, acompanhados por condutor credenciado no PNCV.

Os procedimentos operacionais estão definidos no Protocolo Operacional da Visitação nº 01/2022 (disponível no endereço abaixo) o qual recomendamos que todos os condutores e visitantes leiam.

Destacamos alguns pontos importantes:

- A visitação ocorrerá apenas nas noites de quinta a sábado e nos roteiros: Saltos, Carrossel e Corredeiras; e Seriema, sendo que não é recomendado o banho de rio nesse período de visitação;

- O condutor e todos os visitantes deverão ter sua própria lanterna. Não serão aceitas lanternas de telefones celulares;

- A entrada dos grupos ocorrerá entre 20h e 6h, com saída obrigatória até às 18h, não sendo permitido acampar ou entrar com barracas nesse período;

- A bilheteria e o Centro de Visitantes estarão fechados nesses horários e os ingressos deverão ser adquiridos de forma antecipada.

Outros dias, horários e roteiros serão implementados no futuro, o que será amplamente divulgado.

Qualquer dúvida sobre os procedimentos operacionais, a equipe do Parque Nacional fica à disposição por meio do whatsapp: 62 34551114 ou O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

Dúvidas em relação à venda antecipada de ingressos, entrar em contato com a concessionária Sociparques por meio do whatsapp: 62 996429828 ou O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

A Área de Visitação do Pouso Alto foi aberta ao uso público em setembro de 2022 e conta com trilha cênica de 2km de extensão que passa por diferentes fitofisionomias do Cerrado e dá acesso a incríveis setores de escalada da modalidade "boulder".

Saindo de Alto Paraíso, o visitante deverá seguir pela rodovia GO 118 no sentido Cavalcante por aproximadamente 14km até a entrada para a Base do PNCV. A entrada (Lat.: 14° 1'36.88"S; Long.: 47°31'46.03"O) fica à esquerda, em uma porteira logo após a placa do km176, onde se inicia a estrada de serviço do PNCV.

Por questões de segurança não estacione nas margens da rodovia e nem na estrada de serviço do Parque.

Na Base do PNCV haverá vagas delimitadas para estacionamento. Os visitantes serão recepcionados pelo agente temporário ambiental do ICMBio e receberão as instruções sobre os procedimentos necessários para a visita, que consiste na leitura do Termo de Conhecimento de Riscos e Normas e preenchimento do livro de registro de entrada.

O início da trilha se localiza voltando por cerca de 300m na estrada de serviço, onde está instalada a placa de entrada de trilha, com o mapa dos setores de escalada, trilhas e demais informações.

A partir da placa, a trilha segue por total de 2km passando, na sequência: pelo setor de escalada "Primeiro Setor", bifurcação na trilha entre o setor "Naja" à direita e demais setores à esquerda, pelo "Setor Passagem", bifurcação na trilha entre o setor "Vale das Águas" à direita e demais setores à esquerda, pelo setor "Cidade dos Sonhos" e por fim pelo setor "Face Oeste", onde há mirante para as porções mais altas do vale do Rio Preto.

A Área de Visitação do Pouso Alto fica aberta 24 horas para entrada e saída de visitantes.

A Associação de Escaladores da Chapada dos Veadeiros – AECV elaborou o Guia de Escalada do Pouso Alto.

Baixe aqui o Guia antes da sua visita!

Boas trilhas e boas escaladas!

O canionismo no rio Preto é uma das experiências mais intensas e fascinantes em contato com a natureza disponíveis aqu ino Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros!

A atividade de canionismo ocorre na temporada mais seca do ano, geralmente entre os meses de julho a setembro, no rio Preto, Área de Visitação em São Jorge.

As atividades comerciais de canionismo são realizadas somente pelas empresas autorizadas conforme previsto no Edital de Credenciamento PNCV nº 01/2021.

Os visitantes do PNCV assinarão Termo de Conhecimento de Riscos e Normas, conforme modelo a ser disponibilizado pela gestão do Parque.

As atividades de exploração de cânions ou de reconhecimento de potencial de uso público, serão autorizadas pela gestão da UC por meio de solicitação ao endereço eletrônico do PNCV (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.) com a descrição do local, dias e horários, e da atividade a ser realizada, nomes do responsável pela atividade e membros da equipe.

O serviço de condução de visitantes em atividades de canionismo terá o número máximo de 10 (dez) visitantes, sendo que o número mínimo de condutores especializados em cada operação dependerá do tamanho do grupo, conforme o que segue:

I - grupos de dois a quatro visitantes: dois condutores especializados;

II - grupos de cinco a dez visitantes: três condutores especializados.

Quando o grupo for composto por visitantes com experiência comprovada ou reconhecida na atividade de canionismo o número de condutores especializados poderá ser reduzido.

No serviço de condução de visitantes em atividades de canionismo serão utilizados os equipamentos listados no Anexo IV do Edital de Credenciamento PNCV nº 01/2021.

Acesse aqui o Edital de Credenciamento PNCV nº 01/2021.

 

 

Em construção...

 

 

Protocolo Operacional da Visitação nº 1/2022 - PNCV

btn topo

O Que Fazer

  • Caminhada
  • Observação de fauna e flora
  • Banho de rio e cachoeira
  • Contemplação da paisagem
  • Acampamento rústico
  • Canionismo
  • Escalada
  • Observação de aves
  • Observação astronômica
btn topo

Orientações

REGISTRO DE ENTRADA

Na entrada do Parque, o registro dos visitantes é feito mediante o preenchimento do Termo de Conhecimento de Riscos e Normas.

 

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

O Parque Nacional fica aberto à visitação todos os dias da semana.

Área de Visitação em São Jorge: entrada das 8h às 12h, com saída até às18h. Os visitantes das travessias poderão entrar a partir das 7h.

Área de Visitação do Pouso Alto: permanece aberta à visitação 24h por dia.

 

NÚMEROS BALIZADORES DA VISITAÇÃO

Visando enriquecer a experiência da visitação e manejar os possíveis impactos aos ecossistemas do Parque, a visitação ocorre observando-se os seguintes números:

- Área de Acampamento das Sete Quedas: 40 visitantes acampados/noite;

- Área de Acampamento da Boa Sorte: 30 visitantes acampados/noite;

Para percorrer as travessias em apenas um dia, não há número balizador da visitação estabelecido.

- Trilha dos Saltos, Carrossel e Corredeiras: 450 visitantes/dia;

- Trilha dos Cânion II e Cariocas: 300 visitantes/dia;

- Trilha da Seriema: não há número balizador da visitação estabelecido.

 

- Área de Visitação do Pouso Alto: não há número balizador da visitação estabelecido.

 

Obs.: Não será admitida a entrada de visitantes naquele atrativo que atingir o limite diário de pessoas, portanto, chegue mais cedo ou compre seu ingresso antecipadamente pela página da Sociparques nos dias de grande fluxo, como períodos de férias e feriados prolongados.

 

RECOMENDAÇÕES

  • Prepare-se para a caminhada:
  • Saiba se você tem o preparo físico adequado para percorrer as trilhas do PNCV. Caminhar no cerrado, mesmo com tempo nublado, é uma atividade muito desgastante.
  • Tome um café da manhã bem reforçado. Mesmo que você não esteja acostumado a comer logo pela manhã, faça um esforço, pois as caminhadas exigirão muito de você, por isso é bom estar preparado.
  • Leve bastante água e um bom lanche, mas evite vasilhames de vidro ou enlatados. Prefira alimentos leves como frutas, castanhas, sanduíches (sem maionese), banana e uva desidratada.
  • Utilize roupas adequadas, boné e tênis ou outro calçado fechado. Chinelos e sandálias abertas não combinam com trilhas e, se arrebentarem, tornarão sua experiência desagradável.
  • Leve protetor solar e repelente.
  • Leve seus remédios de usos específicos, como antialérgicos, e de uso controlado, como pressão, asma e outros.
  • Na época das chuvas, traga um anoraque (ou capa de chuva) e roupa reserva para trocar após o passeio. Dica: embale roupas e equipamentos eletrônicos em um saco estanque para mantê-los secos.
  • Siga as normas e as orientações dos funcionários do Parque, condutores de visitantes e bombeiros, especialmente  nas áreas de banho, pois elas visam  a proteção dos ambientes e dos próprios visitantes.
  • Observe, mas não recolha flores e pedras dos locais que você está visitando, nem moleste os animais.
  • Todo lixo que você produzir deverá ser  trazido de volta à cidade, inclusive o lixo orgânico.
  • Atividades em ambientes naturais envolvem riscos e o Parque Nacional não conta com serviço de resgate, portanto, aja com moderação. Evite atitudes que possam causar acidente, como subir em pedras ou árvores e saltar no rio de lugares altos.
  • Lembre-se: VOCÊ É O PRINCIPAL RESPONSÁVEL POR SUA SEGURANÇA!

Acesse o Guia de Conduta Consciente em Ambientes Naturais

 

Atenção: Em épocas de chuva existe o risco de ocorrência de trombas d´água, fenômeno decorrente do acúmulo de água na cabeceira do rio, provocando uma enchente repentina arrastando o que estiver em seu curso. 

COMUNICADO IMPORTANTE DA PREFEITURA DE ALTO PARAÍSO:
Nosso País é uma região endêmica do vírus da Febre Amarela, portanto, orientamos que, ao programar sua viagem para a Chapada dos Veadeiros, ou qualquer outra região do País, tome a vacina da Febre Amarela com no mínimo 10 (dez) dias de antecedência da sua viagem. Lembre-se: a única forma de evitar a Febre Amarela é se VACINANDO. Após vacinado, venha tranquilo (a), divirta-se e desfrute da sua estadia neste Paraíso.

 

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros RECOMENDA a contratação de um condutor local de visitantes autorizado para enriquecer sua experiência e seu aprendizado sobre a biodiversidade, geografia e cultura regionais, além de contribuir para sua segurança.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A LISTA DE CONDUTORES DE VISITANTES CADASTRADOS NO PNCV 

Edital de Credenciamento PNCV 1/2020 - Pessoa Física - Condução de Visitantes

Edital de Credenciamento PNCV 1/2021 - Pessoa Jurídica - Condução de Visitantes em Atividades de Canionismo

 

RESTRIÇÕES

Não são permitidos:

  • A entrada nas áreas de visitação com bebidas alcoólicas ou qualquer outra droga, legal ou não, que limite os reflexos e a capacidade de coordenação motora do indivíduo. Fumar, além de ser proibido no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, não combina com o ambiente e atrapalha a experiência dos outros visitantes. Respeite-os.
  • O uso de bronzeador, xampu e sabonete nos banhos de rio.
  • A entrada de animais domésticos.
  • O ingresso e a permanência na unidade de visitantes portando armas, materiais ou instrumentos destinados a corte, caça, pesca ou quaisquer outras atividades prejudiciais à fauna e à flora.
  • A utilização de aparelhos ou instrumentos sonoros dentro do Parque, excetuando-se os casos necessários à fiscalização, busca e salvamento.

 

Atenção: ao observar o Pato-mergulhão não utilize playback

Entre maio e setembro, o pato-mergulhão está em sua temporada de nidificação. Tanto no período de postura e incubação dos ovos, quanto nos cuidados com a prole, a prática do playback causa estresse, gastos desnecessários de energia e outros prejuízos ao casal. Dentre eles, faz o macho, em seu importante papel de sentinela do ninho, afastar-se das proximidades do mesmo à procura do pseudo invasor, deixando a fêmea desguarnecida dentro do ninho. Eventualmente, a fêmea pode se juntar ao macho, para tentar afugentar esta ameaça ilusória, oriunda do playback, deixando os ovos vulneráveis à ação de predadores.

Entendemos que, para espécies criticamente ameaçadas, playback deveria ser usado somente em condições excepcionais e restritas às metodologias voltadas à pesquisa e conservação. No caso do pato-mergulhão, não deve ser utilizado em tempo algum. A prática do playback pode reduzir ou impedir o sucesso da nidificação dessa ave ameaçadíssima.

Portanto, a obtenção de uma foto dessa ave com esse custo é indefensável e injustificada. O grupo de especialistas envolvidos no Plano de Ação Nacional para a Conservação do Pato Mergulhão ressalta a responsabilidade daqueles genuinamente interessados na nossa natureza para não usarem playback visando atrair o pato-mergulhão.

Pratique a observação de aves na sua essência. Prefira o uso de binóculos.

 

 

btn topo

Onde Ficar

Todos os municípios da região da Chapada dos Veadeiros dispõem de diversificadas opções de hospedagem como: campings, pousadas e hotéis.

Entre em contato com os Centros de Atendimento ao Turista (CAT) de cada município para maiores informações.

No interior do Parque Nacional não há opções de hospedagem.

btn topo