destaque veadeiros

Orientações

REGISTRO DE ENTRADA

Na entrada do Parque, o registro dos visitantes é feito mediante o preenchimento do Termo de Conhecimento de Riscos e Normas.

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

O Parque é aberto à visitação todos os dias da semana.

Entrada: das 8h às 12h

Saída: até às 18h 

CAPACIDADE DE VISITAÇÃO

Visando enriquecer a experiência da visitação e manejar os impactos sobre os ecossistemas do Parque, a visitação é limitada por trilha:

- Travessia das Sete Quedas: 30 pessoas acampadas/noite

- Trilha dos Saltos, Carrossel e Corredeiras: 450 visitantes/dia

- Trilha dos Cânion II e Cariocas: 300 visitantes/dia

- Trilha da Seriema: 30 visitantes/dia.

Obs.: Não será admitida a entrada de visitantes naquele atrativo que atingir o limite diário de pessoas, portanto, chegue mais cedo nos dias de grande fluxo, como férias e feriados prolongados. 

RECOMENDAÇÕES

  • Prepare-se para a caminhada:
  • Saiba se você tem o preparo físico adequado para percorrer as trilhas do PNCV. Caminhar no cerrado, mesmo com tempo nublado, é uma atividade muito desgastante.
  • Tome um café da manhã bem reforçado. Mesmo que você não esteja acostumado a comer logo pela manhã, faça um esforço, pois as caminhadas exigirão muito de você, por isso é bom estar preparado.
  • Leve bastante água e um bom lanche, mas evite vasilhames de vidro ou enlatados. Prefira alimentos leves como frutas, castanhas, sanduíches (sem maionese), banana e uva desidratada.
  • Utilize roupas adequadas, boné e tênis ou outro calçado fechado. Chinelos e sandálias abertas não combinam com trilhas e, se arrebentarem, tornarão sua experiência desagradável.
  • Leve protetor solar e repelente.
  • Leve seus remédios de usos específicos, como antialérgicos, e de uso controlado, como pressão, asma e outros.
  • Na época das chuvas, traga um anoraque (ou capa de chuva) e roupa reserva para trocar após o passeio. Dica: embale roupas e equipamentos eletrônicos em um saco estanque para mantê-los secos.
  • Siga as normas e as orientações dos funcionários do Parque, condutores de visitantes e bombeiros, especialmente  nas áreas de banho, pois elas visam  a proteção dos ambientes e dos próprios visitantes.
  • Observe, mas não recolha flores e pedras dos locais que você está visitando, nem moleste os animais.
  • Todo lixo que você produzir deverá ser  trazido de volta à cidade, inclusive o lixo orgânico.
  • Atividades em ambientes naturais envolvem riscos e o Parque Nacional não conta com serviço de resgate, portanto, aja com moderação. Evite atitudes que possam causar acidente, como subir em pedras ou árvores e saltar no rio de lugares altos.
  • Lembre-se: VOCÊ É O PRINCIPAL RESPONSÁVEL POR SUA SEGURANÇA!

Acesse o Guia de Conduta Consciente em Ambientes Naturais

 

Atenção: Em épocas de chuva existe o risco de ocorrência de trombas d´água, fenômeno decorrente do acúmulo de água na cabeceira do rio, provocando uma enchente repentina arrastando o que estiver em seu curso. 

COMUNICADO IMPORTANTE DA PREFEITURA DE ALTO PARAÍSO:
Nosso País é uma região endêmica do vírus da Febre Amarela, portanto, orientamos que, ao programar sua viagem para a Chapada dos Veadeiros, ou qualquer outra região do País, tome a vacina da Febre Amarela com no mínimo 10 (dez) dias de antecedência da sua viagem. Lembre-se: a única forma de evitar a Febre Amarela é se VACINANDO. Após vacinado, venha tranquilo (a), divirta-se e desfrute da sua estadia neste Paraíso.

 

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros RECOMENDA a contratação de um condutor local de visitantes autorizado para enriquecer sua experiência e seu aprendizado sobre a biodiversidade, geografia e cultura regionais, além de contribuir para sua segurança.

CLIQUE AQUI PARA VER A LISTA DE CONDUTORES DE VISITANTES CADASTRADOS NO PNCV 

RESTRIÇÕES

Não são permitidos:

  • A entrada nas áreas de visitação com bebidas alcoólicas ou qualquer outra droga, legal ou não, que limite os reflexos e a capacidade de coordenação motora do indivíduo. Fumar, além de ser proibido no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, não combina com o ambiente e atrapalha a experiência dos outros visitantes. Respeite-os.
  • O uso de bronzeador, xampu e sabonete nos banhos de rio.
  • A entrada de animais domésticos.
  • O ingresso e a permanência na unidade de visitantes portando armas, materiais ou instrumentos destinados a corte, caça, pesca ou quaisquer outras atividades prejudiciais à fauna e à flora.
  • A utilização de aparelhos ou instrumentos sonoros dentro do Parque, excetuando-se os casos necessários à fiscalização, busca e salvamento.

 

Atenção: ao observar o Pato-mergulhão não utilize playback

Entre maio e setembro, o pato-mergulhão está em sua temporada de nidificação. Tanto no período de postura e incubação dos ovos, quanto nos cuidados com a prole, a prática do playback causa estresse, gastos desnecessários de energia e outros prejuízos ao casal. Dentre eles, faz o macho, em seu importante papel de sentinela do ninho, afastar-se das proximidades do mesmo à procura do pseudo invasor, deixando a fêmea desguarnecida dentro do ninho. Eventualmente, a fêmea pode se juntar ao macho, para tentar afugentar esta ameaça ilusória, oriunda do playback, deixando os ovos vulneráveis à ação de predadores.

Entendemos que, para espécies criticamente ameaçadas, playback deveria ser usado somente em condições excepcionais e restritas às metodologias voltadas à pesquisa e conservação. No caso do pato-mergulhão, não deve ser utilizado em tempo algum. A prática do playback pode reduzir ou impedir o sucesso da nidificação dessa ave ameaçadíssima.

Portanto, a obtenção de uma foto dessa ave com esse custo é indefensável e injustificada. O grupo de especialistas envolvidos no Plano de Ação Nacional para a Conservação do Pato Mergulhão ressalta a responsabilidade daqueles genuinamente interessados na nossa natureza para não usarem playback visando atrair o pato-mergulhão.

Pratique a observação de aves na sua essência. Prefira o uso de binóculos.