Incêndios Florestais

O controle das emergências ambientais é uma das atribuições do ICMBio no interior das unidades de conservação federais e parte da estratégia de proteção dessas áreas. A prevenção e controle de incêndios florestais é uma das principais preocupações dentro desta área de atuação.

Ponto Focal em Manejo Integrado do Fogo

Marcelo Souza Motta (Analista Ambiental)

Contato: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Mario Luiz Kozlowski Pitombeira (Analista Ambiental)

Contato: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Secretaria

Luana Mara Correa Silva

Contato: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

O Parque Nacional do Itatiaia contrata, em caráter temporário, brigadistas para atuarem nas ações de prevenção e combate aos incêndios florestais, além de receber o apoio de brigadistas voluntários (seja um voluntário) e instituições parceiras locais e regionais, conforme o nível de complexidade do incidente.

O processo de contratação se inicia com a pré-seleção dos candidatos para o curso de formação de brigadistas ministrado pelo ICMBio e, posteriormente, a seleção dos candidatos com melhor aproveitamento no curso de capacitação.

Para maiores informações, acesse o Edital.

Ano 2019

Ano 2020 (a ser publicado)

2018

Cartograma   e   Formulários (em desenvolvimento)

2019

Em Construção

O histórico de ocorrência de incêndios florestais na unidade de conservação, composto principalmente pelos Registros de Ocorrência de Incêndios – ROI e relatórios técnicos diversos, é essencial para se definir estratégias de prevenção e combate de forma eficiente e organizada, além de auxiliar na elaboração do Plano de Manejo Integrado do Fogo.

Os primeiros registros oficiais de incêndio no Parque Nacional do Itatiaia são de setembro de 1937, ano de criação da unidade, apesar de existirem registros da presença de fogo nos campos de Itatiaia desde o Holoceno.

A partir de 2001 houve a sistematização dos registros de incêndios em formulário denominado Registro de Ocorrência de Incêndios – ROI e, posteriormente, a formação do banco de dados do Sistema Nacional de Informações sobre Fogo - SISFOGO (disponível em http://www.ibama.gov.br/incendios-florestais). A partir de 2008, no Parque nacional do Itatiaia, os ROI’s apresentam o polígono da área queimada levantado com GPS de navegação, o que melhorou a precisão da área e localização geográfica.

Apresentamos o histórico de ROIs a partir do ano de 2012. Cabe salientar que o formulário utilizado é uma adaptação do inicialmente proposto pelo Prevfogo/IBAMA e que podem não estar totalmente preenchidos com as informações e ou com os polígonos das áreas queimadas.

Outro ponto a informar é que os ROIs apresentados referem-se a apenas aquelas ocorrências em que a brigada da unidade foi acionada em função dos aspectos logísticos e da análise de prioridade durante o período contratual, não representando todas as ocorrências de fogo em vegetação na região do Parque Nacional do Itatiaia em cada ano.

Observações:

1. As informações referentes aos dados meteorológicos, quando preenchidas, foram obtidas de estações de referência na região (Resende-RJ para face sul da uc; São Lourenço – MG, para a face norte da uc) pertencentes à Rede de Estações do Instituto Nacional de Meteorologia (acesso em www.inmet.gov.br). A partir do ano de 2018, com a instalação de Estação Meteorológica no Planalto do Itatiaia (Itatiaia-Parque Nacional), utilizamos as informações desta Estação para as ocorrências na face norte da uc.

2. Os dados de precipitação são coletados diariamente em pluviômetros instalados no Planalto do Itatiaia e Visconde de Mauá que, em conjunto com os dados das estações citadas, se calculou o número de dias sem chuva. Precipitação menor que 2 mm não foi considerada chuva.

3. As causas e os agentes causais dos incêndios florestais descritos são sugestões, considerando o uso da área, padrões de ignição e outros fatores. Informações de caráter pessoal foram retiradas.

4. Os cartogramas apresentados são ilustrativos. Para a solicitação dos polígonos dos ROI´s existentes, favor entrar em contato através do email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

5. Registros de incêndios de outras unidades de conservação presentes no histórico apresentado podem não conter todas as informações. Sugerimos consultar diretamente as unidades de conservação citadas.

Atualmente, as unidades de conservação que possuem a “problemática” FOGO no contexto de gestão elaboram o Plano de Manejo Integrado do Fogo – PMIF, documento técnico que visa garantir a conservação dos recursos naturais e seus serviços ecossistêmicos, utilizando-se de diferentes estratégias para o manejo da paisagem em uma abordagem conceitual interdisciplinar, participativa e adaptativa.

O Parque Nacional do Itatiaia possui o PMIF, elaborado no ano de 2017 com previsão de revisão/atualização para o ano de 2021. Anualmente é realizada sua avaliação para o replanejamento das ações.

Plano de Manejo Integrado do fogo

PMIF  Figura 01    Figura 02    Plano de Queima (PRESCRIÇÃO)    Plano de Queima (AVALIAÇÃO)   

A IMPORTÂNCIA DE CARACTERÍSTICAS DE FLAMABILIDADE E TOLERÂNCIA À SECA PARA COMPREENSÃO DE RESISTÊNCIA E RESILIÊNCIA DE PLANTAS DE CAMPO DE ALTITUDE (COORDENAÇÃO: BRUNO H. P. ROSADO – UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO)

AVALIAÇÃO TEMPORAL DO EFEITO DA QUEIMA PRESCRITA EM ATRIBUTOS DE SOLOS FRÁGEIS NO PARQUE NACIONAL DE ITATIAIA (COORDENAÇÃO: LUCIA H. C. DOS ANJOS – UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO)

DETECÇÃO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS EM TEMPO REAL A PARTIR DE MONITORAMENTO DE BAIXO CUSTO E TELEMETRIA UTILIZANDO AS TECNOLOGIAS DE DRONE E VANTS (COORDENAÇÃO: MARCIO CATALDI – UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE)

ECOLOGIA E MANEJO DO FOGO NOS ECOSSISTEMAS MONTANOS DO DOMÍNIO DA MATA ATLÂNTICA (COORDENAÇÃO: MARCO AURÉLIO LEITE FONTES – UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS)

MONITORAMENTO DE QUEIMAS PRESCRITAS USANDO SISTEMAS AÉREOS NÃO-TRIPULADOS NO PARQUE NACIONAL DO ITATIAIA (COORDENAÇÃO: LUIS M. T. DE CARVALHO – UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS)

Em Construção