Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Fauna Brasileira > Estado de Conservação - Lista > Mamíferos - Saguinus fuscicollis mura - Sauim dos indios mura
Início do conteúdo da página

Mamíferos - Saguinus fuscicollis mura - Sauim dos indios mura

Avaliação do Risco de Extinção de Saguinus fuscicollis mura Röhe, Silva Jr., Sampaio e Rylands 2009 no Brasil

Fabio Röhe1, André Chein Alonso2, Emanuella Felix Moura2



1Wildlife Conservation Society - Programa Amazonia Brasil. <fabiorohe@gmail.com>

2Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Primatas Brasileiros/Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. <guaribapoa@yahoo.com.br, manufmoura@gmail.com> 

 Saguinus fuscfuscicollis mura Stephen Nash CPB saguinus fuscicollis mura

Ordem: Primates
Família: Callitrichidae

Nomes comuns por região/língua:
Português
– Soim, Sagui. Sauim dos indios Mura
Inglês – grayfronted saddleback tamarin or the Mura’s saddleback tamarin

Notas taxonômicas: 
A taxonomia de Saguinus fuscicollis é baseada no estudo de Hershkovitz (1977; ver também Cheverud & Moore 1990). Esta subespécie pertence ao grupo de Saguinus que compartilham uma característica comum que é o manto estampado no dorso (Saddle-back). Saguinus fuscicollis mura foi descrito por Röhe et al. (2009), que apresenta as seguintes características diagnósticas: cabeça marrom-escura com pelos esparsos acizentados; ausência da mancha branca superciliar bifurcada, manto do lombo é estampado com cores marrom-escura quase negra e ocre que se estende da região escapular até a base da cauda; e braços negros com manchas marrom-avermelhado nas laterais. O epíteto específico é em homenagem a etnia indígena Mura, residente das bacias dos rios Purus e Madeira. Aqui está sendo seguida a taxonomia proposta por Rylands (2012).

Categoria e critério para a avaliação da espécie no Brasil: Menos Preocupante (LC).

Justificativa: 
Saguinus fuscicollis mura é um táxon endêmico da Amazônia brasileira e ocorre em extensa área. O asfaltamento da rodovia federal (BR-319) é uma considerável ameaça no futuro, entretanto o impacto provocado não irá implicar em um declínio populacional significativo nas próximas três gerações. Portanto, foi categorizado como Menos Preocupante (LC).

Histórico das avaliações nacionais anteriores: Táxon não consta na última avaliação nacional.

Avaliações em outras escalas:
Avaliação Global (IUCN): Táxon não consta na última avaliação nacional.

História de vida

Maturidade sexual (anos)
Fêmea 1,5 (para o gênero) (Eisenberg 1977).
Macho 2 (para o gênero) (Eisenberg 1977).
Peso Adulto (g)
Fêmea 311,8 (n=2) (Röhe et al. 2009).
Macho 311,8 (n=3) (Röhe et al. 2009).
Comprimento Adulto (mm)
Fêmea 239 mm (n=2) (Röhe et al. 2009).
Macho 237 mm (n=3) (Röhe et al. 2009).
Tempo geracional (anos)
6 (IUCN/SSC 2007)
Sistema de acasalamento Poligâmico (para a espécie) (Terborgh & Wilson 1983).
Intervalo entre nascimentos 7,4 a 8,4 meses (para o S. fuscicollis) (Snowdon & Soini 1988).
Tempo de gestação (meses)
5 meses para S. fuscicollis (Eisenberg 1977, Gengozian et al. 1977, Lotker et al. 2004).
Tamanho da prole Normalmente gêmeos (Snowdon & Soini 1988-Rohe dados nao publicados para S. f mura).
Longevidade 20 a 25 (para indivíduos em cativeiro) (para o gênero) (Nowak 1999).
Características genéticas
Cariótipo: não foram encontradas informações.
Informações sobre variabilidade genética do táxon (padrões filogeográficos e relações filogenéticas): não foram encontradas informações.


Saguinus fuscicollis mura é endêmico ao Brasil, ocorrendo no estado do Amazonas, onde é nativo e residente (Rohe et al. 2009). O limite norte é, provavelmente, delimitado pelas florestas inundadas (várzeas) do rio Amazonas. Saguinus fuscicollis mura tem seus limites geográficos estabelecidos pelos rios Amazonas-Solimões (norte), Madeira (leste), Purus (oeste) com provavelmente o rio Ipixuna determinando seu limite sul. A localidade tipo é na margem esquerda do rio Tupana, um pouco mais de 100 km ao sul do rio Amazonas.
É preciso uma maior amostragem ao longo de toda a área de influência direta da BR-319, dentro da extensão de ocorrência da espécie.
A área total de distribuição do táxon é de cerca de 70 mil quilômetros quadrados, segundo F. Röhe e colaboradores (dados não publicados). E certamente sua área de ocupação seja maior que 2.000km².

O tamanho da população total remanescente não é conhecido e não se sabe se o número de indivíduos maduros deste táxon é superior a 10.000.
Saguinus fuscicollis mura apresenta tamanho médio dos grupos de 2,93 (n=15) (F. Röhe, dados não publicados).

Informações sobre abundância populacional: Avistamento de 1 grupo/10km (esforço de 400km) taxa média para 12 locais (F. Röhe, dados não publicados).

Tendência populacional: Desconhecida (Inferido). Ainda que não se saiba a tendência populacional deste táxon, existem várias previsões de diferentes autores de grande impacto de ocupação humana e mudança do uso da terra em função da repavimentação da BR-319 em decorrência dos empreendimentos infra-estruturais do PAC previstos e em desenvolvimento.

Saguinus fuscicollis mura ocorre em Florestas de Terra firme primarias, secundarias e campinaranas, vegetação que possui dossel com cerca de 30 metros de altura. Esta fitofisionomia é de transição entre a floresta alta de terra firme e a campina, uma savana de solo arenoso composta por áreas abertas (Röhe et al. 2009). O taxon é frequentemente registrado em areas de floresta secundaria ao longo da BR-319, sendo tolerante a modificações/perturbações no ambiente.

As principais ameaças identificadas para o táxon foram: agricultura, pecuária, desmatamento, aumento da matriz rodoviária, desconexão de hábitat, redução de hábitat. A área de distribuição do táxon é seccionada pela BR-319.
Existentes: O táxon está listado no Apêndice II da CITES.
Segundo Röhe e colaboradores (2009) e Röhe (dados não publicados), o táxon ocorre nas seguintes áreas protegidas:
TI Cunhã-Sapucaia (473900ha), RDS Igapó-açú (394631 ha), RDS Matupiri (179083ha), RDS Madeira (279633ha), Parque Estadual Matupiri (509591ha), RDS rio Amapá (216100ha), RESEX Lago Capanã-Grande (304.310ha), TI Ariramba (10800ha), TI Lago Janauari (11800ha), PARNA Nascentes do Lago Jari (812.745ha), FLOES Tapauá (879971ha), TI Apurinã Igarapé Tauamirim (96.456ha), FLONA Balata-Tufari (1.079.669ha).

{slider=Pesquisas}É necessário realizar o mapeamento e estudos de estimativa populacional dentro da área de extensão de ocorrência e principalmente ao longo da área de influência direta da BR-319 para melhor avaliar os impactos que a rodovia poderá causar nas populações do entorno. Também entender suas relações filogenéticas dentro do grupo.

Cheverud, J.M. & Moore, A.J. 1990. Subspecific variation in the saddle-back tamarin (Saguinus fuscicollis). American Journal of Primatology, 21: 1-15.

Eisenberg, J.F. 1977. Comparative ecology and reproduction in New World monkeys. Pp. 13-22. In: Kleiman, D.G. (ed.). The biology and conservation of the Callitrichidae. Smithsonian Institution Press. 354p.

Gengozian, N.; Batson, J.S. & Smith, T.A. 1977. Breeding of tamarins (Saguinus spp.) in the laboratory. Pp. 207-218. In: Kleiman, D.G. (ed.). The biology and conservation of Callitrichidae. Smithsonian Institution Press. 354p.

Hershkovitz, P. 1977. Living New World monkeys (Platyrrhini), with an introduction to Primates. The University of Chicago Press. 1117p.

IUCN/SSC Neotropical Primates Species Assessment Workshop (Red List). 2007. Oficina realizada em Novembro de 2007 em Orlando, Florida, Estados Unidos.

Lottker, P.; Huck, M.; Heymann, E.W. & Heistermann, M. 2004. Endocrine correlates of reproductive status in breeding and nonbreeding wild female moustached tamarins. International Journal of Primatology, 25 (4): 919-937.

Nowak, R.M. 1999. Walker’s Primates of the World. Johns Hopkins University Press, Baltimore and London. 224p.

Röhe, F.; Silva Junior, J.S.; Sampaio, R. & Rylands, A.B. 2009. A new subspecies of Saguinus fuscicollis (Primates, Callitrichidae). International Journal of Primatology, 30 (4): 533-551.

Rylands, A.B. 2012. Taxonomy of the Neotropical Primates – database. International Union for Conservation of Nature (IUCN), Species Survival Commission (SSC), Primate Specialist Group, IUCN, Gland.

Snowdon, C.T. & Soini, P. 1988. The tamarins, genus Saguinus. Pp. 223-298. In: Mittermeier, R.A.; Rylands, A.B.; Coimbra-Filho, A.F. & Fonseca, G.A.B. (eds.). Ecology and behavior of neotropical primates - Vol. 2. Littera Maciel Ltda. 612p.

Terborgh, J. & Wilson, A.C. 1983. Ecologia y comportamiento de Saguinus en el Parque Nacional de Manu, Perú. Pp. 167-173. In: Symposio de Primatologia e IX Congreso Latinoamericano de Zoología,. Anais do Symposio de Primatologia e IX Congreso Latinoamericano de Zoología.

Van Roosmalen, M.G.M. 2003. New species from Amazonia. Disponível em http://amazonnewspecies.com. Acessado em julho de 2012.
Citação:
Röhe, F.; Alonso, A. C.; Moura, E. F. 2015. Avaliação do Risco de Extinção de Saguinus fuscicollis mura Röhe, Silva Jr., Sampaio e Rylands 2009 no Brasil. Processo de avaliação do risco de extinção da fauna brasileira. ICMBio. http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/fauna-brasileira/estado-de-conservacao/7233-mamiferos-saguinus-fiscicollis-mura-sauim-dos-indios-mura.html

Oficina de Avaliação do Estado de Conservação de Primatas Brasileiros.
Data de realização: 30 de julho a 03 de agosto de 2012.
Local: Iperó, SP.

Avaliadores:
Alcides Pissinatti, Amely B. Martins, André C. Alonso, André de A. Cunha, André Hirsch, André L. Ravetta, Anthony B. Rylands, Armando M. Calouro, Carlos E. Guidorizzi, Christoph Knogge, Fabiano R. de Melo, Fábio Röhe, Fernanda P. Paim, Fernando de C. Passos, Gabriela Ludwig, Gustavo R. Canale, Ítalo Mourthé, Jean P. Boubli, Jessica W. Lynch Alfaro, João M. D. Miranda, José Rímoli, Júlio C. Bicca-Marques, Leandro Jerusalinsky, Leandro S. Moreira, Leonardo G. Neves, Leonardo de C. Oliveira, Líliam P. Pinto, Liza M. Veiga, Maria Adélia B. de Oliveira, Marcos de S. Fialho, Mariluce R. Messias, Mônica M. Valença-Montenegro, Rosana J. Subirá, Renata B. Azevedo, Rodrigo C. Printes, Waldney P. Martins, Wilson R. Spironello.

Colaboradores:
Amely B. Martins (Ponto Focal), André C. Alonso (Apoio), Camila C. Muniz (Apoio), Carlos E. Guidorizzi (Facilitador), Emanuella F. Moura (Apoio), Fabiano R. de Melo (Coordenador de táxon), Gerson Buss (Apoio), Liza M. Veiga (Coordenador de táxon), Marcos de S. Fialho (Coordenador de táxon), Mariluce Rezende Messias, Rosana J. Subirá (Facilitadora), Taissa Régis (Apoio), Werner L. F. Gonçalves (Apoio).

Fim do conteúdo da página