Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Invertebrados Terrestres - Partamona littoralis Pedro & Camargo, 2003 - Abelha
Início do conteúdo da página

Invertebrados Terrestres - Partamona littoralis Pedro & Camargo, 2003 - Abelha

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Invertebrados Terrestres
Insecta
Hymenoptera
Apidae
Partamona littoralis Pedro & Camargo, 2003
Abelha
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
EN
B1 ab(i,ii,iii)
Justificativa
Partamona littoralis é endêmica do Brasil, conhecida de poucas localidades na Mata Atlântica do Nordeste, com registros em Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. Sua extensão de ocorrência é estimada em apenas 258km2. A espécie necessita de ambientes em bom estado de conservação, e não é tolerante a perturbações e alterações de hábitat. Os remanescentes florestais da região de ocorrência da espécie são pequenos e encontram-se isolados por extensas áreas de atividades agropecuárias, fragmentando a população da espécie. Portanto, Partamona littoralis foi categorizada como Em Perigo (EN) segundo o critério B1ab(i,ii,iii).
Especialistas
Fernando Amaral da Silveira - UFMG, Gabriel Augusto Rodrigues de Melo - UFPR, Lucio Antonio de Oliveira Campos - UFV, Silvia Regina de Menezes Pedro - USP.
Referências
Aguiar J. A. C. & Martins M. F. 2003. The bee diversity of the Tabuleiro vegetation in the Guaribas Biological Reserve (Mamanguape, Paraíba, Brazil). Apoidea Neotropica: Homenagem aos 90 Anos de Jesus Santiago Moure; Editora UNESC, Criciúma.
Camargo J. M. F. & Pedro S. R. M. 2003. Meliponini neotropicais: o gênero Partamona Schwarz, 1939 (Hymenoptera, Apidae, Apinae) - bionomia e biogeografia. Revista Brasileira de Entomologia 47(3): 311-3.
J. M. F. Camargo & S. R. M. Pedro, 2013. Meliponini Lepeletier, 1836. In Moure, J. S., Urban, D. & Melo, G. A. R. (Orgs). Catalogue of Bees (Hymenoptera, Apoidea) in the Neotropical Region - online version. Available at http://www.moure.cria.org.br/catalogue. Accessed Feb/24/2014.
Michener C. D. 2007. The Bees of the World. 2nd ed. The Johns Hopkins University Press.
Nogueira-Neto, P. 1997. Vida e Criação de Abelhas Indígenas Sem Ferrão. São Paulo: Editora Nogueirapis. 445p. P. Vit et al. 3013. A legacy of stingless bees. Springer Science Business Media New York; DOI 10.1007/978-1-4614-4960-7.
Pickering J. XXXX. Discover Life. Versão online. Disponivel em: http://pick4.pick.uga.edu. Acesso Jan. 2014.
Roubik, 2006. Stingless bee nesting biology. Apidologie 37; 124–143.
Silveira F. A., G. Melo & E. A. B. Almeida 2002. Abelhas Brasileiras, Sistemática e Identificação. Belo Horizonte, 253 pp.
Species Link, http://splink.cria.org.br, Coleções consultadas: USPRP – RPSP, CE-UFPE, Abril, 2013.
Fim do conteúdo da página