Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Mamíferos - Priodontes maximus (Kerr, 1792) - Tatu-canastra
Início do conteúdo da página

Mamíferos - Priodontes maximus (Kerr, 1792) - Tatu-canastra

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Mamíferos
Mammalia
Cingulata
Dasypodidae
Priodontes maximus (Kerr, 1792)
Tatu-canastra
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
VU
A2cd
IN MMA 003/2003
Justificativa
Considerando a caça direcionada, a perda ocorrida e contínua do Cerrado, 49,1% nos últimos 50 anos, o avanço do arco do desmatamento no bioma amazônico e perda de 88% do bioma Mata Atlântica, infere-se que pelo menos 30% da população foi perdida nos últimos 24 anos. Assim, Priodontes maximus foi considerada Vulnerável conforme os critérios A2cd. É estimado que, assumindo a densidade da espécie para uma área conhecida no Cerrado, PARNA de Emas, o quantitativo remanescente da mesma nos poucos fragmentos de Mata Atlântica com ocorrência confirmada, não superaria os 250 indivíduos maduros, e considerando que a maior área contigua de floresta está na casa dos 40 mil ha, nenhuma população possuiria mais de 50 indivíduos maduros. Assim para a Mata Atlântica a espécie Priodontes maximus foi categorizada como Criticamente Em Perigo (CR) pelos critérios C2ai.
Especialistas
Adriana Bocchiglieri – UFS, Adriano Garcia Chiarello – USP, Alessandra Bertassoni – UNESP, Claudia Bueno de Campos - Instituto Pró-Carnívoros, Fábio Röhe - WCS/ Brasil/Amazônia, Fernanda Góss Braga - Bio situ Projetos e Estudos Ambientais Ltda., Flávia Regina Miranda – UFMG, Gileno Antônio Araújo Xavier – UFRPE, Guilherme de Miranda Mourão - EMBRAPA/Pantanal, Guilherme Henrique Braga de Miranda - Departamento de Polícia Federal do Ministério da Justiça, Guillermo Pérez-Jimeno, Jociel Ferreira Costa – IFMA, José Abílio Barros Ohana – MPEG, Kena Ferrari Moreira da Silva – UESC, Luciana Surita Macedo - SEBRAE/Roraima, Marcelo Lima Reis – ICMBio, Maria Eugenia Laurito Summa - SVMA/SP, Maria Nazareth Ferreira da Silva – INPA, Mariana de Andrade Faria-Corrêa - Simbiota Consultoria Ambiental Ltda, Nadia de Moraes Barros - Universidade do Porto, Portugal, Nina Attias – UFMS, Sérgio Maia Vaz – UFRJ, Sonia Cristina da Silva Belentani – FAPESP, Teresa Cristina da Silveira Anacleto – UNEMAT, Thiago Philipe de Camargo e Timo – UFSCAR, Wagner Augusto Fischer – MCT.
Referências
Abba, A.M. & Superina, M. 2010. The 2009/2010 Armadillo Red List Assessment. Edentata, 11 (2): 135-184.

Anacleto, T.C.S. & Marinho Filho, J. 2001. Hábito alimentar do tatu-canastra (Xenarthra, Dasypodidae) em uma área de cerrado do Brasil Central. Revista Brasileira de Zoologia, 18 (3): 681-688.

Anacleto, T.C.S. 1997. Dieta e utilização de hábitat do tatu-canastra (Priodontes maximus Kerr, 1792) numa área de cerrado do Brasil central. Dissertação de Mestrado. Brasília, Universidade de Brasília e Instituto de Ciências Biológicas. 63p.

Barnett, A. & Cunha, A.C. da. 1998. Apendix 3 (Cap. 10) - Other mammals on the Ilha de Maracá. Pp. 449-450. In: Milliken, W.; Ratter, J.A. (org.). Maracá: The biodiversity and environment of an Amazonian rainforest. John Wiley & Sons, Chichester - England.

Bergallo, H.G.; Geise, L.; Bonvicino, C.R.; Cerqueira, R.; D’Andrea, P.S.; Esberard, C.E.; Fernandez, F.A.S.; Grelle, C.E.V.; Siciliano, S. & Vaz, S.M. 2000. Mamíferos. Pp.125-135. In: Bergallo, H.G.; Rocha, C.F.D.; Van Sluys, M.; Geise, L. & Alves, M.A. (eds.). Lista da Fauna Ameaçada do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, UERJ. 205p.

Calouro, A.M. 1999. Riqueza de mamíferos de grande e médio porte do Parque Nacional da Serra do Divisor (Acre, Brasil). Revista Brasileira de Zoologia, 16 (2): 195-213.

Carter, T.S. & Encarnação, C.D. 1983. Characteristics and use of burrows by four species of armadillos in Brazil. Journal of Mammalogy, 64 (1): 103-108.

Chiquito, E.A.; Carvalho, M.P. & Percequillo, A.R. 2009. Priodontes maximus (Kerr, 1792) Cingulata, Dasypodidae. p. 44. In: Bressan, M.; Kierulff, M.C.M. & Sugieda, A.M. (coordenação geral). Fauna Ameaçada de Extinção no Estado de São Paulo: Vertebrados. Fundação Parque Zoológico de São Paulo, Secretaria de Meio Ambiente, São Paulo. 645p.

CITES. 2011. Appendices I, II e III. Convention on International Trade in Endangered Species of Wild Fauna and Flora. Disponível em http://www.cites.org. Acessado em 20 de dezembro de 2011.

Da Silva, C.R. 2008. Inventários rápidos de mamíferos não-voadores no Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque: Resultados das Expedições I a V e Síntese. Pp. 51-58. In: Bernard, E. (ed.). Inventários Biológicos Rápidos no Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, Amapá, Brasil. RAP Bulletin of Biological Assessment 48. Conservation International, Arlington, VA. 151p.

Eisenberg, J.F.; Redford, K.H. 1999. Mammals of the Neotropics: The Central Neotropics. Ecuador, Peru, Bolivia, Brazil. v. 3. The University of Chicago Press. 610p.

Emmons, L.H. 1990. Neotropical Rainforest Mammals. A Field Guide. 1. ed. University of Chicago Press, Chicago. 281p.

Encarnação, C.D. da. 1987. Contribuição à ecologia dos tatus (Xenarthra, Dasypodidae) da Serra da Canastra. Minas Gerais. Dissertação (Mestrado em Zoologia). Museu Nacional. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 210p.

Ferreira, G.B.; Oliveira, M.J.R.; Moraes Junior, E.A.; Silva, J. de A. & Rodrigues, F.H.G. 2011. Mamíferos de médio e grande porte do Parque Estadual Veredas do Peruaçu: riqueza, composição e estratégias de conservação. MG. Biota, 4 (2): 6-19.

Fonseca, G.A.B. & Redford, K.H. 1984. The mammals of IBGE´s Ecological Reserve, Brasília, and an analysis of the role of gallery forests in increasing diversity. Revista Brasileira de Biologia, 44 (4): 517-523.

Fonseca, G.A.B. da; Herrmann, G.; Leite, Y.L.R.; Mittermeier, R.A.; Rylands, A.B. & Patton, J.L. 1996. Lista anotada dos mamíferos do Brasil. Occasional Papers in Conservation Biology, 4: 1-38.

Fundação Biodiversitas. 2007. Revisão das listas das espécies da Flora e da Fauna Ameaçadas de Extinção do Estado de Minas Gerais (Resultados: Lista Vermelha da Fauna de Minas Gerais). Disponível em http://www.biodiversitas.org.br/listasmg/RelatorioListasmg_Vol3.pdf. Acessado em 16 de novembro de 2011.

George, T.K.; Marques, S.A.; de Vivo, M.; Branch, L.C.; Gomes, N. & Rodrigues, R. 1988. Levantamento de mamíferos do Parque Nacional da Amazônia (Tapajós). Brasil Florestal, Brasília, 63: 33-41.

Henrique, J.M.; Silva, B.L.A.A.; Figueiredo, F.J.; Gomes, C. de M.; Oliveira, A. de M.; Nogueira-Paranhos, J.D. 2007. Levantamento preliminar de mamíferos de médio e grande porte na área do riacho dos bois no Parque Nacional Serra das Confusões, Piauí, Brasil. In: Anais do VIII Congresso de Ecologia do Brasil. Caxambu, MG.

Hill, K.; Padwe, J.; Bejyvagi, C.; Bepurangi, A.; Jakugi, F.; Tykuarangi, R. & Tykuarangi, T. 1997. Impact of hunting on large vertebrates in the Mbaracayu Reserve, Paraguay. Conservation Biology, 11 (6): 1339-1353.

IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). 2004. Plano de Manejo: Reserva Biológica do Rio Trombetas. MMA/IBAMA. 556p.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Mapas de Cobertura Vegetal dos Biomas Brasileiros. MMA (Ministério do Meio Ambiente). Disponível em http://www.mma.gov.br/component/k2/item/7626?Itemid=926. Acessado em 13 de agosto de 2012.
ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). 2009a. Plano de Manejo da Reserva Biológica Nascentes da Serra do Cachimbo. MMA/ICMBio/WWF/ICV. 332p.

ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). 2009b. Floresta Nacional do Purus: Plano de Manejo. Volume I - Diagnóstico. ICMBio/MMA. 663p.

ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). 2010a. Plano de Manejo da Floresta Nacional do Trairão, localizada no Estado do Pará. Volume I - Diagnóstico. ICMBio/MMA/Serviço Florestal Brasileiro. 319p.

ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). 2010b. Plano de Manejo: Floresta Nacional do Crepori. Volume III - Anexos: Relatório da Avaliação Ecológica Rápida. MMA/ICMBio. 317p.

ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). 2010c. Plano de Manejo Participativo da Reserva Extrativista Arapixi. ICMBio/MMA.

ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). 2010d. Plano de Manejo: Estação Ecológica do Rio Acre. MMA/ICMBio/WWF/SOS Amazônia. 360p.

ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). 2011. Plano de Manejo: Parque Nacional dos Campos Amazônicos. MMA/ICMBio/ARPA. 475p.

Iwanaga, S. 2004. Levantamento de mamíferos diurnos de médio e grande porte no Parque Nacional do Jaú: resultados preliminares. Pp. 195-207. In: Borges, S.H.; Iwanaga, S.; Durigan, C.C. & Pinheiro, M.R. (eds.). Janelas para a Biodiversidade no Parque Nacional do Jaú: uma estratégia para o estudo da biodiversidade na Amazônia. Manaus: Fundação Vitória Amazônica.

Juarez, K.M. 2008. Mamíferos de médio e grande porte nas unidades de conservação do Distrito Federal. Tese de Doutorado (Doutorado em Biologia Animal). Instituto de Ciências Biológicas. Universidade de Brasília, UnB, Brasília. 153p.

Koester, A.D.; Azevedo, C.R.; Vogliotti, A.; Duarte, J.M.B. 2008. Ocorrência de Atelocynus microtis (Sclater, 1882) na Floresta Nacional do Jamari, estado de Rondônia. Biota Neotropical, 8 (4): 231-234.

Lacerda, A.C.R.; Tomas, W.M. & Marinho Filho, J. 2009. Domestic dogs as an edge effect in the Brasília National Park, Brazil: Interactions with native mammals. Animal Conservation, 12 (5): 477-487.

Leeuwenberg, F. 1997. Edentata as a food resource: Subsistence hunting by Xavante Indians, Brazil. Edentata, 3 (1): 4-5.

Lessa, L.G.; Costa, B.M. de A.; Rossoni, O.M.; Tavares, V.C.; Dias, L.G.; Moraes Júnior, E.A.M.; Silva, J. de A. 2008. Mamíferos da cadeia do Espinhaço: riqueza, ameaças e estratégias para conservação. Megadiversidade, 4 (1-2): 218-232.

Lima Borges, P.A. & Tomás, W.M. 2004. Guia de Rastros e Outros Vestígios de Mamíferos do Pantanal. Embrapa Pantanal, Corumbá. 148p.

Linardi, P.C. & Guimarães, L.R. 2000. Sifonápteros do Brasil. Museu de Zoologia da USP, São Paulo.

Machado, A.B.M.; Martins, C.S. & Drummond, G.M. (ed.). 2005. Lista da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção: Incluindo as Espécies Quase Ameaçadas e Deficientes em Dados. Fundação Biodiversitas, Belo Horizonte. 160p.

Machado, A.B.M.; Drummond, G.M. & Paglia, A.P. 2008. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Vol. 2. Ministério do Meio Ambiente e Fundação Biodiversitas, Brasília e Belo Horizonte. 1420p.

Marinho Filho, J. & Medri, Í.M. 2008. Priodontes maximus Kerr, 1792. Pp. 708-709. In: Machado, A.B.M.; Drummond, G.M. & Paglia, A.P. (eds.). Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Vol. II. Ministério do Meio Ambiente, Brasília. 1420p.

Martins, S. de S.; Sanderson, J.G. & Silva-Júnior, J. de S. 2007. Monitoring mammals in the Caxiuanã National Forest, Brazil – first results from the Tropical Ecology, Assessment and Monitoring (TEAM) Program. Biodiversity and Conservation, 16: 857-870.

Miranda, F.R.; Teixeira, R.H.F.; Gazêta, G.S.; Serra-Freire, N.M.; Amorim, M. 2010. Presence of Amblyomma cajennense in Wild Giant Armadillos (Priodontes maximus) of the Pantanal Matogrossense, Brasil. Edentata, 11 (1): 73-75.

MMA (Ministério do Meio Ambiente). 2001. Plano de Manejo Parque Nacional do Araguaia. MMA, Brasília. 429p.

MMA (Ministério do Meio Ambiente). 2008. Avaliação Ecológica Rápida para o diagnóstico faunístico do mosaico de UCs da Terra do Meio, estado do Pará. Relatório Técnico Preliminar: Mastofauna. MMA/ICMBio/CENAP. 52p.

MMA (Ministério do Meio Ambiente). 2003. Lista das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçados de Extinção. Instrução Normativa nº 3, de 27 de maio de 2003. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF.

Noss, A.; Peña, R. & Rumiz, D.I. 2004. Camera trapping Priodontes maximus in the dry forests of Santa Cruz, Bolivia. Endangered Species Update, 21: 43-52.

Nowak, R.M. 1999. Walker’s Mammals of the World. v. 1. 6. ed. The Johns Hopkins University Press, Baltimore and London. 836p.

Nowak, R.M. & Paradiso, J.L. 1983. Walker´s Mammals of the World. 4 ed. Vol I. Johns Hopkins University Press, Baltimore and London.

Oliveira, L.C.; Mendel, S.M.; Loretto, D.; Silva Júnior, J.S. & Fernandes, G.W. 2006. Edentates of the Saracá-Taquera National Forest, Pará, Brazil. Edentata, 7: 3-18.

Paglia, A.P.; Fonseca, G.A.B. da; Rylands, A.B.; Herrmann, G.; Aguiar, L.M.S.; Chiarello, A.G.; Leite, Y.L.R.; Costa, L.P.; Siciliano, S.; Kierulff, M.C.M.; Mendes, S.L.; Tavares, V. da C.; Mittermeier, R.E. & Patton, J.L. 2012. Lista anotada dos mamíferos do Brasil/ Annotated Checklist of Brazilian Mammals. 2ª Edição/2nd Edition. Occasional Papers in Conservation Biology, No. 6. Conservation International, Arlington, VA. 76p.

Parera, A. 2002. Los Mamíferos de La Argentina y La Región Austral de Sudamérica. 1 ed. El Ateneo, Buenos Aires. 454p.

Passamani, M. & Mendes, S.L. 2007. Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção no Estado do Espírito Santo. Instituto de Pesquisas da Mata Atlântica, IPEMA, Vitória. 140p.

Peres, C.A. 2000. Effects of subsistence hunting on vertebrate community structure in Amazonian Forests. Conservation Biology, 14 (1): 240-253.

Peres, C.A.; Barlow, J. & Haugaasen, T. 2003. Vertebrate responses to surface wildfires in a central Amazonian Forest. Oryx, 37 (1): 97-109.

Prada, M. & Marinho Filho, J. 2004. Effects of Fire on Abundance of Xenarthrans in Mato Grosso, Brazil. Austral Ecology, 29: 568-573.

Redford, K.H. 1985. Food habits of armadillos (Xenarthra, Dasypodidae). Pp. 429-437. In: Montgomery, G.G. (ed.). The Evolution and Ecology of Armadillos, Sloths, and Vermilinguas. Smithsonian Institution Press, Washington & London. 451p.

Redi, C.A.; Zacharias H.; Merani, S.; Oliveira-Miranda, M.; Aguilera M.; Zuccotti M.; Garagna, S. & Capanna, E. 2005. Genome sizes in Afrotheria, Xenarthra, Euarchontoglires and Laurasiatheria. Journal of Heredity, 96: 485-493.

Ribeiro, R.; Bezerra, A. & Marinho-Filho. 2010. Coleções científicas e a conservação de mamíferos no Cerrado. Pp. 415-440. In: Diniz, I.R.; Marinho Filho, J.; Machado, R.B.; Cavalcanti, R.B. (orgs.). Cerrado: conhecimento quantitativo como subsídio para as ações de conservação. Thesaurus, Brasília. 496p.

Rocha, E.C. & Dalponte, J.C. 2006. Composição e caracterização da fauna de mamíferos de médio e grande porte em uma pequena reserva de cerrado em Mato Grosso, Brasil. Revista Árvore, 30 (4): 669-678.

Rocha, E.C. & Silva, E. 2009. Composição da mastofauna de médio e grande porte na Reserva Indígena “Parabubure”, Mato Grosso, Brasil. Revista Árvore, 33 (3): 451-459.

Rocha, E.C. 2010. Mamíferos em unidades de conservação na região do Cristalino, Mato Grosso – composição, estrutura e avaliação de impactos ambientais. Tese de Doutorado (Doutorado em Ciência Florestal). 105p.

Rodríguez, J.P. & Rojas-Suárez, F. 2010. Libro Rojo de la Fauna Venezolana: actualización periódica de la situación de las especies amenazadas del país. Pp. 121-132. In: Machado-Allison, A. (ed.). Simposio Investigación y Manejo de Fauna Silvestre en Venezuela en homenaje al Dr. Juhani Ojasti. Academia de Ciencias Físicas, Matemáticas y Naturales, y Embajada de Finlandia en la República Bolivariana de Venezuela, Caracas, Venezuela.

Rodrigues, F.H.G.; Silveira, L.; Jácomo, A.T.A.; Carmignotto, A.P.; Bezerra, A.M.R.; Coelho, D.C.; Garbogini, H.; Pagnozzi, J. & Hass, A. 2002. Composição e caracterização da fauna de mamíferos do Parque Nacional das Emas, Goiás, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, 19 (2): 589-600.

Sampaio, R.; Lima, A.P.; Magnusson, W.E.; Peres, C.A. 2010. Long-term persistence of midsized to large-bodied mammals in Amazonian landscapes under varying contexts of forest cover. Biodiversity Conservation, 19: 2421-2439.

Sanderson, J. & Silveira, L. 2003. Observations of Xenarthra in the Brazilian Cerrado and Guyana. Edentata, 5: 41-44.

Santos-Filho, M. dos & Silva, M.N.F. da. 2002. Uso de habitats por mamíferos em área de Cerrado do Brasil Central: um estudo com armadilhas fotográficas. Revista Brasileira de Zoociências, 4 (1): 57-73.

SEMA (Secretaria de Estado do Meio Ambiente). 2007b. Plano de Manejo Parque Estadual do Araguaia. SEMA, Cuiabá. 230p.

SEMA - Secretaria de Estado de Meio Ambiente. 2007. Lista de espécies da flora e da fauna ameaçadas no Estado do Pará. Disponível em http://www.sema.pa.gov.br/interna.php?idconteudocoluna=2283. Acessado em 8 de dezembro de 2011.

SEMA - Secretaria de Estado de Meio Ambiente. 2008. Lista de animais ameaçados de extinção em São Paulo. APÊNDICE I – Espécies de mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes de água doce ameaçados de extinção no Estado de São Paulo. Artigo 1º, inciso IV do Decreto nº 53.494, de 2 de outubro de 2008. São Paulo.

Silveira, L.; Jácomo, A.T. de A.; Furtado, M.M.; Torres, N.M.; Sollmann, R. & Vynne, C. 2009. Ecology of the Giant Armadillo (Priodontes maximus) in the Grasslands of the Central Brazil. Edentata, 8–10: 25-34.

Silveira, L.; Jácomo, A.T.A.; Diniz-Filho, J.A.F. 2003. Camera trap, line transect census and track surveys: a comparative evaluation. Biological Conservation, 114: 351-355.

Silveira, L.; Rodrigues, F.H.G.; Jácomo, A.T. de A.; Diniz Filho, J.A.F. 1999. Impact of wildfires on the megafauna of the Emas National Park, central Brazil. Oryx, 33 (2): 108-114.

Smith, P. 2007. Giant Armadillo Priodontes maximus (Kerr, 1792). Paraguay Handbook of the Mammals of Paraguay. Número 6. Disponível em http://www.faunaparaguay.com/priodontes maximus.html. Acessado em 15 de novembro de 2011.

Sogorb, F.; Jamra, L.F. & Guimarães, F.C. 1977. Toxoplasmose em Animais de São Paulo, Brasil. Revista do Instituto de Medicina Tropical, (19): 191-194.

Srbek-Araujo, A.C.; Scoss, L.M.; Hirsch, A. & Chiarello, A.G. 2009. Records of the giant armadillo Priodontes maximus (Cingulata: Dasypodidae) in the Atlantic Forest: are Minas Gerais and Espirito Santo the last strongholds of the species? Zoologia, 26: 461-468.

Superina, M. & Aguiar, J.M. 2006. A reference list of common names for the Edentates. Edentata, 7: 33-44.

Trolle, M. & Kéry, M. 2005. Camera-trap study of ocelot and other secretive mammals in the northern Pantanal. Mammalia, 69 (3-4): 405-412.

Vaz, S.M. 2003. Lista de localidades de captura de Xenarthros sob ameaça de extinção no Brasil. Edentata, 6: 4-5.

Vynne, C.; Skalski, J.R.; Machado, R.B.; Groom, M.J.; Jácomo, A.A.; Marinho-Filho, J.; Neto, M.B.R.; Pomilla, C.; Silveira, L.; Smith, H. & Wasser, S.K. 2010. Effectiveness of scat-detection dogs in determining species presence in a tropical savanna landscape. Conservation Biology, 25 (1): 154-162.

Wetzel, R.M. 1982. Systematics, Distribution, Ecology, and Conservation of South American Edentates. Pp. 345-375. In: Mares, M.A. & Genoways, H.H. (eds.). Mammalian Biology in South America. University of Pittsburgh, Pittsburgh. 539p.

Wetzel, R.M. 1985a. The identification and distribution of the recent Xenarthra. Pp. 5-21. In: Montgomery, G.G. (ed.). The Evolution and Ecology of Armadillos, Sloths, and Vermilinguas. Smithsonian Institution Press. 451p.

Wetzel, R.M. 1985b. Taxonomy and distribution of armadillos, Dasypodidae. Pp. 23-46. In: Montgomery, G.G. (ed.). The Evolution and Ecology of Armadillos, Sloths, and Vermilinguas. Smithsonian Institution Press. 451p.
Fim do conteúdo da página