Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Mamíferos - Tapirus terrestris (Linnaeus, 1758) - Anta
Início do conteúdo da página

Mamíferos - Tapirus terrestris (Linnaeus, 1758) - Anta

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Mamíferos
Mammalia
Perissodactyla
Tapiriidae
Tapirus terrestris (Linnaeus, 1758)
Anta
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
VU
A2bcd+3bcd
Justificativa
Tapirus terrestris é o maior mamífero terrestre brasileiro. Apresenta ciclo reprodutivo longo, com 13 a 14 meses de gestação e apenas um filhote, o que torna a espécie muito vulnerável a pressões. No Brasil como um todo, a espécie é vulnerável (VU) pelos critérios A2bcd+A3bcd, ou seja, com base em reduções passadas superiores a 30% em abundâncias populacionais, bem como declínios superiores a 30% na área de ocupação, extensão de ocorrência e qualidade do habitat, sobretudo nos biomas Mata Atlântica e Cerrado. Considerando-se que a redução de população da Mata Atlântica pode atingir pelo menos 50% nas três próximas gerações (33 anos), que 80% das populações do Cerrado têm baixa probabilidade de sobrevivência a longo prazo, que deve ocorrer uma perda de habitat de 15,5 % no Pantanal, nas próximas três gerações, e que mesmo na Amazônia já se têm verificado extinções locais da espécie, estimou-se que as populações de anta brasileira continuarão a declinar durante as três próximas gerações, levando a reduções adicionais em área de ocupação, extensão de ocorrência e qualidade do habitat, bem como aumentos em níveis de exploração atuais. A categoria foi alterada em relação à atual lista oficial de espécies ameaçadas de extinção (MMA 2003), que não inclui Tapirus terrestris. Isto se deveu a um aumento e reavaliação do conhecimento sobre a espécie, principalmente no que diz respeito à redução populacional passada e projeções de redução de populações no futuro caso as tendências atuais persistam. Não existem evidências de emigração ou imigração diferencial de indivíduos desta espécie entre o Brasil e os países vizinhos, nem entre os diferentes biomas brasileiros, portanto a categoria da espécie não é alterada quando se aplica a avaliação regional (MEDICI et al., 2012). Para maiores informações sobre a avaliação da espécie acesse aqui http://www.icmbio.gov.br/revistaeletronica/index.php/BioBR/issue/view/16/showToc
Especialistas
Alexine Keuroghlian - Wildlife Conservation Society do Brasil,
Arnaud Léonard Jean Desbiez - Royal Zoological Society of Scotland,
Beatriz de Mello Beisiegel - CENAP/ICMBio,
Emília Patrícia Medici - IPÊ,
Andressa Gatti - Universidade Federal do Espírito Santo,
Antônio Rossano Mendes Pontes - Universidade Federal de Pernambuco,
Claudia Bueno de Campos - Instituto Pró-Carnívoros,
Cristina Farah de Tófoli - IPÊ,
Edsel Amorim Moraes Junior - Instituto Biotrópicos de Pesquisa em Vida Silvestre,
Fernanda Cavalcanti de Azevedo - UFG,
Gabriela Medeiros de Pinho - INPA,
José Luís Passos Cordeiro - Fundação Oswaldo Cruz,
Tarcísio da Silva Santos Júnior - UFSCAR,
Adriane Aparecida de Morais - INPA,
Paulo Rogerio Mangini - IPÊ,
Kevin Flesher - Michelin Ecological Reserve,
Lilian Figueiredo Rodrigues - Consultora PNUD/ICMBio,
Lilian Bonjorne de Almeida – CENAP/ICMBio
Referências
Affonso, R.O. 1998. Tapirus terrestris (Linnaeus, 1758) (Mammalia, Perissodactyla) em uma área de floresta
subtropical no sul do Brasil: dieta, uso da área e densidade populacional. Dissertação (Mestrado em Ecologia).
Universidade do Rio de Janeiro. 90p.
Bachand, M.; Trudel, O.C.; Ansseau, C. & Almeida-Cortez, J. 2009. Dieta de Tapirus terrestris Linnaeus em um fragmento
de Mata Atlântica do Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Biociências, 7 (2): 188-194.
Barongi, R.A. 1993. Husbandry and conservation of tapirs. International Zoo Yearbook, 32: 7-15.
Beisegiel, B.M.; Duarte, J.M.B.; Medici, E.P.; Keuroghlian, A. & Desbiez, A.L.J. 2012. Apresentação do número temático
Avaliação do estado de conservação dos Ungulados. Biodiversidade Brasileira, 3: 1-2.
Bergallo, H.G.; Rocha, C.F.D.; Alves, M.A.S. & Van Sluys, M. 2000. A fauna ameaçada de extinção no estado do
Rio de Janeiro. EDUERJ. 166p.
Bizerril, M.X.A.; Rodrigues, F.H.G. & Hass, A. 2005. Fruit consumption and seed dispersal of Dimorphandra mollis Benth.
(Leguminosae) by the Lowland Tapir in the cerrado of Central Brazil. Brazilian Journal of Biology, 65 (3): 407-413.
Bodmer, R.E. 1990. Fruit patch size and frugivory in the lowland tapir (Tapirus terrestris). Journal of Zoology, 222: 121-128.
Bodmer, R.E. 1991. Influence of digestive morphology on resource partitioning in Amazonian ungulates. Oecologia,
85: 361-365.
Cañas, L.F.S. 2010. Uso do espaço e atividade de Tapirus terrestris em uma área do Pantanal Sul. Dissertação
(Mestrado em Ecologia). Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. 68p.
Chiarello, A.G.; Costa, L.P.; Leite, Y.L.R.; Passamani, M.; Siciliano, S. & Zortéa, M. 2007. Os mamíferos ameaçados
de extinção no estado do Espírito Santo. p. 29-45. In: Passamani, M. & Mendes, S.L. (Orgs.). Espécies da fauna
ameaçada de extinção do estado do Espirito Santo. Instituto de Pesquisa da Mata Atlântica.
CITES (Convention on International Trade in Endangered Species of Wild Flora and Fauna). 2010. Appendices I,II and
III. Convention on International Trade in Endangered Species of Wild Flora and Fauna http://www.cites.org/
eng/app/Appendices-E.pdf. Acessado em 13 de outubro de 2010.
Cordeiro, J.L.P. 2004. Estrutura e heterogeneidade da paisagem de uma unidade de conservação no nordeste
do pantanal (RPPN SESC Pantanal), Mato Grosso, Brasil: efeitos sobre a distribuição e densidade de
antas (Tapirus terrstris) e de cervos-do-Pantanal (Blastocerus dichotomus). Tese (Doutorado em Ecologia).
Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 202.p.
Cullen, L.; Bodmer, R.E. & Valladares-Padua, C.B. 2000. Effects of hunting in habitat fragments of the Atlantic Forests,
Brazil. Biological Conservation, 95: 49-56.
Cunha, A.A. 2004. Conservação de mamíferos na Serra dos Órgãos: passado, presente e futuro. p. 213-224. In: IV
Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação. Anais do... Unidades de Conservação. FBPN e Rede PróUC.
De Araújo, R.M.; de Souza, M.B. & Ruiz-Miranda, C.R. 2008. Densidade e tamanho populacional de mamíferos
cinegéticos em duas Unidades de Conservação do Rio de Janeiro, Brasil. Iheringia Zoologia, 98 (3): 391-396.
Desbiez, A.L.J. 2007. Wildlife conservation in the Pantanal: habitat alteration, invasive Species and
bushmeat hunting. Ph.D. Dissertation. University of Kent, Canterbury, UK.
Desbiez, A.L.J. 2009. Lowland tapirs in the Nhecolânia Region of Brazilian Pantanal: Population Density, Habitat Use
and Threats. Tapir Conservation, 18 (25): 7-10.
Desbiez, A.L.J. 2010. Introdução à revisão do status de ameaça (IUCN Red List). In: Workshop para a conservação
da onça-pintada Panthera onca. Relatórtio final. CENAP. 135p.
Eken, G.; Bennun, L.; Brooks, T.M.; Darwall, W.; Fishpool, L.D.C.; Oster, M.; Knox, D.; Langhammer, P.; Matiku, P.;
Radford, E.; Salaman, P.; Sechrest, W.; Smith, M.L.; Spector, S. & Tordoff, A. 2004. Key Biodiversity Areas as Site
Conservation Targets. BioScience, 52 (12): 1110-1118.
Eisenberg, J.F. 1989. Mammals of the Neotropics. the Northern Neotropics: Panama, Colombia, Venezuela,
Guyana, Suriname, French Guiana. Vol. 1. University of Chicago Press. 449p.
Espírito Santo (Estado). 2005. Decreto nº 1499-R, de 13 de junho de 2005. Declara as espécies da fauna e flora silvestres
ameaçadas de extinção no estado do Espírito Santo. Diário Oficial do Estado do Espírito Santo.
Flesher, K.M. & Gatti, A. 2010. Tapirus terrestris in Espírito Santo, Brazil. Tapir Conservation, 19/1 (26): 16-23.
Fialho, M.S. 2007. Riqueza e abundância da fauna de médio e grande porte em três modelos de áreas
protegidas no Sul do Brasil. Tese (Doutorado em Ecologia). Universidade de Campinas. 118p.
Fontana, C.S.; Bencke, G.A. & Reis, R.E. 2003. Livro vermelho da fauna ameaçada de extinção no Rio Grande
do Sul. EDIPUCRS. 632p.
Fragoso, J.M.V. 1997. Tapir-generated seed shadows: Scale-dependent patchiness in the Amazon rain forest. Journal
of Ecology, 85: 519-529.
Galetti, M.; Keuroghlian, A.; Hanada, L. & Morato, M. I. 2001. Frugivory and seed dispersal by the lowland tapir (Tapirus
terrestris) in southeast Brazil. Biotropica, 33: 723-726.
Haugaasen, T. & Peres, C.A. 2005. Mammal assemblage structure in Amazonian flooded and unflooded forests. Journal
of Tropical Ecology, 21:133–145.
IGNIS – Planejamento e In-formação ambiental. Lista das espécies da fauna ameaçadas de extinção em Santa Catarina.
IGNIS. . Acesso em 19 de janeiro de 2011.
IUCN (International Union for Conservation of Nature). 2001. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2010.2.
International Union for Conservation of Nature . Acessado em 4 de outubro de 2010.
IUCN (International Union for Conservation of Nature). 2003. Guidelines for application of IUCN Red List criteria
at regional levels. Version 3.0. IUCN Species Survival Commission. Gland and Cambridge: IUCN. ii + 26 pp.
IUCN (International Union for Conservation of Nature). 2010. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2010.3.
International Union for Conservation of Nature . Acessado em 18 de Julho de 2010.
Kasper, C.B.; Mazim, F.D.; Soares, J.B.G.; de Oliveira, T.G e Fabián, M.E. 2007. Composição e abundancia relativa dos
mamíferos de médio e grande porte no Parque Estadual do Turvo, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de
Zoologia, 24 (4): 1087 – 1100.
Lazure, L.; Bachand, M.; Ansseau, C. & Almeida-Cortez. J.S. 2010. Fate of native and introduced seeds consumed by
captive white-lipped and collared peccaries (Tayassu pecari, Link 1795 and Pecari tajacu, Linnaeus 1758) in Atlantic
rainforest, Brazil. Brazilian Journal of Biology, 70 (1): 47-53.
Machado, R.B.; Ramos Neto, M.B.; Pereira, P.G.P.; Caldas, E.F.; Gonçalves, D.A.; Santos, N.S.; Tabor, K. & Steininger,
M. 2004. Estimativas de perda da área do Cerrado brasileiro. Relatório técnico não publicado. Conservação
Internacional. 23p.
Machado, A.B.M.; Fonseca, G.A.B.; Machado, R.B.; Aguiar, L.M.S. & Lins, L.V. 1998. Livro vermelho das espécies
ameaçadas de extinção da fauna de Minas Gerais. Fundação Biodiversitas. 608p.
Mantovani, J.E. & Pereira, A. 1998. Estimativa da integridade da cobertura de vegetal de Cerrado através de dados
TM/Landsat. p. 1455-1466. In: IX Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Anais do... Sensoriamento Remoto.
INPE. CD-ROM.
Medici, E.P. 2001. Order Perissodactyla, Family Tapiridae: Tapir Biology. p. 35-53. In: Fowler, M.E. & Cubas, Z.S. (eds.).
Biology, medicine, and surgery of south american wild animals. Iowa State University Press. 536p.
Medici, E.P. 2010. Assessing the viability of lowland tapir populations in a fragmented landscape. Thesis
(Doctored of Philosophy in Biodiversity and Management). University of Kent. 292p.
Medici, E.P. 2011. Family Tapiridae (Tapirs). In: Wilson, D.E. & Mittermeier, R.A. Handbook of the mammals of the
world – Volume 2: Hoofed Mammals. Lynx Edicions. 886p.
Medici, E.P.; Desbiez, A.L.J.; Gonçalves da Silva, A.; Jerusalinsky, L.; Chassot, O.; Montenegro, O.L.; Rodríguez, J.O.;
Mendoza, A.; Quse, V.B.; Pedraza, C.; Gatti, A.; Oliveira-Santos, L.G.R.; Tortato, M.A.; Ramos Jr., V.; Reis, M.L.;
Landau-Remy, G.; Tapia, A. & Morais, A.A. 2007. Lowland tapir (Tapirus terrestris) population and habitat
viability assessment (PHVA): final report. Relatório Técnico. IUCN/SSC Tapir Specialist Group (TSG) and IUCN/
SSC Conservation Breeding Specialist Group (CBSG).
Medici, E. P.; Flesher, K.; Beisiegel, B. M.; Keuroghlian, A.; Desbiez, A. L. J.; Gatti, A.; Pontes, A. R. M.; Campos, C. B. de; Tófoli, C. F. de, Moraes Junior, E. A.; Azevedo, F. C. de; Pinho, G. M. de; Cordeiro, J. L. P.; Santos Júnior, T. S. S.; Morais, A. A. de; Mangini, K. F.; Rodrigues, L. F.; Almeida, L. B. de. Avaliação do risco de extinção da Anta brasileita Tapirus terrestris Linnaeus, 1758, no Brasil. Revista Científica Biodiversidade Brasileira, ano 2, nº 3, p. 103-116, 2012. Mendes-Pontes, R.R. 2004. Ecology of a community of mammals in a seasonally dry forest in Roraima, Brazilian Amazon.
Mammalian Biology, 69: 319–336.
Mikich, S.B. & Bérnils, R.S. 2004. Livro vermelho da fauna ameaçada no Estado do Paraná. Instituto Ambiental
do Paraná. 763p.
Mittermeier, R.A.; Myers, N.; Gil, P.R. & Mittermeier, C.G. 1999. Hotspots: earth’s biologically richest and most
endangered terrestrial ecoregions. Mexico City: CEMEX. 430p.
MMA/IBAMA/PNUD. 2010. Monitoramento do desmatamento nos biomas brasileiros por satélite. Monitoramento
do bioma Cerrado 2002 a 2008: dados revisados. Relatório técnico. Centro de Sensoriamento Remoto
– CSR/IBAMA. 69p.
MMA (Ministério do Meio Ambiente). 2003. Lista das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção. Instrução
Normativa n° 3 de 27 de maio de 2003. Diário Oficial da União, Seção 1, n° 101, 28/05/2003: 88-97.
Nowak, R.M. 1991. Walker’s mammals of the World. 5 ed. The John Hopkins University Press. 1629p.
Passamani, M.; Mendes, S.L. & Chiarello, A.G. 2000. Nonvolant mammals of the Estação Biológica de Santa Lúcia and
adjacent areas of Santa Teresa, Espírito Santo, Brazil. Boletim do museu de biologia Prof. Mello Leitão, Nova
Série 11/12: 201-214.
Peres, C.A. 2000. Effects of subsistence hunting on vertebrate community structure in Amazonian forests. Conservation
Biology, 16: 240–253.
Peres, M.B.; Vercillo, U.E. & Dias, B.F.S. 2011. Avaliação do Estado de Conservação da Fauna Brasileira e a Lista de
Espécies Ameaçadas: o que significa, qual sua importância, como fazer? Biodiversidade Brasileira, 1: 45-48.
Rocha, V.J. 2001. Ecologia de mamíferos de médio e grande porte do Parque Estadual Mata dos Godoy,
Londrina (PR). Tese (Doutorado em Ecologia). Universidade Federal do Paraná. 131p.
Rocha-Mendes, F.; Mikich, S.B.; Bianconi, G.V. & Pedro, W.A. 2005. Mamíferos do município de Fênix, Paraná, Brasil:
Etnozoologia e Conservação. Revista Brasileira de Zoologia, 22 (4): 991-1002.
Rosas, G.K.C. & Drumond, P.M. 2009. Mamíferos encontrados em dois castanhais localizados ao sudoeste do
estado do Acre, Brasil. Embrapa Acre. 26p.
São Paulo (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. 2010. Decreto Estadual nº 56.031, de 20 de julho de 2010.
Declara as espécies da fauna silvestre ameaçadas, as quase ameaçadas, as colapsadas, sobrexplotadas, ameaçadas de
sobrexplotação e com dados insuficientes para avaliação no Estado de São Paulo e dá providências correlatas. Diário
Oficial do Estado de São Paulo, Seção 1, n° 136, 21/07/2010: 3.
Schaller, G.B. 1983. Mammals and their biomass in a Brazilian ranch. Arquivos de Zoologia do Estado de São
Paulo, 31: 1-36.
Silva, F.P.C. da & Drumond, P.M. 2009a. Mamíferos e aves encontrados em fragmento florestal localizado no
projeto de colonização Pedro Peixoto, Acre, Amazônia ocidental. Embrapa Acre. 21p.
Silva Jr., A.P. & Mendes-Pontes, A.R. 2008. The effect of a mega-fragmentation process on large mammal assemblages
in the highly-threatened Pernambuco Endemism Centre, north-eastern Brazil. Biodiversity and Conservation,
17 (6): 1455-1464.
SOS Mata Atlântica & Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. 2010. Atlas dos remanescentes florestais da Mata
Atlântica. Período 2008-2010: relatório parcial. Relatório Técnico. 156p.
Taber, A.; Chalukian, S.C.; Altrichter, M.; Minkowski, K.; Lizárraga, L.; Sanderson, E.; Rumiz, D.; Ventincinque, E.; Moraes,
Jr, E.M.; de Angelo, C.; Antúnez, M.; Ayala, G.; Beck, H.; Bodmer, R.; Boher. S.; Cartes, S.B.; Eaton, D.; Emmons, L.;
Estrada, N.; Oliveira, L.F.; Fragoso, J.; Garcia, R.; Gomez, C.; Gómez, H.; Keuroghlian, A.; Ledesma, K.; Lizcano, D.;
Lozano, M.; Montenegro, O.; Neris, C.; Noss, A.; Vieira, J.A.P.; Paviolo, A.; Perovic, P.; Portillo, H.; Radachowsky, J.;
Reyna-Hurtado, R.; Ortiz, J.R.; Salas, L.; Duenas, A.S.; Perea, J.A.S.; Schiaffino, K.; de Thoisy, B.; Tobler, M.; Utreras,
V.; Varela, D.; Wallace, R.B. & Ríos, G.Z. 2007. El destino de los arquitectos de los bosques neotropicales:
evaluación de la distribución y el estado de conservación de los pecaríes labiados y los tapires de tierras
bajas. WCS, Tapir Specialist Group e Grupo Especialista de laCSE/UICN en cerdos, pecaríes y hipopótamos.
Talamoni, S.A. & Assis, M.A.C. 2009. Feeding habitat of the Brazilian Tapir, Tapirus terrestris (Perissodactyla; Tapiridae)
in vegetation trasition zone in south-eastern Brazil. Zoologia, 26 (2): 251-254.
Tófoli, C.F. 2006. Frugivoria e dispersão de sementes por Tapirus terrestris (Linnaeus, 1758) na paisagem
fragmentada do Pontal do Paranapanema, São Paulo. Dissertação (Mestrado em Ciências Biólogicas). Universidade
de São Paulo. 89p.
Trolle, M.A.; Noss, A.; Cordeiro, J.L.P. & Oliveira, L.F.B. 2008. Brazilian tapir density in the Pantanal: A comparison of
systematic camera-trapping and line-transect surveys. Biotropica, 40 (2): 211–217.
Zimmerman, J.A.; Kelchner, C.L.; Klein, P.A.; Hamilton, J.C. & Foiles, S. M. 2001. Surface step effects on nanoindentation.
Physics Review Letters, 87 (16): 165507-165510.
Zorzi, B.T. 2009. Frugivoria por Tapirus terrestris em três regiões do Pantanal. Dissertação (Mestrado).
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 54p.
Fim do conteúdo da página