Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Peixes - Hippocampus erectus Perry, 1810 - Cavalo-marinho
Início do conteúdo da página

Peixes - Hippocampus erectus Perry, 1810 - Cavalo-marinho

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Peixes
Actinopterygii
Syngnathiformes
Syngnathidae
Hippocampus erectus Perry, 1810
Cavalo-marinho
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
VU
A2cd
Justificativa
Hippocampus erectus ocorre no Atlântico Sul Ocidental, ao longo de toda a costa brasileira até a Argentina, habitando tipicamente manguezais, baías, recifes costeiros e prados submersos. A contribuição das subpopulações estrangeiras para a manutenção da subpopulação brasileira não é conhecida. Os cavalos-marinhos são um recurso intensamente explorado em todo o País. Estudos efetuados com a frota de arrasto pesqueira mostram que números alarmantes de indivíduos secos são comercializados por ano, a partir de exemplares de “focinho curto”, incluindo H. erectus coletados principalmente no Sudeste e Sul do Brasil. Outros mostram que estes cavalos-marinhos também são comercializados para fins ornamentais. Os cavalos-marinhos não são contemplados por registros oficiais da estatística pesqueira. Entretanto, dados obtidos diretamente dos pescadores indicam um declínio populacional nas ultimas décadas, com uma diminuição ou desaparecimento bem documentado em áreas onde esses animais eram comumente encontrados. Tendo em vista que os cavalos-marinhos continuam sendo intensamente explorados e que existe uma redução da população, que pode chegar a até 90% em algumas localidades, infere-se uma redução de ao menos 30% da subpopulação em todo o País nos últimos 10 anos. Os ambientes tipicamente habitados pelos cavalos-marinhos são susceptíveis a ações antrópicas, cujo declínio da qualidade do habitat pode comprometer a manutenção da subpopulação do País. Somado a isso, características de sua biologia como baixa fecundidade, viviparidade e baixa mobilidade, potencializam os impactos negativos identificados para a espécie. Por esses motivos, Hippocampus erectus foi categorizada como Vulnerável (VU) sob o critério A2cd.
Pesquisadores Participantes do Processo*

Athila Bertoncini Andrade - UFF/Ecopesca, Carlos Eduardo Leite Ferreira – UFF, Caroline Vieira Feitosa – UFERSA, Cláudio Luís Sampaio – UFAl, Fabio Di Dario – UFRJ, Felippe Daros -UFPR/CEM, Henrique Anatole Cardoso Ramos – IBAMA, Jean-Christophe Joyeux – UFES, João Luiz Gasparini – UFES, Johnatas Adelir Alves – UESC, Jonas Rodrigues Leite – UFES, Leonardo Machado – UFES, Luiz A. Rocha - California Academy of Sciences, EUA, Mauricio Hostim Silva – UFES, Paulo Roberto Duarte Lopes – UEFS, Ramon Cardoso Noguchi - UFRJ, Roberta Aguiar dos Santos - CEPSUL/ICMBio, Robson Tamar da Costa Ramos – UFPB, Rodrigo Leão de Moura – UFRJ, Ronaldo Bastos Francini-Filho – UFPB, Sergio de Magalhães Rezende – UFPE, Sergio Ricardo Floeter – UFSC, Tommaso Giarrizzo – UFPA.

* São listados os nomes de todos os pesquisadores que participaram de qualquer etapa do processo de avaliação do estado de conservação da espécie (envio de informações e oficina de avaliação). A categoria foi determinada na oficina pela maioria dos participantes, seguindo rigorosamente o método utilizado, e posteriormente validada seguindo o método de análise de consistência.

Referências
Baum, J.K., Meeuwing, J.J. & Vincent, A.C.J. 2003. Bycatch of lined seahorses (Hippocampus erectus) in a Gulf of Mexico shrimp trawl fishery. Fish. Bull. 101, pp. 721-731.
Boehm JT, Woodall L, Teske PR, Lourie S, Baldwin C, Waldman J, Hickerson M. 2013. Marine dispersal and barriers drive Atlantic seahorse diversification. Journal of Biogeography
Breder, C.M. & Rosen, D.E. 1966. Modes of reproduction in fishes. T.F.H. Publications, Neptune City, New Jersey. 941p.
Corrêa, M. F. M. 1987. Ictiofauna da Baía de Paranaguá e adjacências (Litoral do Estado do Paraná - Brasil). Levantamento e Produtividade. Curitiba: Univ. Federal do Paraná, Dissertação de Mestrado em Zoologia, 391 p.
Dias, T.L., Rosa, I.L. & Baum, J.K. 2002. Threatened fishes of the world: Hippocampus erectus Perry, 1810 (Syngnathidae). Environmental Biology of fishes, 65(3): 326.
Eschmeyer, W. N. (ed). 2013. Catalog of Fishes. California Academy of Sciences (http://research.calacademy.org/research/ichthyology/catalog/fishcatmain.asp). Electronic version accessed setembro de 2013
Floeter, S.R., Gasparini, J.L., Rocha, L.A. Ferreira, C.E.L., Rangel, C.A., Feitoza, B.M. & Nunan, G.W. 2003. Brazilian reef fish fauna: checklist and remarks. BioBase Project: www.biobase.org/BCF/Index.html
Freire, K.M.F. & Carvalho Filho, A. Richness of common names of Brazilian reef fishes. Pan-American Journal of Aquatic Sciences. v.4(2), pp. 96-145.
Garcia-Junior, J. 2006. Inventário das espécies de peixes da costa do Estado do Rio Grande do Norte e aspectos zoogeográficos da ictiofauna recifal do Oceano Atlântico. Dissertação de Mestrado em Bioecologia Aquática. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN. 134 p.
IBAMA, 2011. Proposta de Plano Nacional de Gestão para o uso sustentável de Cavalos-Marinhos do Brasil. José Dias Neto (Org.).– Brasília, 104p.
IUCN, Standards and Petitions Subcommittee. 2011. Guidelines for Using the IUCN Red List Categories and Criteria. Prepared by the Standards and Petitions Subcommittee. Downloadable from http://www.iucnredlist.org/documents/ RedListGuidelines.pdf.
Instituto Ecológico Aqualung. http://www.institutoaqualung.com.br/ info_hippocampus_52.html (Acessado em 20 de novembro de 2010).
Kuiter, R. H. 1999. Seahorses and their relatives. Seaford: Aqua Photographics, 334 p.
Lapec: Laboratório de peixes, ecologia e conservação, Universidade Federal da Paraíba http://www.dse.ufpb.br/lapec/probio.html (Acessado em 20 de novembro de 2010)
Leim, A.H. & W.B. Scott. 1966. Fishes of the Atlantic coast of Canada. Bull. Fish. Res. Board Can. 155. pp. 485.
Lourie, S. A., Vincent, A.C. J. & Hall, H.J. 1999. Seahorses: an identification guide to the world’s species and their conservation, Project Seahorse, London, UK. 214 p.
Menezes, N.A. & Moura, R.L. 2003 Família Syngnathidae in Menezes, N.A., Buckup, P.A., Figueiredo, J.L de & Moura, R.L. de. 2003. Catálogo das espécies de peixes marinhos do Brasil. Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo. p. 159.
Project Seahorse 2003. Hippocampus erectus. In: IUCN 2011. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2011.2. . Downloaded on 15 March 2012.
Rosa, I. L. 2005. National Report - Brazil. In: Bruckner, A.W.; Fields, J.D.; Daves, N. (Ed.). The Proceedings of the International Workshop on CITES Implementation for Seahorse Conservation and Trade. NOAA Techinical Memorandum NMFS-OPR-35. 1.ed. Silver Spring, 1: 46-53.
Rosa, I. L.; Dias, T. L. & Baum, J. K. 2002. Threatened fishes of the world: Hippocampus reidi Ginsburg, 1993 (Syngnathidae). Environmental Biology of Fishes. v. 64, p. 378.
Rosa, I.M.L; Alves, R.N.; Bonifácio, K.M.; Mourão, J.S.; Osório, F.M.; Oliveira, T.P.R & Nottingham, M.C. 2005. Fisher’s knowledge and seahorse conservation in Brazil. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, 1: 1-12, doi:10.1186/1746-4269-3-14.
Rosa, I.L., Oliveira, T.P.R., Osório, F. M., Moraes, L.E., Castro, A.L.C., Barros, G.M.L. & Alves, R.R.N. 2011. Fisheries and trade of seahorses in Brazil: historical perspective, current trends, and future directions. Biodiversity and Conservation, 20(9): 1951–1971.
Sampaio, C.L.S. & Nottingham, M.C. 2008. Guia para identificação de peixes ornamentais – volume I: espécies marinhas. Brasília: IBAMA, 205 p.
Sibip/Neodat III. Sistema Brasileiro de Informações sobre Biodiversidade de Peixes. Sistema Nacional de Informações sobre Coleções Ictiológicas. http://www.mnrj.ufrj.br/ pronex.htm. Nov. 2010.
Silveira , R.B. 2011. Cavalos-marinhos e os fatores que afetam seu atual estado de conservação. Aquarium, 31: 15-17.
Splink. Sistema de Informação Distribuído para Coleções Biológicas: A integração do Species Analyst e SinBiota (Fapesp). http://www.splink.org.br/ (versão março/2012).
Teixeira, R.L. & J.A. Musick. 2001. Reproduction and food habits of the lined seahorse, Hippocampus erectus (Teleostei: Syngnathidae) of Chesapeake Bay, Virginia. Rev. Bras. Biol. 61 (1): 79–90.
UNEP-WCMC. 20 November, 2012.UNEP-WCMC Species Database: CITES-Listed Species On the World Wide Web: http://www.unepwcmc.org/isdb/CITES/ Taxonomy/index.cfm/isdb/CITES/Taxonomy/index.cfm?displaylanguage=eng
Vari, R. 1982. Fishes of the western North Atlantic, subfamily Hippocampinae. The seahorses. Sears Foundation for Marine Research Memoir, Yale University, USA. 1(8): 173-189.
Vincent, A. C. J. 1990. A seahorses father makes a good mother. Natural History. v 12, pp.34-44.

 

 

Fim do conteúdo da página