Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Peixes - Carcharhinus obscurus (Lesueur, 1818) - Cação-fidalgo
Início do conteúdo da página

Peixes - Carcharhinus obscurus (Lesueur, 1818) - Cação-fidalgo

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Peixes
Elasmobranchii
Carcharhiniformes
Carcharhinidae
Carcharhinus obscurus (Lesueur, 1818)
Cação-fidalgo
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
EN
A4bd
Justificativa
Carcharhinus obscurus é um tubarão pelágico de ampla distribuição geográfica. No sul e sudeste do Brasil a espécie foi comum até a década de 1980, frequentemente capturada na pesca de emalhe. Neonatos e juvenis de primeiro ano eram comuns da costa de São Paulo à costa central do Rio Grande do Sul, sendo atualmente escassos. Podemos considerar que os Carcharhinus outrora abundantes na costa sudeste e sul do Brasil (C. obscurus, C. plumbeus, C. brachyurus e C. falciformis) possivelmente apresentam declínios de captura em nível genérico semelhantes aos ocorridos no Atlântico Norte ocidental. A avaliação específica destes tubarões fica comprometida no Brasil por serem agrupados em uma única categoria na estatística pesqueira. Porém, não há dúvida que atualmente as capturas da espécie representem uma pequena fração das que ocorriam no passado e que o declínio deve ser continuado em função da pesca não ter cessado. Suspeita-se que sua subpopulação brasileira apresente declínio de pelo menos 50% considerando uma janela de tempo de três gerações, envolvendo o passado e o futuro, razão pela qual a espécie é avaliada como Em Perigo (EN) sob o critério A4bd.
Pesquisadores Participantes do Processo*

Alessandra Lonardoni – UEM, Ana Rita Onodera Palmeira – UFPB, Arturo Mora – IUCN, Carolus Maria Vooren – FURG, Cristiane Elfes - University of California, Santa Barbara, Domingos Garrone Neto – UNESP, Emanuel C. Ferreira – FURG, Fábio Hissa Vieira Hazin – UFRPE, Fernando Fernandes Mendonça – UNESP, Fernando Pedro Marinho Repinaldo Filho – ICMBio, Francisco M. Santana – UFRPE, Getúlio Rincon – UNIP, Guilherme Moro – UFPB, Jorge Eduardo Kotas - CEPSUL/ICMBio, Jules Soto – UNIVALI, Leandro Yokota – USP, Manoel Mateus Bueno Gonzalez - Núcleo de Pesquisa e Estudo em Chondrichthyes/UNISANTA, Maria Cristina Oddone – FURG, Maria Lúcia Góes de Araújo – UFRPR, Mônica Brick Peres – ICMBio, Patricia Charvet - SENAI/PR, Ricardo de Souza Rosa – UFPB, Roberta Aguiar dos Santos - CEPSUL/ICMBio, Rodrigo Risi Pereira Barreto – UFRPE, Rosângela Lessa – UFRPE, Santiago Monte alegre Quijano – FURG, Vicente Faria – UFC.

* São listados os nomes de todos os pesquisadores que participaram de qualquer etapa do processo de avaliação do estado de conservação da espécie (envio de informações e oficina de avaliação). A categoria foi determinada na oficina pela maioria dos participantes, seguindo rigorosamente o método utilizado, e posteriormente validada seguindo o método de análise de consistência.

Referências
Bressan, P.M.; Kierulff, M.C.M.; Sugieda, A.M. (Coordenação Geral). 2009. Fauna Ameaçada do Estado de São Paulo: Vertebrados. São Paulo: Fundação Parque Zoológico de São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente.

OLAVO, G.; COSTA, P.A.S. & MARTINS, A.S., 2005. Prospecção de grandes peixes pelágicos na região central da ZEE Brasileira entre o Rio Real-BA e o Cabo de São Tomé-RJ. In: COSTA, P.A.S.; MARTINS, A.S.; OLAVO, G. (Eds.) Pesca e potenciais de exploração de recursos vivos na região central da Zona Econômica Exclusiva brasileira. Rio de Janeiro: Museu Nacional. p.167-202
Fim do conteúdo da página