Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Monitoramento > Gestão da Informação > Sistema de Gestão dos Dados
Início do conteúdo da página

Sistema de Gestão dos Dados

O sistema de informação do monitoramento da biodiversidade é voltado para captura, integração, compartilhamento, visualização e análise de dados do monitoramento das unidades de conservação federais. Todo o sistema utiliza ferramentas computacionais open source baseadas em padrões internacionais e abertos de interoperabilidade de dados de biodiversidade.Seu principal objetivo é permitir a captura de dados de monitoramento das unidades de conservação realizado em campo, a integração dos dados de todas as unidades monitoradas e a visualização integrada dos dados com mapas, imagens, relatórios e informações de outras fontes disponíveis.

 

O sistema de informação do monitoramento da biodiversidade é voltado para captura, integração, compartilhamento, visualização e análise de dados do monitoramento das unidades de conservação federais. Todo o sistema utiliza ferramentas computacionais open source baseadas em padrões internacionais e abertos de interoperabilidade de dados de biodiversidade.Seu principal objetivo é permitir a captura de dados de monitoramento das unidades de conservação realizado em campo, a integração dos dados de todas as unidades monitoradas e a visualização integrada dos dados com mapas, imagens, relatórios e informações de outras fontes disponíveis.

Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-qformat:yes; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; text-align:justify; text-indent:35.45pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif"; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-theme-font:minor-fareast; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin;}

2-estrutura-geral-2

A arquitetura geral do sistema é composta por três camadas básicas (figura ao lado): um banco de dados nas unidades de conservação; uma ferramenta integradora no ICMBio; e um portal para visualização e análise. Em toda arquitetura, sempre que possível, os sistemas serão desenvolvidos adaptando ferramentas computacionais disponíveis do Global Biodiversity Information Facility – GBIF e do portal de biodiversidade Atlas of Living Australia – ALA.

 A estrutura do sistema de informação de dados apresentada aqui foi desenvolvida para receber e gerir os dados oriundos do monitoramento nas UCs dos biomas Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica. A utilização desta estrutura em outros programas depende ainda de articulações internas e com parceiros externos.

O Sistema de Gestão de Dados Locais é responsável pela aquisição e gerenciamento de dados de monitoramento nas Unidades de Conservação.Os principais objetivos deste Sistema consistem em:

  • Fornecer às Unidades de Conservação ferramentas de software que possibilitem inserir, importar e gerenciar os dados de ocorrência relativos ao monitoramento da biodiversidade;
  • Fornecer mecanismos de transmissão e publicação dos dados locais de forma a torna-los disponíveis ao Sistema de Integração dos dados registrados.

 A definição da arquitetura de software, assim como a seleção das ferramentas utilizadas no Sofware de Gestão Local foi realizada considerando vários requisitos. É um ambiente que utiliza ferramentas freeware, portáveis e independentes de plataforma e que não exijam muito poder computacional. Tais requisitos têm como principal objetivo permitir que o software seja instalado e executado em ambientes diversificados, sob vários aspectos.  

 

O Sistema de Integração de Dados é responsável pela sincronização das bases de dados existentes nos Sistemas Locais das Unidades de Conservação com o Sistema Centralizado que integrando os dados de todas as Unidades de Conservação.Por meio de um Componente de Integração dos Dados, o Sistema de Monitoramento periodicamente irá empacotar os dados coletados em um arquivo único, seguindo o formato Darwin Core Archive e um componente de Transmissão de Dados enviará o mesmo para o Sistema de Portal, que analisará os dados enviados e os consolidará em uma base de dados centralizada.O Darwin Core Archive (DwC-A) é um padrão para dados de biodiversidade que faz uso dos termos do Darwin Core para produzir um conjunto de dados de ocorrências e/ou dados taxonômicos. Por meio da utilização de extensões, outras informações podem ser agregadas ao esquema. Essas extensões são descritas no GBIF Vocabularies.O DwC-A é composto por um conjunto de arquivos texto, com os dados separados por vírgulas ou tabulação, juntamente com um arquivo descritor em XML (meta.xml), para informar como os arquivos texto são organizados. O conjunto de arquivos é compactado em um único arquivo (Archive). Este formato é o preferido pelo GBIF para a publicação de dados na rede GBIF Network.Além dos dados coletados das diversas unidades de conservação, outras informações serão incluídas na base de dados centralizada para possibilitar os processos de validação, integração, publicação e análise dos dados do monitoramento no Portal de Dados. Destas informações incrementais destacam-se dados taxonômicos, sinônimos e demais informações sobre as espécies, e os Dados Espaciais, necessários para a análise dos dados de monitoramento, como camadas ambientais e climáticas, entre outras.
O Portal de Dados é responsável pela publicação dos dados consolidados do monitoramento da biodiversidade, disponibilizando ferramentas na Web para a visualização e análise destas informações.Este portal,ainda em desenvolvimento,  será baseado no portal de dados do Atlas of Living Australia (ALA), um dos principais portais de dados de biodiversidade da atualidade, que se destaca principalmente pela disponibilização de diversas ferramentas para visualização e análise dos dados publicados no portal.Considerando a arquitetura computacional, o Portal de Dados possuirá 4 camadas (figura abaixo): a primeira é a camada de Processamento em Batch, que realizará o harvesting dos dados das instituições para o repositório centralizado do sistema. A Camada de Persistência realizará a gestão dos dados consolidados, considerando também questões de qualidade e indexação das informações. A camada de Web Services disponibilizará por meio de serviços, as informações armazenadas na Camada de Persistência. Por fim, a camada de Publicação dos Dados, ou front-end, realizará a publicação dos dados na Web e disponibilizará as ferramentas para a consulta e análise destas informações.2-portal-de-dados

Figura: Visão geral da arquitetura computacional do Portal de Dados do monitoramento.

Saiba mais:

O Sistema de Informação do Monitoramento da Biodiversidade foi desenvolvido no âmbito do Projeto de Monitoramento da Biodiversidade com Relevância ao Clima, uma iniciativa do Ministério do Meio Ambiente/Secretaria de Biodiversidade e Florestas (MMA/SBF), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e da Agência de Cooperação Alemã para Desenvolvimento (GIZ). Todo o seu planejamento e desenvolvimento técnico teve como parceiro fundamental a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP).

    2-botao-biblioteca

O sistema de informação do monitoramento da biodiversidade é voltado para captura, integração, compartilhamento, visualização e análise de dados do monitoramento das unidades de conservação federais. Todo o sistema utiliza ferramentas computacionais open source baseadas em padrões internacionais e abertos de interoperabilidade de dados de biodiversidade.Seu principal objetivo é permitir a captura de dados de monitoramento das unidades de conservação realizado em campo, a integração dos dados de todas as unidades monitoradas e a visualização integrada dos dados com mapas, imagens, relatórios e informações de outras fontes disponíveis.

Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-qformat:yes; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; text-align:justify; text-indent:35.45pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif"; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-theme-font:minor-fareast; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin;}
Fim do conteúdo da página