Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Pesquisa > Projetos Apoiados > Projetos Apoiados em 2012 > Efeitos da caça e levantamento das espécies de mamíferos na Flona do Purus
Início do conteúdo da página

Efeitos da caça e levantamento das espécies de mamíferos na Flona do Purus

Ano: 2012

Resumo: O conhecimento sobre a biodiversidade da Floresta Amazônica ainda é muito escasso e restrito a poucas localidades, tais como próximo aos grandes centros urbanos e aos grandes rios (Nelson et al. 1990, Kress et al. 1998) e pesquisas científicas sobre esta biodiversidade em áreas remotas devem ser estimuladas. As Unidades de Conservação do Núcleo de Gestão Integrada de Boca do Acre/AM (FLONAs do Purus, Mapiá-Inauini e do Iquiri e RESEX Arapixi), no sudoeste do estado do Amazonas, se encontram em uma macro-região drenada por rios de águas brancas, na região do médio-alto rio Purus (interflúvios Madeira-Purus e Purus-Juruá), onde a riqueza de espécies de vertebrados é uma das maiores do mundo (Voss e Emmons, 1996).

Esta região foi muito pouco pesquisada até o presente momento, e os únicos inventários de espécies de vertebrados na região foram baseados por meio de dados secundários, durante a elaboração dos Planos de Manejo das FLONAs do Purus e Mapiá-Inauini e RESEX Arapixi. Os inventários mais robustos realizados recentemente na região foram os levantamentos preliminares de: herpetofauna ao longo da BR-317 (Rio Branco/AC – Boca do Acre/AM) por França e Venâncio (2010); mastofauna na FLONA do Purus, o projeto “Diversidade e caça de mamíferos na FLONA do Purus” apoiado pela DIBIo em 2011 e 2012 (ver acima); mastofauna na FLONA do Iquiri em 2012, onde a equipe gestora forneceu apoio logístico para o coordenador do projeto acima/apoiado pela DIBio juntamente com estudantes da Universidade Federal do Acre (UFAC), esta iniciativa foi o primeiro inventário rápido de mamíferos desta UC; avifauna nas FLONAs do Purus e Iquiri em 2011, uma parceria entre o projeto acima e a equipe do pesquisador Mario Cohn-Haft do INPA realizou em 2011 um inventário rápido na região (dados ainda não publicados). É evidente que a carência de pesquisas se relaciona à grande distancia destas UCs com as Instituições de pesquisa Brasileiras, além disso, estas UCs não são dotadas de nenhuma estrutura física para alojar pesquisadores em seu interior, o que desencoraja pesquisadores e alunos de pós-graduação.
 
 
Responsável pelo ProjetoUnidade
Ricardo Sampaio
ricardo.sampaio@icmbio.gov.br
Floresta Nacional do Purus
Fim do conteúdo da página