Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Pesquisa > Projetos Apoiados > Projetos Apoiados em 2012 > Levantamentos fitossociológicos, etnobotânicos e de demografia vegetal como subsídios para elaboração de termo de compromisso com o Vale do Pati, PNCD
Início do conteúdo da página

Levantamentos fitossociológicos, etnobotânicos e de demografia vegetal como subsídios para elaboração de termo de compromisso com o Vale do Pati, PNCD

PatiAno: 2012

Resumo: Desde o ano de 2011, a equipe do Parque Nacional da Chapada Diamantina tem realizado estudos visando a caracterização antropológica e ambiental da comunidade do Vale do Pati, área situada no centro daquela Unidade de Conservação, com o objetivo de firmar termo de compromisso com os moradores locais. A região do Vale do Pati é uma área coberta, predominantemente, por floresta estacional semidecidual, em diversos estágios de regeneração, e por pastagens e pequenas roças. A comunidade pode ser dividida em Pati de Cima, geograficamente mais próximo ao distrito de Guiné, município de Mucugê, e Pati de Baixo ou Cachoeirão, mais próximo de Andaraí. Os moradores dependem de animais de carga para transportar seus produtos e para o transporte de pessoas.

Para subsidiar o termo de compromisso, foi iniciado um levantamento fitossociológico das floerstas da região. Foi possível amostrar apenas 10 parcelas e os resultados ainda estão sendo processados, especialmente na identificação das espécies (a maioria delas estava estéril), mas as florestas apresentam características de floresta estacional semidecidual (bioma mata atlântica), predominando o estágio médio de regeneração. A família botânica com maior número de espécies é Fabaceae (8 espécies, até o momento) e foi identificada a presença de uma espécie endêmica da Chapada Diamantina (Eschweilera tetrapetala Mori). A espécie com maior freqüência, até o momento, é Tibouchina sp (Melastomataceae). Também se destacam Clusia sp e Leandra sp . Chama atenção a presença de Artocarpus heterophylus Lam. (Moraceae, jaqueira), espécie exótica que pode se comportar como invasora em muitas circunstâncias. Não foram identificados, nas parcelas, indivíduos de Cabralea canjerana (Vell.) Mart., uma espécie considerada chave pelos moradores locais (ver abaixo) e que era um dos alvos do projeto. A altura média encontrada foi de 9,78 ± 2,73 m e o Diâmetro a Altura do Peito médio foi de 15,78 ± 7,16 cm. Os moradores foram entrevistados para saber que espécies florestais e de plantas medicinais eles utilizavam.

Foram listadas dezessete espécies arbóreas e arbustivas e dez espécies de plantas medicinais. O destaque é para canjerana (Cabralea canjerana), citada por todos os moradores como importante. No entanto, os esforços em campo retornaram apenas quatro indivíduos adultos e nenhum individuo jovem, o que inviabilizou o levantamento demográfico da espécie. Os esforços para concluir o levantamento fitossociológico e para levantar as situação da população da canjerana estão sendo empreendidos em 2013.

Responsável pelo ProjetoUnidade
Cezar Neubert Gonçalves
cezarngoncalves@gmail.com
Parque Nacional da Chapada Diamantina
Fim do conteúdo da página