Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > ICMBio e Marinha firmam parceria em cessão de imóvel
Início do conteúdo da página

ICMBio e Marinha firmam parceria em cessão de imóvel

Publicado: Terça, 04 de Dezembro de 2018, 11h21
O presidente do ICMBio, Paulo Carneiro, participou da assinatura do contrato em evento no Cepene.
cepene2
Um evento marcou a assinatura, no dia 01 de dezembro, do contrato de cessão de uso gratuito do imóvel utilizado por parte do Cepene em Tamandaré, PE. A parceria entre a Marinha do Brasil e o ICMBio é fundamental para a continuidade das ações de pesquisa e conservação da biodiversidade marinha do nordeste. As duas insitutições também desenvolvem ações conjuntas com a criação das unidades de conservação nas ilhas oceânicas de São Pedro São Paulo e Trindade.

O presidente do ICMBio, Paulo Carneiro, participou da assinatura do contrato. “Essa parceria é o reconhecimento e a valorização de um trabalho baseado nas ações de pesquisa e na geração do conhecimento, e a aplicação desse conhecimento contribuindo com as ações de manejo e conservação da biodiversidade da mata atlântica, dos manguezais, das praias, dos recifes de coral”, ressaltou Paulo. Segindo ele, o acordo é fundamental para o fortalecimento das instituições que trabalham em prol da proteção dos ambientes costeiros e marinhos. "Fortalecidas e unidas, as instituições, juntamente com o apoio da sociedade civil e da academia, têm um potencial muito grande para trabalhar pela pesquisa e a conservação marinha", complementa.

No ano em que o Cepene completou 35 anos de ações voltadas para a pesquisa e conservação do mar, garantir o espaço por mais uma década, sinaliza para continuidade dos planos do ICMBio, especialmente para os centros de pesquisa e as áreas marinhas protegidas, os projetos de apoio, como o caso do GEFMAR, trabalhando em favor dos recifes de coral, dos peixes ameaçados, dos peixes-bois marinhos, das tartarugas, das aves, da biodiversidade.
cepene
Nesses últimos 3 anos, o Cepene se voltou para resgatar os trabalhos de pesquisa aliado à conservação marinha. "Um dos pontos mais importantes foi restabelecer a confiança para as parcerias interinstitucionais", disse o coordenador do Cepene, Leonardo Tortoriello Messias. De acordo com ele, as parcerias possibilitaram e viabilizaram uma série de ações que seriam impossíveis de realizar somente pelo ICMBio, como são os casos do monitoramento dos recifes de coral; do monitoramento dos impactos da pesca e da produção pesqueira; as primeiras ações do automonitoramento da pesca; do estabelecimento das áreas de recuperação recifal; dos planos de recuperação das espécies ameaçadas; das ações de educação ambiental; do enfrentamento para o combate à poluição dos mangues, entre outras.

"A assinatura do documento significa dizer também que o espaço está aberto para outros parceiros. A parceria vai além das duas instituições e beneficia outras que usufruem do espaço do Cepene", afirmou Leonardo. Em 2018, mais de 4 mil pessoas participaram dos eventos de capacitação e pesquisa promovidos e apoiados pelo centro de pesquisa. As reuniões das unidades de conservação – conselhos, os planos de manejo - os PAN; os cursos de graduação e pós-graduação das universidades do nordeste, em especial a UFPE e UFRPE; os cursos de qualificação da Polícia Federal; os eventos das comunidades de Tamandaré; as capacitações das pescadoras e pescadores artesanais; o congresso nacional de estudante de ciências ambientais, outros eventos relacionados com a tecnologia da informação e a juventude; com a saúde pública.


Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página