Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Drones auxiliam na fiscalização de desmatamento
Início do conteúdo da página

Drones auxiliam na fiscalização de desmatamento

Publicado: Quarta, 11 de Março de 2020, 17h12
Infração na Flona de Caxiuanã foi detectada por drone e confirmada por imagens de satélite

teste drone flona tapajos bruno bimbato 236
Foto: Bruno Bimbato

Agentes de fiscalização da Floresta Nacional (Flona) de Caxiuanã, no Pará, conseguiram detectar um desmatamento de 5,2 hectares no interior da Unidade de Conservação (UC) utilizando imagens de drone. Este é o primeiro registro oficial de um auto de infração que contou com o auxílio da aeronave remotamente pilotada. A imagem do desmatamento foi confirmada por análise de imagens de satélite realizada pela Divisão de Monitoramento e Informações (DMIF).

O auto foi lavrado em função da Operação Tolerância Zero, que visa combater ilícitos ambientais nas UCs. De acordo com a fiscal responsável pela lavratura do auto, o uso do drone permitiu otimização do trabalho em campo, orientando de forma clara onde seriam os locais de ocorrência dos ilícitos ambientais, e possibilitando a apuração quase imediata de denúncias recebidas. Isso diminui o tempo de deslocamento da equipe em busca dos alvos prioritários a serem verificados e aumenta a segurança do grupo, uma vez que é possível avaliar a situação real das possíveis ameaças e represálias a que os agentes estariam suscetíveis.

Além de facilitar na detecção de riscos aos fiscais, o drone possibilita a investigação de ilícitos sem a perda do elemento surpresa, localiza acessos e ganha tempo na averiguação de alertas, já que vários destes encontram-se em locais ermos que demandam logística de deslocamento. As imagens geradas pelos drones incrementam a materialidade do ilícito, sendo usadas também como provas do delito.

Drones já eram utilizados em operações de fiscalização em 2018 na região sudoeste do Pará, local de responsabilidade da Unidade Especial Avançada (UNA) de Itaituba, porém eram operados pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam). Já a primeira operação com o uso de drone adquirido pelo ICMBio foi em abril de 2019, na Floresta Nacional (Flona) de Altamira e, desde então, tem sido requisitado pelos coordenadores de fiscalização por serem portáteis, práticos e com baixo custo operacional.

OPERADORES
Em agosto de 2018, o ICMBio iniciou testes para potencializar o uso de drones. No mesmo ano, iniciou-se a capacitação com 20 servidores do próprio Instituto, do Ibama e do Serviço Florestal Brasileiro. No ano passado, mais 15 servidores se tornaram aptos a utilizar o equipamento. Ainda este ano está prevista mais uma capacitação que deve ocorrer em setembro.


Objetivos de desenvolvimento Sustentável (ODS)


Comunicação
(61) 2028-9280
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página