Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Operação combate crimes ambientais em Rondônia
Início do conteúdo da página

Operação combate crimes ambientais em Rondônia

Publicado: Terça, 14 de Abril de 2020, 16h15
Objetivo da Operação Predadores foi o de averiguar caça, pesca e extração ilegal de madeira durante o período de isolamento

IMG 20200405 cal
Foram encontradas cinco armas longas de calibres diversos, além de munições recarregáveis e não-recarregáveis. (Foto: Acervo/ICMBio)

Agentes de fiscalização ambiental do ICMBio Cautário-Guaporé e policiais civis de Ji-Paraná (RO) realizaram, entre 03 e 09 de abril, a Operação Predadores. O objetivo da ação foi apurar caça, pesca e extração ilegal dentro da Reserva Extrativista do Rio Cautário e da Reserva Biológica do Guaporé, na região conhecida como Vale do Guaporé, e verificar se criminosos ambientais estão tirando proveito do período de isolamento para praticar ilícitos dentro das unidades de conservação.

A ação foi baseada em informações levantadas previamente pela equipe do Núcleo de Gestão Integrada Cautário-Guaporé, responsável pela gestão das duas UCs, durante operações anteriores. Anteriormente, o ICMBio recebeu denúncia sobre a existência de um grupo de caçadores que estariam caçando búfalos sem autorização prévia. Mesmo que o animal seja espécie exótica, a prática é proibida. Além dos búfalos, animais da fauna nativa também eram alvos dos caçadores e suas carnes eram comercializadas no município de São Francisco do Guaporé. Na ocasião, os caçadores não foram localizados, apenas o acampamento abandonado com as carcaças dos animais deixadas para trás.

Desta vez, os fiscais flagraram seis caçadores. Dois deles conseguiram fugir portando armas longas, sendo capturados logo depois. Com os infratores, foram encontradas cinco armas longas de calibres diversos, além de munições recarregáveis e não-recarregáveis. Eles também possuíam carne de búfalo, veado-mateiro, cateto e jacaré. A maior parte já estava embalada em caixas de isopor dentro de embarcações para transporte.

No total da operação, foram feitas dez conduções de infratores presos em flagrante para a Delegacia de Polícia Civíl em Costa Marques e aplicado um total de 375 mil reais em multas pelos crimes ambientais flagrados no interior da unidade de conservação. Foram apreendidos um total de 330 kg de carne de caça, oito armas (06 armas de caça e 02 armas curtas), 250 munições para caça, três embarcações de alumínio, três motores de popa, petrechos de pesca e 10kg de pescado.

Vale lembrar que mesmo com a medida de isolamento aplicada pelos governos federais, estaduais e municipais para conter a propagação do Covid-19, as ações de fiscalização e a política de tolerância zero do ICMBio com as infrações ambientais continuam ocorrendo normalmente conforme já planejado. Além disso, ações extraordinárias poderão ser realizadas para apurar denúncias, indícios e infrações ambientais nas unidades de conservação federais em todo o país.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página