Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Fiscalização combate pesca predatória na Resex de Cururupu (MA)
Início do conteúdo da página

Fiscalização combate pesca predatória na Resex de Cururupu (MA)

Publicado: Sexta, 04 de Outubro de 2013, 17h04

Ação resultou na maior apreensão de redes já registrada pelo ICMBio

Brasília (04/10/2013) – A Reserva Extrativista (Resex) de Cururupu, situada no Maranhão e gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), realizou entre os dias 23 e 27 de setembro, fiscalização de combate à pesca predatória. Com o objetivo de coibir a atividade ilegal que ameaça os recursos pesqueiros da reserva, a operação foi realizada com o apoio do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), do Ministério do Meio Ambiente (MMA). Os fiscais verificaram a utilização de dois métodos predatórios de pesca. O primeiro utiliza a rede poitada, com panagens de redes de até 120 braças, fixadas transversalmente nos canais de maré com uso de âncoras e pedras. Desta forma, os peixes que passam pelo canal são capturados.

Já o segundo método, o de rede tipo Zangaria Alta, utiliza panagens de até mil braças de redes, que permanecem fixadas por meio de estacas ao redor das margens do manguezal. Devido à altura da rede, que alcança até sete metros, os peixes que se deslocam em direção ao mangue para se alimentar são capturados durante a vazante da maré.
Esse método é altamente impactante para fauna marinha, pois atua diretamente no berçário das espécies. De acordo com analistas ambientais da reserva extrativista, a atividade acarreta enorme prejuízo à natureza e aos demais pescadores que trabalham de forma seletiva, uma vez que diversos peixes, de alto valor comercial, como os Robalos, por exemplo, são capturados ainda na fase juvenil.

Segundo o chefe da unidade de conservação (UC), Eduardo Borba, a operação resultou na maior apreensão de redes já registrada pelo ICMBio, totalizando 4,5 mil braças. Eduardo destaca que grande parte dos autuados são provenientes do município de Bequimão (MA) e viajam por mais de dez horas de navegação até as reentrâncias do município de Cururupu, alegando que em seu município de origem os recursos pesqueiros estão escassos. A Operação de Fiscalização da Reserva Extrativista de Cururupu contou com a participação de policiais do Batalhão de Polícia Ambiental do Maranhão e servidores da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Cururupu.


Comunicação ICMBio
(61) 3341-9280

Fim do conteúdo da página