Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > ICMBio multa pecuarista em R$ 6 milhões por desmatamento
Início do conteúdo da página

ICMBio multa pecuarista em R$ 6 milhões por desmatamento

Publicado: Quinta, 07 de Julho de 2016, 20h43
Autuação foi feita pela APA das Ilhas e Várzeas do Rio Paraná, que, além da multa, embargou a propriedade. Ao todo, foram destruídos 600 hectares de veredas


Vista área da área em processo de destruição Erick Caldas Xavier

Brasília (07/07/2016) – A Área de Proteção Ambiental (APA) das Ilhas e Várzeas do Rio Paraná, administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), entre os estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo, multou em R$ 6 milhões o proprietário de uma fazenda em Taquarussu (MS) por desmatamento de mais de 600 hectares de veredas, ambientes típicos de áreas úmidas de cerrado. 

A área destruída faz parte dos últimos remanescentes desse tipo de ambiente na unidade de conservação (UC). O local estava sendo drenado e utilizado para a pecuária. Para evitar que o pisoteio do gado e a drenagem das áreas úmidas, não aumentassem os danos ao ambiente, além da multa, a equipe da APA embargou a propriedade.

Apesar da APA estar localizada em área predominantemente de Mata Atlântica, a região é um ecótono, ou seja, ocorrem em seu interior manchas de outros ecossistemas, no caso Cerrado e Pantanal, o que torna o ambiente ainda mais especial e rico em biodiversidade.

veredas em processo de destruição 3 Arthur Henrique SakamotoA autuação foi comunicada ao conselho gestor da unidade, durante reunião realizada na semana passada, na cidade de Nova Londrina (PR).

No encontro anterior, o conselho havia aprovado moção pedindo ao Governo do Mato Grosso do Sul e à Prefeitura Municipal de Taquarussu a criação de uma estação ecológica ou reserva biológica na área ameaçada.

A APA Ilhas e Várzeas do Rio Paraná, que possui 1 milhão de hectares, tem apenas 14,7% da vegetação de Mata Atlântica original. De acordo com o chefe da unidade, Erick Caldas Xavier, “é inaceitável que ainda ocorra a supressão dos seus últimos fragmentos florestais”.

Por concentrar grande parte das áreas naturais da UC, a região de Taquarussu é uma das mais importantes da APA. Segundo a publicação “Mapeamento para a conservação e recuperação de biodiversidade na Mata Atlântica: em busca de uma estratégia espacial integradora para orientar ações aplicadas”, a região possui áreas consideradas de “alta relevância estratégica para recuperação”, tendo mais de 50% de cobertura de remanescente de vegetação nativa e de fundamental importância para conservação da biodiversidade.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página