Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Furna Feia vai investir em turismo espeleológico
Início do conteúdo da página

Furna Feia vai investir em turismo espeleológico

Publicado: Sexta, 07 de Julho de 2017, 17h54
Parque nacional no Rio Grande do Norte abriga mais de 200 cavernas. Iniciativa faz parte de acordo firmado entre ICMBio e Sebrae para estruturar a visitação em UCs federais no estado

IMG 3443 1

Brasília (07/07/2017) – O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) no Rio Grande do Norte assinaram acordo de cooperação técnica para a implantação do Projeto de Estruturação Turística nas Unidades de Conservação Federais no estado. O primeiro passo será investir no turismo espeleológico (visitação de cavernas) no Parque Nacional da Furna Feia.

Situado nos municípios de Mossoró e Baraúna, o parque protege 8.500 hectares de área preservada do bioma Caatinga, além de um complexo espeleológico que abrange mais de duzentas cavernas. Estrategicamente localizado entre duas importantes capitais do Nordeste – Natal e Fortaleza –, a unidade de conservação, com sua rica biodiversidade, tem tudo para oferecer várias atrações, entre eles, o turismo de aventura, o ecoturismo e o turismo de cavernas, uma experiência pioneira na região.

Entre as ações previstas, estão estudos técnicos para a elaboração do plano de manejo de cavernas, projeto estrutural e arquitetônico para a visitação em três cavidades escolhidas para iniciar os trabalhos do projeto piloto, que são a Furna Feia, o Letreiro e a Furna Nova, além da sinalização do parque e a capacitação de guias de geoturismo.

Segundo o chefe da unidade, Leonardo Brasil, o acordo é um “divisor de águas” para o Parque Nacional da Furna Feia, uma vez que a parceria vai possibilitar uma experiência inovadora de turismo espeleológico. “Será um piloto para avaliar a receptividade das pessoas, tanto da própria região, quanto turistas de outras partes do País, e mensurar o quanto esse ordenamento do seu uso pode ou não gerar impactos para a unidade de conservação e benefícios para a sociedade de Mossoró e Baraúna”.

Parceria

O acordo de cooperação foi assinado na terça-feira (4) pela coordenadora regional do ICMBio, Carla Marcon, e o diretor técnico do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcanti, na sede da Floresta Nacional Restinga de Cabedelo, na região metropolitana de João Pessoa, Paraíba. O procurador federal Fábio Gomes Guimarães, que esteve presente ao ato, atestou a formalidade e a legalidade do termo.

“Para nós, do Instituto Chico Mendes, é de suma importância contar com parcerias que colaborem para a conservação ambiental, num momento em que precisamos muito integrar e incluir a sociedade nesses processos de gestão do meio ambiente em territórios tão importantes para a biodiversidade brasileira, que são os parques nacionais”, afirmou Carla Marcon.

Já o diretor do Sebrae-RN disse que “firmar essa parceria nos permite desenvolver um turismo diferenciado nas regiões das unidades de conservação federais no Rio Grande do Norte e fomentar pequenos negócios inovadores que estejam conectados com as necessidades do nosso planeta, baseados no tripé econômico, social e ambiental.

A expectativa é que até o final de 2018 as atividades de turismo nas cavernas que fazem parte do projeto piloto no Parque Nacional de Furna Feia estejam em pleno funcionamento, após a elaboração dos instrumentos legais que regulamentam o ordenamento do uso desses espaços e o cumprimento das ações necessárias para isso.

Comunicão ICMBio - (61) 2028-9280 - com informações de informações da Coordenação Regional 6 do ICMBio (Lucia Guaraldo)





registrado em: ,
Fim do conteúdo da página