Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Destaques > Parque Nacional implementa projeto de manejo do fogo
Início do conteúdo da página

Parque Nacional implementa projeto de manejo do fogo

Publicado: Segunda, 21 de Julho de 2014, 16h29

Projeto foi dividido em manejo, pesquisa e monitoramento do fogo

Projeto foi dividido em manejo, pesquisa e monitoramento do fogo

Parque Nacional implementa projeto de manejo do fogo

Carolina Lobo
ana.lobo@icmbio.gov.br

Brasília (21/07/2014) – O Parque Nacional da Chapada das Mesas (MA) recebeu nos últimos quatro meses expedições de pesquisadores e consultores do projeto "Prevenção, Controle e Monitoramento de Queimadas Irregulares e Incêndios Florestais no Cerrado", também conhecido como Cerrado-Jalapão. A ação é fruto de uma cooperação técnica entre Brasil e Alemanha.

O objetivo foi planejar e implementar o projeto-piloto do Manejo Integrado do Fogo (MIF) em parceria com a Unidade de Conservação (UC). A ação é baseada em dois pilares: queimadas prescritas, aquelas criadas estrategicamente no começo do período de seca para reduzir o risco e a extensão de incêndios descontrolados no fim da estação, e o Manejo Integrado do Fogo em Base Comunitária (MiFBC), que promove a responsabilidade coletiva sobre o assunto dentro das comunidades.

O chefe do Parque Nacional da Chapada das Mesas, Paulo Adriano Dias, destacou que o envolvimento dos comunitários no planejamento da gestão do território, incluindo o manejo do fogo, trás benefícios para todos os membros. "Promove a apropriação, desencadeia ações que naturalmente são positivas para a conservação da biodiversidade local e contribui com os objetivos de criação das UCs", disse.

As ações foram divididas entre manejo do fogo, pesquisa e monitoramento via sensoriamento remoto para medir e quantificar o comportamento e intensidade do fogo em áreas experimentais de queimadas prescritas em diferentes épocas do ano. Além disso, também foi possível analisar fitofisionomias e períodos sem queima. "Estamos iniciando um trabalho que visa gerar um modelo a ser reproduzido para fins de conservação do bioma. A realização de estudos científicos e utilização de tecnologia de sensoriamento remoto associados ao conhecimento tradicional do uso do fogo trás perspectivas concretas para que consigamos reduzir os incêndios e todos os impactos negativos provocados pelo uso incorreto do fogo na biodiversidade, além de melhorar a qualidade de vida das comunidades rurais no Cerrado brasileiro", afirmou Dias.

As expedições realizadas este ano no Parque Nacional da Chapada das Mesas contaram com o apoio da brigada de incêndios da UC e servidores do Prevfogo/Ibama. Estiveram presentes os pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB) – Isabel Schmidt, Heloísa Miranda, Naomi Sato, Clara Baringo, Daniel Chaves e Lívia Moura ; o pesquisador Alexandre Sampaio, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade do Cerrado e Caatinga (Cecat/ICMBio); os consultores Ronan Brito e Robin Beatty, especialista internacional em Manejo Integrado do Fogo e o fotógrafo da Divisão de Comunicação (DCOM/ICMBio), o analista ambiental Leonardo Milano – que participou da última fase, de 9 a 14 de julho.

Projeto Cerrado-Jalapão

A visita de pesquisadores e consultores do Projeto à Unidade de Conservação é uma das ações, no âmbito da cooperação técnica, em execução desde 2012. O Projeto Cerrado-Jalapão prevê uma série de outras atividades visando não somente melhorar o combate a incêndios, mas aumentar a integração de ações relacionadas, como planejamento do manejo do fogo, educação ambiental, alternativas ao uso do fogo, pesquisa sobre seus impactos na biodiversidade e clima, monitoramento de desmatamento e fortalecimento da gestão das unidades por meio de conselhos consultivos e capacitações.

O objetivo do Projeto é aprimorar a prevenção e o combate a incêndios em municípios críticos e Unidades de Conservação prioritárias do bioma Cerrado, bem como desenvolver os sistemas de monitoramento de incêndio e desmatamento. Ao todo, seis UCs federais integram o Projeto Cerrado-Jalapão: as Estações Ecológicas de Uruçuí-Una (PI) e Serra Geral do Tocantins (BA/TO) e os Parques Nacionais do Araguaia (TO), das Nascentes do Rio Parnaíba (PI/MA/BA/TO), da Chapada das Mesas (MA) e das Sempre Vivas (MG). Além delas, o Projeto atua no Parque Estadual do Jalapão e em municípios prioritários no Tocantins e Piauí. "Iniciado em 2012, o Projeto Cerrado-Jalapão trouxe como inovação a atuação integrada entre os diferentes dimensões do manejo do fogo – ecológico e socioeconômico, aliados à pesquisa e ao monitoramento", afirma Christian Berlinck, coordenador de Emergências Ambientais e ponto focal do Projeto Cerrado-Jalapão no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), junto com Ângela Garda.

A iniciativa é coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e tem como parceiros, pelo lado brasileiro, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Secretaria do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável do Tocantins (Semades), Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins) e Caixa Econômica Federal. Do lado alemão, o Projeto conta com a Agência Alemã de Cooperação Técnica (GIZ), Banco Alemão para o Desenvolvimento (KfW),  Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI) do Ministério do Meio Ambiente, Proteção da Natureza, Construção e Segurança Nuclear da Alemanha (BMUB).

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página