Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Destaques > Fiscais de Saint Hilaire apreendem folhas de guaricana
Início do conteúdo da página

Fiscais de Saint Hilaire apreendem folhas de guaricana

Publicado: Sexta, 10 de Abril de 2015, 19h30

Cinquenta malas com as folhas foram cortadas de dentro da Unidade de Conservação

Cinquenta malas com as folhas foram cortadas de dentro da Unidade de Conservação

© Todos os direitos reservados. Foto: Rodrigo Filipak Torres

Brasília (10/04/2015) – Cinquenta fardos contendo aproximadamente 12.500 folhas de palmeira guaricana (Geonoma sp.), popularmente conhecida como palha foram apreendidas dentro do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL) na região da estrada do Parati, na divisa entre os municípios de Matinhos e Guaratuba, no Paraná, dia 13 de março.

A carga contendo as folhas foi descoberta após abordagem dos fiscais do ICMBio a um condutor de caminhão que se encontrava parado na estrada de Parati bloqueando a via. Além do proprietário do caminhão, que realizava o transporte da carga, estava presente o responsável pela extração da palha, acompanhado por dois menores, que o auxiliaram na extração e amarração das folhas de guaricana.

Calcula-se que o montante de ramos tenha sido proveniente de aproximadamente 5.000 "pés" de palmeiras guaricana. Apesar de não constarem na Lista Nacional de Espécies da Flora Ameaçadas de Extinção do Ministério do Meio Ambiente, duas das espécies de guaricana aparecem na última lista da flora ameaçada de extinção do Rio Grande do Sul, de dezembro de 2014. Os frutos e sementes desta árvore têm grande importância alimentar para a fauna nativa.

As folhas eram vendidas a terceiros nos mercados de São Paulo e Rio de Janeiro, e abasteciam floriculturas para feitura de coroas fúnebres e arranjos florais, bem como empresas que fazem coberturas rústicas, como quiosques e bangalôs.

Ao todo foram lavrados dois autos de infração: um pelo transporte de produto de origem vegetal (folhas de guaricana), extraído no Parque Nacional Saint-Hilaire/Lange sem autorização do ICMBio, e outro pela exploração comercial de subprodutos não madeireiros (folhas de guaricana) do PNSHL.

O caminhão foi apreendido e o Conselho Tutelar de Guaratuba/PR acionado, em virtude de ter havido participação de menores no ilícito ambiental. As folhas de guaricana foram doadas à Fundação Nacional do Índio (Funai), a fim de serem distribuídas entre as aldeias indígenas existentes no litoral do Paraná e regiões próximas e serem utilizadas como cobertura de casas de reza, presentes nas aldeias.

Mas a guaricana não é a única fonte de extração ilegal. Samambaias, musgos, cipós-pretos e bromélias também são alvo de infratores e encontram compradores no mercado informal. No caso da palha, ela deixou de ser um recurso de uso doméstico entre comunidades e passou a ser uma matéria-prima de alto valor.

Segundo a Lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (9.985/00 – SNUC), é permitido em UCs do grupo Proteção Integral apenas o "uso indireto" de seus atributos naturais, ou seja, "aquele que não envolve consumo, coleta, dano ou destruição dos recursos naturais". No Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange, portanto, a extração de folhas de guaricana é proibida.

Sobre o Parque Nacional Saint Hilaire/Lange

Localizado no litoral do Paraná a apenas 100 km de Curitiba e a 40 km da cidade portuária de Paranaguá, o Parque está situado na porção sul da Serra do Mar paranaense, fazendo divisa com a baía de Guaratuba, com a planície litorânea e com o vale do rio Cubatãozinho, abrangendo regiões que variam de 10 metros sobre o nível do mar até as montanhas do maciço Serra da Prata, com altitudes superiores a 1.400 metros.

O nome do parque é uma homenagem ao naturalista francês Auguste de Saint-Hilaire, que percorreu parte do Brasil na década de 1820, e ao biólogo e ambientalista paranaense Roberto Ribas Lange, falecido em 1993. O visitante que se interessar em visitá-lo encontrará diversas trilhas de diferentes níveis de dificuldade que o levarão a ambientes diferentes e darão oportunidade para observação de aves e cachoeiras. É possível caminhar até o cume da Serra da Prata, conhecido como Torre da Prata.

Para saber mais acesse Parque Nacional Saint Hilaire/Lange.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9290
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página