Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > ICMBio combate incêndios em Unidade de Conservação
Início do conteúdo da página

ICMBio combate incêndios em Unidade de Conservação

Publicado: Terça, 07 de Outubro de 2014, 16h30

Chamas atingiram o Refúgio da Vida Silvestre das Veredas do Oeste Baiano (BA)

Chamas atingiram o Refúgio da Vida Silvestre das Veredas do Oeste Baiano (BA)

ICMBio combate incêndios em Unidade de Conservação. Fotos: Leonardo Milano e Acervo ICMBio

Gustavo Frasão
gustavo.caldas@icmbio.gov.br

Brasília (07/10/2014) — O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) combateu no mês de setembro focos de incêndio que atingiram o Refúgio da Silvestre (Revis) das Veredas do Oeste Baiano, Unidade de Conservação (UC) da Bahia que tem sede no município de Mambaí (GO).

A Coordenação de Emergências Ambientais (Coem) e a Coordenação Regional (CR) 11 do ICMBio, a quem o Revis é vinculado, participaram da ação e enviaram 23 homens do Centro Nacional de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (PrevFogo/Ibama) de Brasília e Barreiras (BA).

A Coem é responsável por administrar os recursos e manter contato com instituições para atuar em situações de emergência nas 313 Unidades de Conservação (UC) do ICMBio espalhadas por todo o Brasil. "Às vezes a unidade está isolada e não conhece a estrutura nacional, então nós entramos para fazer contato com as brigadas mais próximas do local", informou Ângela Bárbara, coordenadora-substituta de Emergências Ambientais.

LEIA TAMBÉM: ICMBIO INTENSIFICA AÇÕES DE COMBATE A INCÊNDIOS

Para controlar os incêndios, quase sempre em locais de difícil acesso, as equipes trabalharam durante oito dias e usaram quatro veículos, três caminhonetes e um caminhão. Fazendeiros da região também apoiaram os trabalhos e contribuíram para o sucesso da operação. "Eles permitiram a entrada das nossas equipes em suas propriedades, o que ajudou muito", explicou Sandro Raphael Borges, chefe da UC.

Os focos de incêndio aconteceram em diversas áreas diferentes e teriam começado devido a um curto circuito na rede elétrica que passa próximo ao Revis. Durante a operação, também ficou constatada a ação de caçadores dentro da unidade. "Atualmente, realizamos o trabalho de vigilância dos focos de calor por meio de rondas e monitoramento via satélite, assim como a prevenção e o combate à caça", finalizou Borges.

registrado em:
Fim do conteúdo da página