Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > ICMBio combate crimes ambientais na Bahia
Início do conteúdo da página

ICMBio combate crimes ambientais na Bahia

Publicado: Quarta, 15 de Outubro de 2014, 09h37

Foram realizadas seis autuações, totalizando R$ 94,6 mil em multas

Foram realizadas seis autuações, totalizando R$ 94,6 mil em multas

ICMBio combate crimes ambientais na Bahia

Ana Gouveia
ana.gouveia@icmbio.gov.br

Brasília (15/10/2014) — O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade combateu no mês de setembro diversos crimes ambientais no Parque Nacional de Boa Nova e no Refúgio de Vida Silvestre Boa Nova, no sudeste da Bahia. A última operação foi batizada de "Ave! Ave! Boa Nova" e aconteceu nas duas Unidades de Conservação (UCs). Na ocasião, foram realizadas seis autuações, totalizando R$ 94,6 mil em multas. Além disso, quatro armas de fogo foram apreendidas com caçadores.

"Os crimes ambientais mais comuns e combatidos na região são contra a fauna, como o tráfico de animais silvestres e caça. A degradação ambiental é gerada pela poluição, mineração, queimadas e uso de agrotóxico. Além disso, os impactos contra a flora, com o desmatamento e danificação da flora existente, são nocivos ao meio ambiente", explicou Johan Pereira, gestor das UCs.

Leia também: Parque Nacional de Boa Nova abriga mais da metade das aves da Bahia

Além de coibir a caça e o tráfico de animais silvestres, as ações fiscalizatórias acontecem pelo menos duas vezes por ano para investigar denúncias relacionadas aos desmatamentos e impactos provocados pelos homens contra a biodiversidade nas Unidades de Conservação.  "Já as nossas ações de rotina, saídas de campo com retorno para a sede no mesmo dia, são semanais ou acontecem em um intervalo não superior a 15 dias", acrescentou Pereira.

Participam das fiscalizações, junto com os servidores das UCs, polícias Civil e Militar e Corpo de Bombeiros da Bahia.

Sobre o Parque Nacional e o Refúgio de Vida Silvestre de Boa Nova

O Parque Nacional de Boa Nova (BA) é uma das Unidades de Conservação (UCs) mais ricas em aves no Brasil e abriga mais da metade das espécies da Bahia. Atualmente, existem cerca de 438 espécies catalogas na região. Devido à rica biodiversidade, o Parque é considerado um dos principais destinos do turismo para observadores de aves do País, que visitam o local diariamente para analisar o comportamento dos animais em ambiente natural.

Criado em 2010 junto com um Refúgio de Vida Silvestre (Revis), a UC tem, ao todo, 27 mil hectares e protege uma importante área na transição entre os biomas Caatinga e Mata Atlântica.

Patrimônio arquitetônico

Além das belezas naturais, formadas por atrações como a cachoeira Sete de Setembro, que tem 70m de altura, Caldeirões do Rio do Chumbo, Lagedo dos beija-flores, Serra do Timorante, Mirante do Rio do Chumbo e Morro do Inglês, a região de Bova Nova tem um importante patrimônio arquitetônico e mantém uma intensa atividade cultural popular.

registrado em:
Fim do conteúdo da página