Pesquisas Prioritárias a Serem Desenvolvidas

LINHAS DE PESQUISAS PRIORITÁRIAS PARA AS UCs
(definidas no workshop de pesquisadores da APA de  Guapi-Mirim/ESEC da  Guanabara)

1. Biologia populacional do Siri Azul e Siri Açu.
2. Distribuição espacial das populações de caranguejo uçá .
a. Definir densidade populacional e capacidade suporte do caranguejo uçá.
3. Biologia populacional e monitoramento dos caranguejos da região.
4. Programa de monitoramento da qualidade da água dos rios da ESEC.
a. Definir indicadores, relacionados ao esgotamento sanitário e industrial, para monitoramento da qualidade de água no sistema fluvial do rio Guaxindiba.
b. Mapear os principais pontos de recepção de esgoto e águas pluviais no rio Guaxindiba.
5. Estudo de alternativas de fontes de renda para as comunidades locais.
6. Censo populacional dos moradores da APA de Guapimirim.
7. Resgate da história oral (história de vida) de famílias típicas e reconstrução das trajetórias de vida dessas famílias.
a. Reconstrução dos saberes tradicionais e da cultura local.
b. Percepção do direito, limitações legais e tradição por essas famílias.
c. Reconstrução da história ecossistêmica do ambiente local.
d. Estudo das técnicas de pesca utilizadas.
e. Avaliar a caracterização da comunidade de Feital como Quilombola ou população tradicional.
8. Impactos do turismo sobre os aspectos tradicionais da população local.
9. Levantamento fundiário da Zona de Amortecimento da ESEC.
10. Diagnóstico e sociologia da pesca amadora e esportiva.
11. Levantamento e monitoramento da entomofauna e artropofauna no manguezal da ESEC e APA.
a. Levantamento de vetores epidemiológicos nas áreas propostas para visitação.
b. Seleção de bioindicadores de qualidade ambiental.
12. Monitoramento de indicadores socioeconômicos na região da ESEC.
13. Análise de indicadores socioambientais na região da ESEC.
14. Diagnóstico da invasão de Acrosthicum aureum e outras espécies vegetais nas áreas de mangue da ESEC.
a. Formas de manejo e controle de Acrosthicum aureum nas áreas de mangue da ESEC.
15. Estudo fisiológico das espécies vegetais de mangue na região da ESEC.
16. Estudo do aporte flúvio-marinho nos manguezais da ESEC (sedimentologia e hidrologia).
a. Avaliação da viabilidade de desassoreamentos pontuais.
b. Avaliação dos impactos dos diques e represas na hidrologia local, com vistas a atividades de descomissionamento dos diques já instalados.
17. Criação de um banco de dados em sistema de informação geográfica (SIG).
a. Estudo da dinâmica de uso e ocupação do solo, incluindo a análise dos vetores de pressão e efeitos de borda.
18. Monitoramento da estrutura, dinâmica e função das florestas de mangue.
19. Biologia populacional do bagre africano.
20. Biologia populacional do jacaré do papo amarelo (Caiman latirostris).
21. Monitoramento da fauna de vertebrados terrestres (mastofauna, herpetofauna e avifauna) na área da ESEC.
22. Estudo relacionado à criação e repovoamento de robalos com o uso de tanques-rede.
23. Avaliação dos serviços ambientais prestados pelo manguezal.
24. Avaliação da capacidade de seqüestro e estoque de carbono pelas florestas de mangue.
25. Estudo do fluxo de elementos (nutrientes, carbono, detritos e outros) nos rios da ESEC.
26. Levantamento de pontos e estruturas notáveis para a visitação na ESEC.
a. Avaliação das técnicas mais apropriadas para as estruturas relacionadas à visitação.
27. Diagnóstico da pesca com o uso de currais.
a. Impactos sobre a vegetação nativa de mangue em função da instalação de currais de pesca.
b. Alternativas sustentáveis para a manutenção dos currais.
c. Avaliação da economia da pesca em currais.
28. Estudo dos impactos sinergéticos (cumulativos) dos empreendimentos localizados no entorno sobre a ESEC.
29. Análise dos aspectos toxicológico-alimentares relacionado ao pescado da Baía da Guanabara.
a. Analisar o efeito na cadeia trófica.
b. Estimar o efeito sobre o consumidor local.
30. Levantamento de tecnologias de baixo custo para o saneamento das comunidades na Zona de Amortecimento.
31. Estudo sobre o efeito da soltura de fauna na ESEC.
32. Revisão do período de defeso dos caranguejos.
OBSERVAÇÕES
A participação do pesquisador na definição de linhas de pesquisa prioritárias, a divulgação destas linhas e propostas de parcerias para o desenvolvimento de pesquisas são muito bem-vindas. Também são bem-vindas sugestões sobre a sistematização e divulgação do
conhecimento obtido a partir das pesquisas realizadas. O georeferenciamento de pontos de coleta e aspectos notáveis observados em campo são extremamente valiosos para a criação de um banco de dados espacializado.
A participação do pesquisador é extremamente importante para o manejo e gestão da unidade e conservação efetiva do ecossistema. Informações sobre crimes ambientais e ameaças ao ecossistema, sugestões de melhorias de infra-estrutura e aquisição de material de suporte à pesquisa podem ser feitas pessoalmente à administração, por telefone (21-26330079), ou por email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.;).