Flora

 

O verde exuberante do Parque Nacional do Iguaçu é a maior e mais importante área de Floresta Estacional Semidecidual do Brasil, caracterizada por intensas chuvas de verão seguidas de uma estiagem invernal.

Abrigando mais de 700 espécies de plantas terrestres, o Parque Nacional do Iguaçu se mantém como um dos últimos resquícios de uma mata nativa que já dominou todo o território do estado do Paraná, comportando desde samambaias que remetem a um ambiente pré-histórico, até árvores cuja altura ultrapassa o alcance dos olhos. Quem adentra o interior do Parque surpreende-se com a exuberância de plantas que encontra.

No interior do Parque estão refugiados alguns dos últimos indivíduos de palmito-juçara (Euterpe edulis) nativos da Mata Atlântica, protegidos da extração ilegal. Outra espécie característica de Floresta Estacional Semidecidual, que se encontra em risco de extinção, é a peroba-rosa (Aspidosperma polyneuron), muito utilizada para confecção de móveis, vigas e afins.

Árvore símbolo do estado do Paraná, a Araucária (Araucaria angustifolia) faz parte de outro ecossistema que também está presente em parte do território do Parque Nacional do Iguaçu, a Floresta Ombrófila Mista. Sua origem remonta à época dos dinossauros, no período Jurássico, há cerca de 200 milhões de anos atrás. Hoje sua distribuição está reduzida à ponto de a espécie ter sido classificada pela lista vermelha da IUCN - International Union for Conservation of Nature, como em perigo crítico de extinção, tendo como um dos últimos refúgios para a sobrevivência o Parque.